teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Relatório sobre projeto gráfico dos suplementos produzidos

com 8 comentários

Como complemento à entrega dos arquivos em PDF das páginas do suplemento produzido em grupo, deve ser entregue ao professor ou postado ao final desta página um pequeno relatório sintetizando como foi executado seu processo criativo, ou uma espécie de making-of da publicação. Descreva, por exemplo, quem é o público-alvo, como foi escolhido o nome do suplemento e idealizado o logotipo do suplemento e/ou seu slogan; quais critérios e definições envolveram sua composição tipológica, a paleta de cores, a montagem do grid e a modulação das páginas, e organização e distribuição do conteúdo, bem como a iconografia e eventuais infográficos utilizados. Opcionalmente, conte como foram divididas as tarefas entre os membros do grupo. Bom trabalho!

 

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

02/02/2017 às 9:22

8 Respostas para 'Relatório sobre projeto gráfico dos suplementos produzidos'

Acompanhe os comentários com RSS ou TrackBack para 'Relatório sobre projeto gráfico dos suplementos produzidos'.

  1. Relatório ‘Vida Saudável’ (João Pedro Pavanin, Ana Carolina Ribeiro, Camile Bubniak, Isaac Toledo, Vitor Azevedo, Victor Pinheiro, Lucas Marques, Matheus Moura, Tatiane Degasperi)

    A pauta do nosso suplemento temático deu origem ao nome. Quando decidimos que as pautas abordadas pelas reportagens seriam relacionadas à prática de uma vida saudável, decidimos, de comum acordo, nomear o suplemento de ‘Vida Saudável’. Assim sendo, também consentimos de que a diagramação da capa e também das páginas internas deveria ser leve e agradável à leitura, uma vez que o tema sugere felicidade e bem-estar. O logotipo, por sua vez, surgiu da ideia de um dos membros do grupo que seria aproveitar do ‘V’ do Veganismo como elemento visual principal, mesmo que o suplemento não fosse 100% dedicado à temática vegana. Ele surgiu como alternativa para a criação de uma espécie de selo que identifica a publicação, aparecendo na capa, no fio data e como marca d´água nas páginas coloridas. A composição tipológica seguiu, de certo modo, a orientação original da atividade que consistia na produção de um suplemento para vinculação a um jornal. Por isso, as fontes dos textos são sempre serifadas, ao passo que de outros elementos textuais como títulos, legendas, olhos e etc, são fontes não serifadas mas nem por isso pouco tradicionais, de modo a dar relativo prestígio jornalístico à publicação. A paleta de cores seguiu uma sugestão de um dos membros do grupo de deixar o verde como a principal cor do suplemento e colorir outras páginas com outras cores de modo a arejar a recepção visual do produto. Por isso, as cores secundárias estão presentes apenas em páginas específicas. A montagem do grid foi outro aspecto de bastante empenho do grupo em chegar a um consenso. Decidiu-se que, embora se desejasse dar um certo prestígio jornalístico como dito anteriormente, a disposição das colunas não poderia ser tão hermética e óbvia quanto se nota geralmente nos jornais. Por isso, cada matéria, dependendo de sua relevância, apresenta uma configuração diferente, ora com duas colunas, ora com 3 colunas finas, ora com 3 largas e ora com 4 colunas. O resultado ficou interessante pois o aspecto visual das páginas ficou clássico sem, contudo, apresentar-se de forma densa e pouco convidativa à leitura. A iconografia, de certo modo, é presente na medida do necessário, sendo que quando requisitada, seguiu-se o padrão circular adotado na capa, à exceção da última página que apresenta um ensaio fotográfico no qual a disposição circular das fotos poderia comprometer sua disposição. Os infográficos seguem o estilo do suplemento, com elementos visuais dispostos circularmente, além de fontes próprias em alguns casos de modo a torná-los mais caricatos. O infográfico “Mitos vs. Verdades” foi produzido no InDesign e explica algumas questões recorrentes em relação a alguns alimentos e ao organismo. Para tal foram criadas 6 secções, cada qual com uma imagem acoplada em um quadro redondo com o texto explicativo ao lado. Para o infográfico foi usada também a fonte “Top Secret” que se assemelha a um carimbo, que está presente no título e nas imagens com efeitos de transparência para não sobrepor inteiramente as imagens e cores. As tonalidades de verde que marcam o projeto foram substituídas pelo bege para não confundir com o verde do carimbo e para diferenciar o infográfico.

    João Pedro Pavanin

    02/02/2016 em 14:20

  2. Suplemento: aGente
    Grupo: Ana Carolina Moraes, Ana Flávia L. Cézar, Ariadne Mussato, Daniela Arcanjo, Helena Botelho, Mariana Bertacni e Nathalie Carone.

