teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Ex. 3 – Quem sou eu? Quem eu sou? Eu? Quem?

nenhum comentário

Meu nome é Patricia Basseto dos Santos, tenho vinte e seis anos, sou produtora de tv e agora até repórter, danço jazz, estudo francês e faço mestrado em tv digital. Sou de Birigui, interior de São Paulo, mas nasci em Araçatuba. Uma brasileira.

No facebook sou Patrícia Basseto, já tive quase 700 “amigos”, hoje me delimito a ter no máximo 500, mas para que nunca chegue a tal número, para não mostrar demais da minha vida para gente que não deve saber tanto.

Tenho twitter e dois blogs, um sobre moda e outro um portal de notícias. Bem, mas, não é só isso, na minha família, eu sou a filha mais velha, a única que mora longe, em Bauru, a única que foi para o exterior, e lá eu era uma latina, as vezes alguém do leste europeu ou uma francesa, dificilmente brasileira, mas, eu gosto de ser brasileira, tenho orgulho de nossa pátria desimportante que abriga pessoas importantes para mim.

Na minha família também sou a única solteira, isso porque após namorar quase cinco anos, resolvi viajar e conhecer amores distantes, e nunca mais me apaixonei por aqui.

Sou produtora de tv, mas já estudei ciências sociais, e era muito boa nisso, larguei tudo pelo sonho de ser documentarista e viajar o mundo. Não sabia que iria ficar fechada em salas isoladas acusticamente.

Na Internet sou eu, mas, mais despida da máscara do trabalho de onde passo a maior parte do tempo. No trabalho sou raivosa, penso que a vida está voando e eu estou sem ver o céu.

Em casa em Bauru me sinto no limbo e me jogo na rede, em Birigui me sinto acolhida, minha mãe me dá a força e a verdade que ás vezes, nossos amigos mascaram tanto e, até mesmo os inimigos mascaram.

Nas ruas sou a motorista do Palio branco com placa de Birigui. As vezes creio que aparento ser menos do que sou, e as vezes o contrário também ocorre, mas, eu não ligo, me importo com pessoas que estão longe, e sinto saudade o tempo todo.

Não sei como lhe pareço, não sei me descrever, esse talvez seja o momento mais psicológico dos últimos tempos. Só falei do que vale a pena e do que importa.

Para alguns eu sou uma louca, para outro eu sou a irmã mais velha, a filha ausente, a enteada divertida, a filha amada, a amiga, a roomie, a colega de classe, a produtora, a mestranda, a repórter, a roqueira, a brasileira que prometeu voltar, um rosto em meio a centenas em um perfil de facebook.

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

22/11/2011 às 22:55

Publicado em TV Digital

Deixe uma resposta