teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Bibliografia do curso

nenhum comentário

Leituras sugeridas

BAUER, Martin W. e GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Editora Vozes, 2002 (Glossário) | (Capítulo 1)

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Ed. Unesp, 2000. (Trechos p.11-36 e p.422-424)

LEITE, Marcelo. O Atraso e a Necessidade: Jornalismo científico no Brasil. Conferência proferida em encontro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 2005.

MARCONDES FILHO, Ciro. Para entender a comunicação: contatos antecipados com a Nova Teoria. São Paulo: Ed. Paulus, 2008. (Trecho p.148-165)

POPPER, Karl. Em busca de um mundo melhor. Lisboa: Ed.Fragmentos, 1992. (Trecho p.13-49)

Bibliografia básica

BARBIER, R.. A pesquisa-ação. Brasília, DF: Plano, 2002

BRANDÃO, C. R. (org.). Pesquisa participante. São Paulo, SP: Brasiliense, 1981

CHATWIN, Bruce. O Rastro dos Cantos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996

DEMO, P. Metodologia Científica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 1995

LIMA, Edvaldo Pereira. “A Pesquisa Qualitativa e os Buscadores do Ser Integral”. Laboratório Integrado de Narrativas Transdisciplinares. Instituto de Humanidades. Universidade de Uberaba, s/d. (Texto integral)

Bibliografia Complementar

ARAÚJO, Carla B. Z. M. (et alli). Trabalhos monográficos: normas, técnicas e padrões. 2 ed. Campo Grande: Unaderp, 2003

DURANT, Will. A história da filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 1991 (Kant – Trecho p.256-263)

ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1989

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1995

FERRATER MORA, José. Diccionario de Filosofia Abreviado. Buenos Aires: Sudamericana, 1970

KUNH, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2000

LACEY, Hugh. “Interpretações e teorias nas ciências naturais e nas ciências humanas”. In: Valores e atividade científica. São Paulo: Discurso Editorial, 1998

MAFFESOLI, Michel. A Conquista do Presente. Rio de Janeiro: Graal, 1985 (Trecho p.15-33)

MEADOWS, Arthur Jack. A Comunicação Científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999

POPPER, Karl. “Os mundos 1,2 e 3”. In: POPPER, Karl; ECCLES, John. O eu e seu cérebro. Campinas: Papirus; Brasília: Ed. UnB, 1991 (Trecho p.34-37)

WIELEWICKI, Vera Helena Gomes. “A pesquisa etnográfica como construção discursiva”. In: Acta Scientiarum, ISSN 1415-6814. Universidade Estadual de Maringá, 23 (1):27-32, 2001 (Texto integral)

Textos de apoio
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas (NBR Trabalhos Acadêmicos | NBR Citações)

BELDA, Francisco Rolfsen. Dissertação de Mestrado. “Alimentos transgênicos e imprensa: um estudo do discurso jornalístico de divulgação científica”. ECA-USP, 2003

BORGES, Jorge Luis. “O Aleph”. In: O Aleph. São Paulo: Cia das Letras, 2008.

CAPOZZOLI, Ulisses. No Reino dos Astrônomos Cegos: uma história da radioastronomia. Rio de Janeiro: Record, 2005

GOLDACRE, Ben. Don’t dumb me down. The Guardian. Thursday 8 September 2005

Estrutura e apresentação de monografias, dissertações e teses: MDT / Universidade Federal de Santa Maria. Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. – 6. ed. rev. e ampl. – Santa Maria : Ed. da UFSM, 2006

LATOUR, Bruno. “Crise”. In: Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34. 1994 (Trecho p.7-17)

LOPES, Nei. “Papos de Versos: Entrevistas”. In: Partido Alto. Samba de bamba. Rio de Janeiro: Editora Pallas, 2005 (Entrevista com Martinho da Costa Jumbeba)

MARCONDES FILHO, Ciro. “Avatar”. Boletim do Núcleo José Reis de Divulgação Científica. ECA-USP. n.23, p.5, julho de 2008 (Texto)

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. “Humano, Demasiado Humano / O Homem a Sós Consigo”. In: Os Pensadores.São Paulo: Ed. Abril, 1983 (Trecho par. 630)

ZANGRANDI, Raquel F.. “Entre ratos”. Revista Piauí, n.12, p.44, agosto 2007

 

Bibliografia complementar: métodos qualitativos de pesquisa

(sic) Fonte: Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia Seminário de Métodos Qualitativos

• Barbier, R. (2002). A pesquisa-ação. Brasília, DF: Plano.

• Bauer, M. W., & Gaskell, G. (Eds.). (2002). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis, RJ: Vozes. (original 2000).

• Becker, H. S. (1998). Tricks of the trade: How to think about your research while you’re doing it. Chicago, IL: U Chicago Press.