    RELATÓRIO SOBRE O PROJETO GRÁFICO DO SUPLEMENTO

    A proposta de diagramação deveria contemplar a ideia de ser um veículo institucional com aspecto mais jovial, visto que nosso suplemento é uma edição comemorativa dos 40 anos da Unesp realizada em parceria com o Observatório de Educação em Direitos Humanos da Unesp de Bauru. O objetivo do projeto jornalístico é discutir, de modo crítico, temáticas relacionadas aos direitos humanos na universidade, questionando sua estrutura, abrangência e políticas. Por mais que tivemos liberdade para escolher tipologia, recursos visuais, cores e iconografia, nosso projeto gráfico se ateve às pré-definições do suplemento. Nosso trabalho criativo restringiu-se a pensar em alternativas para tornar o conteúdo mais atrativo por meio da disposição dos elementos nas páginas. Sendo assim, as etapas de produção foram dividas em duas partes.
    Após a concepção do projeto gráfico-editorial, separaram-se equipes de produção. Foram 2 diagramadoras e 5 repórteres. Cada repórter produziu de 2 a 3 matérias, mas a equipe toda participou da concepção do projeto e da revisão dos textos. A escolha das funções foi discutida em grupo, em que cada um optou pelo que tinha mais afinidade. O grid é de cinco colunas por página, porém tomamos a liberdade de quebrá-lo quando achamos necessário, para dar um respiro na publicação. Uma vez que ela é direcionada, majoritariamente, para os estudantes da universidade, público que permite uma maior flexibilidade no processo criativo. A diagramação tem caráter mais neutro, já que nosso púbico é abrangente em especializações e cursos, portanto, requer uma diagramação compreensível e interessante a todos. Optamos por infográficos – três ao longo da publicação – e recursos visuais como ilustrações, olhos e fotografias afim de quebrar a monotonia dos textos, pois tratam de assuntos densos, o que poderia tornar a leitura cansativa. As cores da publicação giram em torno de escala de cinza, pois o projeto visa ser impresso em um maior número de cópias e esta impressão seria em preto-e-branco, logo optamos por já conceber a ideia do projeto desta forma, para criar variações de tom, ainda que discretas.
    A capa, única página colorida do suplemento, foi pensada para aproveitar desta vantagem. Assim, trabalhamos com tons em aquarela e ícones que remetem ao ambiente universitário, confrontando as ideias de seriedade e liberdade. Além disso, comporta o logo do suplemento, o qual foi reformulado para acompanhar a linha criativa do projeto. As chamadas não correspondem diretamente aos títulos das matérias, pois a intenção é tornar o produto mais atrativo num primeiro contato com seus leitores.
    Outras páginas também pré-moduladas em cores foram as do Jornal Mural e a última página do produto. Isso porque as duas partes possuem design mais leve com a proposta de interagir mais diretamente com o leitor. Na última página, o Vim, vi e vivi na Unesp, comporta um fundo de cortiça e não possui modulação em grid, combinando a descontração do planejamento gráfico aos depoimentos que compõem a página. Na página espelhada está o Jornal Mural com o título Universidade Pública: para quem e pra quê?, também não tem colunas e traz, como inovação, a diagramação circular dos elementos textuais.
    Quanto a tipologia usada, pensamos em quatro fontes padrão: a Lato, para os títulos de todas as matérias; a Palatino Linotype, fonte serifada regular para o corpo do texto e em itálico na linha fina; Arial para créditos e legendas de imagens; e, por fim, a Quite Evening, para nomear seções e chapéus. Esta também é a fonte do logo do suplemento.
    O produto final é um suplemento que equilibra textos e imagens, com design tradicional, porém despojado. Superado as pré-definições, conseguimos imprimir um toque pessoal do grupo condizente com as especificações das duas partes, resultando num projeto diferenciado e inovador dentro do segmento.

    Ana Carolina Moraes

    02/02/2016 em 14:29

  3. RELATÓRIO DE PRODUÇÃO DO SUPLEMENTO “FOGO BAIXO”: CONFEITARIA

    – Equipe: Camila Nishimoto, Heloísa Scognamiglio, Jéssica Dourado, José Felipe Vaz, Luana Brigo, Mariana Hafiz, Matteus Corti, Nathane Agostini, Thainá Zanfolin, Thais Modesto

    -Divisão das tarefas
    Dividimos o grupo em dois: cinco pessoas que trabalharam como repórteres (Jéssica, José, Luana, Matteus e Thainá) e cinco pessoas que trabalharam com as diagramações (Camila, Heloísa, Mariana, Nathane e Thaís).

