teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Artigo sobre tendências e modelos de negócio

com 7 comentários

Leia as reportagens a seguir, publicadas pela Folha de S. Paulo, sobre temas discutidos em reunião da SIP, em São Paulo, no último final de semana. Redija e publique, nesta página, um artigo de 20 linhas, de sua autoria, analisando as tendências do jornalismo e seus modelos de negócio emergentes frente às novas tecnologias.


Reportagem 1
‘Ainda não há resposta para o futuro do jornalismo’, diz executivo do ‘El País’

O presidente do jornal espanhol “El País”, Juan Luis Cebrián, afirmou ontem estar “perseguindo há dez anos” a solução para o modelo sustentável do jornalismo no futuro diante das mudanças tecnológicas, mas que ainda não encontrou a saída.

“Ninguém tem a resposta, ninguém conseguiu imigrar [para a internet de modo satisfatório]”, disse ele, ao abrir o segundo dia da 68ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), em São Paulo.
Leia mais

Reportagem 2
Conteúdo deve ser pago, mas não há um único modelo de negócio

O conteúdo de jornais na internet deve ser pago, mas não há consenso sobre qual é o melhor modelo de negócio no Brasil.

Judith Brito, superintendente da Folha, defendeu neste sábado (13) o “paywall” (muro de cobrança) poroso, segundo o qual o internauta pode ler gratuitamente parte do jornal e paga uma assinatura para ter acesso total.

Já Marcello Moraes, diretor-geral do Infoglobo, empresa que edita o jornal “O Globo”, afirmou que o pagamento é essencial para garantir a qualidade do jornalismo, mas acha que ele deve ser feito em troca de um conjunto de produtos.
Leia mais

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

15/10/2012 às 9:37

7 Respostas para 'Artigo sobre tendências e modelos de negócio'

Acompanhe os comentários com RSS ou TrackBack para 'Artigo sobre tendências e modelos de negócio'.

  1. Jornalismo online
    A chegada das novas tecnologias trouxe um grande problema para o jornalismo, afinal não existe um modelo de negócios consistente para ganhar dinheiro com noticias na internet. Ainda não é da cultura das pessoas pagar por conteúdo jornalístico online, pois vários sites fornecem matérias gratuitas.
    Alguns jornais famosos, como por exemplo, o “New York Times”, nos Estados Unidos, e a Folha de S. Paulo, no Brasil, implantaram o sistema de pagamento “paywall” em seus sites. Esse modelo fornece gratuitamente uma parte do jornal e a pessoa deve pagar para ter o conteúdo total.
    Esse é um modelo interessante para as empresas jornalísticas, pois não da para viver apenas de publicidade. Com essa forma de assinatura online, a empresa terá dinheiro para contratar mais jornalistas e manter as suas despesas. Mas esse é um modelo que pode não funcionar se apenas um veículo de comunicação utilizar, porque as pessoas vão preferir acessar sites que não cobram pelo acesso.
    Por esse motivo temos que concordar com a afirmação do presidente do jornal “El País”, Juan Luis Cebrián. “Ninguém tem a resposta, ninguém conseguiu imigrar [para a internet de modo satisfatório]”, diz Cebrián, ao abrir o segundo dia da 68ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), em São Paulo.
    O que as pessoas não pensam é que com a assinatura online as empresas jornalísticas podem contratar melhores funcionários, consequentemente a qualidade dos textos será maior. Enquanto isso não é resolvido, nos resta esperar por uma ideia brilhante que possa garantir o futuro do jornalismo online.

  2. […] Artigo produzido para a disciplina de Laboratório de Tecnologias Digitais. […]

  3. O jornalismo mundial vive um período de mudanças. Fatores como a crise monetária internacional e a internet tem contribuição direta para esse momento. Através das duas reportagens da Folha, sobre a reunião da SIP, fica claro que vivemos uma fase de transição. Entretanto, não é possível saber por quanto tempo. Ninguém ainda encontrou um modelo de negócio sólido, para agregar internet e jornal, investimento e lucro.

    Uns acreditam que o paywall é o futuro para a informação na internet, sendo justo pagar pela notícia, já que as reportagens são bem apuradas, que possuem credibilidade e são de jornais conceituados, como NYT e FSP. Outros acreditam que não, que só espanta o leitor, podendo estes recorrer a outros sites jornalistico, que disponibilizas conteúdos gratuitos.

