teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Exercício 2 – Minha Vida Digital

nenhum comentário

Para: Aldair de Queiroz Franco

 

Oi, vó. Escrevo essa carta direto de 2011. Venho alertá-la sobre a comunicação da minha época. Por falar nisso, é muito difícil alguém usar isso aqui ainda, viu? Tem crianças que nem sabem o que é uma carta. Eu, por exemplo, nunca tinha colado um selo na vida, experiência fantástica! Aliás, essa é a palavra para definir a tecnologia atual: fantástica. No lugar das cartas, as pessoas conversam por meios onde as mensagens vão e vêm em segundos de demora. Além disso, várias coisas do dia a dia podem ser feitas sem estar presentes no local, como comprar roupas ou colocar dinheiro no banco. Bom, falei muita coisa, acho que confundi a cabeça da senhora. Deixa eu tentar explicar. Com o tempo, a tecnologia da informação evoluiu até chegar no “digital”, um tipo de sinal que facilitou muito a comunicação entre as pessoas. Desse modo, foi possível inventar a internet, uma rede digital onde qualquer indivíduo pode se comunicar com som e imagem de forma instantânea em qualquer lugar do mundo. Os grandes computadores, inventados na época da senhora, ficaram cada vez menores e se tornaram comuns nas famílias. Também surgiram pequenos telefones que as pessoas carregam dentro do bolso e que realizam diversas tarefas, muitas delas através da internet. As notícias chegam às pessoas minutos depois de terem acontecido. Enfim, a vida está cada vez mais corrida e tempo é o fator mais precioso hoje em dia. Como tudo aqui acontece muito rápido, espero que durante os dias em que essa carta viaja não surja nenhuma inovação importante que eu devia ter colocado aqui.

 

De seu querido neto, Túlio Franco da M. Heitor.

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

21/11/2011 às 21:31

Publicado em TV Digital

Deixe uma resposta