    As decisões editoriais foram tomadas por todo o grupo e as decisões gráficas foram tomadas pela equipe de diagramação. Optamos por isso para que a parte gráfica ficasse com uma identidade maior e que as decisões fossem tomadas de forma mais clara, já que a equipe de diagramação estava responsável por isso e conseguiam fazer alterações e escolhas sem comprometer a identidade do suplemento

    Acreditamos que realizar a divisão de tarefas foi importante para a concretização do projeto, já que conseguimos cumprir todos os prazos e passamos por todos os processos de realização (pauta, matéria, revisão, diagramação). Além disso, todos os membros do grupo auxiliaram na produção, fazendo entrevistas, editando e revisando páginas.

    – Projeto Editorial
    O suplemento “Fogo Baixo” foi pensado para ser mensal, acompanhando um jornal impresso. Com a temática de gastronomia, cada edição seria sobre algum ramo da gastronomia específico, como confeitaria (edição feita), churrasco, doces brasileiros, entre outros. O projeto gráfico, por sua vez, acompanharia o tema da edição, mas manteria alguns itens padrões, para que o suplemento não perca sua identidade.

    A linha editorial do suplemento busca ser elegante e sofisticada, não trazendo apenas receitas, mas também matérias mais aprofundadas sobre o tema, com explicações, matérias sobre negócios locais, curiosidades, técnicas que podem ser usadas, onde encontrar produtos, onde estudar, entre outros assuntos que informem o leitor sobre o tema além de apresentar receitas.

    O público-alvo do suplemento seriam homens e mulheres a partir dos 17 anos que se interessem por gastronomia. Nos inspiramos em alguns elementos visuais presentes na revista Casa & Comida, da editora Globo, para as referências gráficas.

    O nome do suplemento é “Fogo Baixo” e foi pensado para despertar a lembrança de quando algo está cozinhando em fogo baixo, sem a necessidade de se apressar. É assim que propomos a leitura do suplemento.

    O slogan que é “A arte da gastronomia em suas mãos” foi pensado em conjunto e a ideia inicial era fazer um jogo de palavras que remetesse à ação de “colocar a mão na massa”, já que o suplemento é destinado a pessoas que efetivamente usam técnicas gastronômicas e têm interesse em usá-las. A expressão “arte da gastronomia” foi escolhida porque combina com a sofisticação que o suplemento possui. O termo “em suas mãos” também foi pensado no ato de segurar o suplemento e o público poder ter todas as informações sobre gastronomia em suas mãos.

    O logotipo do suplemento traz as palavras “fogo” e “baixo” e acompanha um ícone de panela, que representa tanto a gastronomia em geral como a ação de deixar algo cozinhando em fogo baixo.

    A distribuição do conteúdo foi pensada de maneira independente, de forma que o leitor não se sinta preso a uma sequência temática lógica. Combinamos matérias com infográficos e boxes, para que o suplemento abordasse recortes diversos de um mesmo tema que pudessem interessar a toda a abrangência do público-alvo.

    – Projeto Gráfico
    No que diz respeito ao grid e modulação do suplemento, optamos por utilizar quatro colunas nas páginas com conteúdo de reportagem e três colunas na diagramação da crônica (última página) e da página 2, com o editorial e expediente. Em páginas onde não há qualquer imagem ou ilustração (vide página 8), haverá uma separação de linha entre uma matéria e outra, utilizando algum ícone relacionado à temática (neste caso, utilizamos o fouet, mas numa próxima edição poderia ser um garfo de churrasco, por exemplo).

    Já sobre os boxes, buscamos deixá-los padronizados, mas não exatamente iguais. Ficam localizados na parte inferior da página e são compostos por uma retícula com uma das cores da nossa paleta primária ou secundária. Todos apresentam as bordas arredondadas.

    No que diz respeito às fontes, adotamos a fonte não serifada tanto para títulos como para linha fina, utilizando a serifa apenas no conteúdo do corpo do texto das matérias. As fontes utilizadas foram:

    Logo e chamada principal da capa: Aubrey, 105 e 52, regular;
    Slogan, texto das chamadas, palavra “Edição”: Josefin Sans (regular, bold e regular), 21, 27 e 25.
    Indicação de página na capa, chapéus e conteúdo do fio-data: Josefin Slab, regular, 20, 17 e 20
    Palavras em destaque na capa, nos títulos e assinaturas: YoureInvited, Heavy, 35 e 71.
    Títulos: ClementePDaa, hairline, 58
    Linhas finas: Roboto, thin, 29
    Corpo do texto: Lora, regular, 11
    Legendas: Lora, 11, itálico
    Título dos boxes: ClementePDae, 45, light
    Linha fina dos boxes: Cambria, itálico, 22
    Título dos itens nos boxes: Roboto, bold, 13 caixa alta
    Corpo de texto dos boxes: Lora, 12, regular
    Palavra em destaque de infográfico “Confeitarias pelo mundo”: GoBold
    Corpo de texto de infográfico “Confeitarias pelo mundo”: Champagne e Limousines