    Existem vários modelos de se fazer negócio no jornalismo, os grandes jornais escolhem e apostam naquilo que pode dar certo. Isso vai depender também de cada país, pois a cultura de cada um é essencial para que exista um modelo eficente. No Brasil, por exemplo, muitos leitores podem achar que pagar pela notícia na internet seja um absurdo e migrar para outro site que não cobre pelo serviço. Nos EUA talvez o pensamento seja diferente e exista a valorização do trabalho do jornalista na internet.

    Esta convergencia de mercado contribui para as incertezas financeiras e para o jornalista que ocupa uma vaga na redação. Se o jornal não consegue encaixar um plano de negócios para que exista lucro, seja através de propagandas ou de paywall, as demissões passam a ser o destino dos jornalistas que trabalham nestas empresas.

    Alexandre Rocha

    12/11/2012 em 8:44

  4. O jornal impresso está sofrendo cada vez mais ameaça de extinção. Isso se deve ao fato de que, com a tecnologia da internet, as notícias podem ser transmitidas em tempo real, enquanto o jornal impresso só informa no dia seguinte. Algumas medidas foram tomadas para retardar o fim do jornal impresso, tal como o paywall. Porém, mesmo que essas medidas dêem lucro não é o suficiente, pois existem muitos outros sites e veículos informativos que não cobram nada pelo acesso.

    Informações gratuitas na internet podem prejudicar os jornais on-line, mas dão um enorme lucro para empresas como Google e Facebook. Por serem empresas grandes fica muito difícil competir e ganhar espaço na web. Para que o paywall funcione, o jornal precisa ter um grande compromisso com o leitor, fazer valer a pena o conteúdo pago se diferenciando dos demais que são disponíveis de graça.

    http://larissamestieri.wordpress.com/2012/11/11/resumo-sobre-tendencias-e-modelos-de-negocio/

    Larissa Mestieri

    20/11/2012 em 15:08

  5. Tamires Frasson

    25/11/2012 em 19:56

  6. Com a chegada das novas tecnologias, a diminuição na procura dos jornais impresso, esta cada vez maior. Pois hoje em dia, qualquer pessoa pode ter acesso a boas informações e conteúdos jornalísticos, através de sites que disponibilizam a informação sem nenhum custo.

    No sistema de “paywall” ou “ pagamento por notícias da internet”, já existente no jornal A Folha, que permite a leitura gratuita de 40 textos por mês, a partir daí, é restrita aos assinantes, isso ainda é contraditória, interessante para alguns e insatisfatório para outros, pois muitas pessoas ainda preferem o acesso gratuito dos jornais on-line, mesmo que seja por poucos conteúdos.

    Dessa forma, o jornal impresso vem sofrendo a cada ano com a sua extinção. Pois as notícias diárias se tornarão informações em tempo real, e que exige cada vez mais uma reinvenção por parte das empresas de mídia, sobretudo na busca de novas formas de comunicar.

    É preciso descobrir novas linguagens e novas formas de se fazer jornalismo, sendo assim, a produção de uma notícia tem um custo alto, e isso tem sido passado aos leitores de alguma maneira.
    Dessa forma, é um processo inevitável essa nova tendência do paywall.

    E fica da escolha do leitor pagar ou não por um jornalismo de boa qualidade.

    Daniele

    27/11/2012 em 12:37

  7. Com a chegada das novas tecnologias, a diminuição na procura dos jornais impresso, esta cada vez maior. Pois hoje em dia, qualquer pessoa pode ter acesso a boas informações e conteúdos jornalísticos, através de sites que disponibilizam a informação sem nenhum custo.

    No sistema de “paywall” ou “ pagamento por notícias da internet”, já existente no jornal A Folha, que permite a leitura gratuita de 40 textos por mês, a partir daí, é restrita aos assinantes, isso ainda é contraditória, interessante para alguns e insatisfatório para outros, pois muitas pessoas ainda preferem o acesso gratuito dos jornais on-line, mesmo que seja por poucos conteúdos.
    Dessa forma, o jornal impresso vem sofrendo a cada ano com a sua extinção. Pois as notícias diárias se tornarão informações em tempo real, e que exige cada vez mais uma reinvenção por parte das empresas de mídia, sobretudo na busca de novas formas de comunicar.

    É preciso descobrir novas linguagens e novas formas de se fazer jornalismo, sendo assim, a produção de uma notícia tem um custo alto, e isso tem sido passado aos leitores de alguma maneira.

    Dessa forma, é um processo inevitável essa nova tendência do paywall.

    E fica da escolha do leitor pagar ou não por um jornalismo de boa qualidade

    Daniele

    28/11/2012 em 0:56

Deixe uma resposta