teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Exercício 3 – Quem sou eu?

nenhum comentário

Se o rosto é o plano da explicação de mim mesmo mais puro que existe, há camadas mais densas que resultam nessa síntese. A criação familiar, as interações humanas ao longo do crescimento, tanto as presenciais compostas pelo rosto da presença, quanto as mediadas, e o posicionamento opinativo quanto à religião, política e futebol estruturam alguns grupos. Minha identidade parece poder ser definida então por um recolhimento de tudo o que já vivi. Seguindo essa teoria, a identidade está exclusivamente em contínua transformação e uma definição estática se mostra como um erro. Além disso, o eu pode ser comunicado por outras maneiras além da presencial, que muitas vezes não encontra espaço ou tempo suficientes para tal tarefa. A criação de um avatar dá início a uma nova identidade, mas que tem raiz no criador. Ele pode encontrar um fim comunicacional que a identidade presencial não consegue, mas sua aparência não é pura, é constantemente construída no discurso. Levando tudo em consideração, minha identidade é expressa por fatores que não podem ser tratados como finitos e pode adquirir diferentes conotações dependentes dos meios e formatos de sua comunicação. Quem sou eu? Agora e por esse documento sou homem, mineiro, solteiro, cristão, heterossexual, editor e produtor de vídeo, estudante, são paulino, jovem, brasileiro, @tulioheitor, além de outras características que possam preencher esse discurso instável.

Tulio Heitor

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

22/11/2011 às 22:51

Publicado em TV Digital

Deixe uma resposta