• Boudon, R. (Ed.). 1993). Paul F. Lazarsfeld: On social research and its language. Chicago, IL: U Chicago Press.

• Brandão, C. R. (Org.). (1981). Pesquisa participante. São Paulo, SP: Brasiliense.

• Brandão, C. R. (org.). (1984). Repensando a pesquisa participante. São Paulo, SP: Brasiliense.

• Carvalho da Silva, R. (1998). A falsa dicotomia qualitativo-quantitativo: paradigmas que informam nossas práticas de pesquisa. Em G. Romanelli & Z, M. M. Biasoli-Alves (Eds.), Diálogos metodológicos sobre práticas de pesquisa. Ribeirão Preto, SP: Ed. Legis Summa.

• Denzin, N. K., & Lincoln, Y. S. (Eds.). (1994). Handbook of qualitative research. Thousand Oaks, CA: Sage. (2nd Ed. – 2001).

• Fetterman, D. M. (1998). Ethnography. EM L. Bickman & D. J. Rog (Eds.), Handbook of applpied social research methods (pp. 473-504). Thousand Oaks, CA: Sage.

• Girden, E. R. (1996). Evaluating research articles. Thousand Oaks, CA: Sage.• Glaser, B. G., & Strauss, A. L. (1965). Discovery of substantive theory: A basic strategy underlying qualitative research. The American Behavioral Scientist, 8(1), 5-12.

• Grunenberg, H. (2001). Die Qualität qualitativer Forschung. Eine Metaanalyse erziehungs- und sozialwissenschaftlicher Forschungsarbeiten [A qualidade da pesquisa qualitativa: uma meta-análise de trabalhos de pesquisa nas áreas de pedagogia e ciências sociais]. Marburg: Instituto de Pedagogia da Univ Marburg – Diplomarbeit (aprox equiv ao mestrado). Disponível na internet no endereçohttp://www.maxqda.de/maxqda/downloads/grunenberg.pdf

• Günther, I. (1998). Contacting subjects: the untold story. Culture and Psychology, 4(1), 65-74.http://www.unb.br/ip/lpa/pdf/isoldauntold.pdf

• Jorgensen, D. (1989). Participant observation: A methodology fo human studies. Thousand Oaks: Sage.

• Kirk, J., & Miller, M. L. (1986). Reliability and validity in qualitative research. (Sage University Papers Series on Qualitative Research Methods, Vol 1). Thousand Oaks, CA: Sage.

• Link, H. C. (1943). An experiment in depth interviewing. Public Opinion Quarterly, 7, 267-279. [Disponível via Internet: http://www.bce.unb.br -> JSTOR ]

• Maxwell, J. A. (1998). Designing a qualitative study. Em L. Bickman & D. J. Rog (Eds.), Handbook of applied social research methods (pp. 69-100). Thousand Oaks, CA: Sage.

• Mayring, Ph. (2002). Einführung in die qualitative Sozialforschung [Introdução à pesquisa social qualitativa]. Weinheim: Beltz.

• McCall, G. J., & Simmons, J. L. (Eds.). (1969). Issues in participant observation: A text and reader. New York: Random House.

• Miles, M. B., & Huberman, A. M. (1994). Qualitative data analysis: An expanded sourcebook, 2nd ed. Thousand Oaks, CA: Sage.

• Newman, I., & Benz, C. R. (1998). Qualitative-quantitative research methodology: Exploring the interactive continuum. Carbondale, IL: Southern Illinois U Press.

• Myers, V. (1977). Toward a synthesis of ethnographic and survey methods. Human Organization, 36, 244-251.

• Patton, M. Q. (1987). How to use qualitative methods in evaluation. Thousand Oaks, CA: Sage.

• Payne, S. L. (1951). The art of asking questions. Princeton, NJ: Princeton U Press.

• Pereira, J. C. R. (1999). Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde, humanas e sociais. São Paulo: EDUSP .

• Silva, R. C. (1998). A falsa dicotomia qualitativo-quantitativo: paradigmas que informam nossas práticas de pesquisa. EM G. Romanelli e Z. M. M. Biasoli- Alves (Eds.), Dialogos metodológicos sobre prática de pesquisa (pp. 159-174). Ribeirão Preto, SP: USP Pós-graduação em Psicologia.

• Sommer, R., & Amick, T. (1984). Action Research: Linking research to organizational change. Davis, CA: U California, Center for Consumer Research.

• Spink, M. J. (Ord.), (1999). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo, SP: Cortez.

• Thiollent, M. (1985). Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo, SP: Cortez. • Whyte, W. F. (Ed.). (1991). Participatory action research. Thousand Oaks, CA:Sage.

• Wolcott, H. F. (1990). Writing up qualitative research. (Sage University Papers Series on Qualitative Research Methods, Vol 20). Thousand Oaks, CA: Sage.

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

24/04/2014 às 12:59

Deixe uma resposta