    Optamos por deixar uma palavra em destaque nos títulos e nas chamadas da capa utilizando uma fonte diferente para estilizar e chamar a atenção do leitor para o texto em si. No aparecimento de palavras estrangeiras, termos técnicos e nomes de estabelecimentos, optamos por utilizar o recurso do itálico como forma de destacar o texto em questão.

    No que diz respeito à paleta de cores, temos duas, uma principal, com 5 cores, e outra secundária, com duas. A primeira faz parte de todo o suplemento e está presente em todas as páginas de forma a dar cor, mas com sobriedade, à publicação.

    A paleta primária, em RGB:
    Rosa escuro: 138 47 59
    Rosa claro: 214 94 111
    Azul: 53 111 138
    Marrom: 45 19 2
    Amarelo: 255 212 125

    Paleta secundária, em RGB:
    Salmão: 228 134 103
    Verde: 147 201 144

    Ao utilizar a paleta de cores nas retículas dos boxes, optamos por diminuir a opacidade da cor para 50 % de modo que ela não se destacasse mais do que o conteúdo de texto do box.

    Quanto à iconografia, utilizamos uma quantidade razoável de ícones. Temos o do logo, uma panela com fogo embaixo, que se repetirá na capa e no fio data, juntamente com o logo. Na página 3, usamos o ícone de cupcake como forma de indicar ao leitor o nível de dificuldade da receita (Petit Gâteau). Temos os ícones na página 6 e 7 que servem para ilustrar a linha do tempo da confeitaria (caravelas, beterraba e saco de açúcar) , um ícone na página 8 (fouet) para separar uma matéria da outra e que se repete na página 11, onde há uma wishlist de utensílios de confeitaria, na qual dois ícones foram apropriados e outros dois foram criados por integrantes do grupo. São, respectivamente, a batedeira e o fouet; o saco de confeitar e as forminhas.

    Utilizamos, também, na página 2, ícones de redes sociais (Twitter, Facebook, YouTube e Instagram) para que a publicação ficasse mais realista e induzisse à interatividade com o público leitor.

    Thainá Zanfolin

    02/02/2016 em 14:55

  4. Relatório: Suplemento RELIGARE
    Equipe: Arthur Finati, Bárbara Paro, Giovana Romania, Guilherme Sette, Julia Gonçalves, Lucas Ferreira, Matheus Ferreira, Patrícia Konda, Victor Dantas, Yara Lombardi.

    O nome do suplemento foi escolhido em conjunto. Queríamos uma palavra que não remetesse a nenhuma religião, assim como todo nosso suplemento, procuramos ser neutros. RELIGARE foi a escolha por ser um termo em latim que significa a religação do indivíduo à um ser divino. Definimos o público alvo como geral – jovens, adultos e idosos – interessados e curiosos em relação à temática religião.

    Optamos por não ter um slogan. O logotipo foi construído a partir de uma ideia que envolvia a cor do suplemento (roxo, que remete a espiritualidade) e uma fonte não serifada. Para dar contraste tanto com o fundo roxo, quanto com o fundo branco, utilizamos a fonte metade preta, metade branca. O logotipo aparece no fio data de todas as páginas do Suplemento e segue a linha de raciocínio do trabalho completo. Em todo projeto gráfico tentamos ser neutros, com cores sóbrias, exatamente pelo tema do suplemento. A paleta de cores é constituída basicamente pelo roxo do título, tons de verde, azul turquesa e azul. Tudo RGB.

    A tipologia do suplemento foi composta por 6 fontes diferentes, no qual foi utiliza fonte serifada no corpo do texto, com tamanho 12 e entrelinha 14, para melhor fluidez na hora da leitura. E nos títulos e textos de destaque, uma fonte sem serifa, sendo o mais indicado para títulos. As fontes são:
    Chronical Display (corpo do texto)
    Raleway e suas variações (títulos, subtitulos, interítulos, índice)
    Lobster (título matéria do meio, títulos do pós morte, box da matéria de Politica e Religião, títulos do glossário)
    Genérica (fonte do logo, olhos, número de páginas)
    Letter Gothic STD (infográfico)

    As páginas seguem todas o mesmo modelo de 4 colunas, mas procuramos realizar variações em cada uma delas. A ideia era que o leitor não visse a mesma estrutura em mais de 1 página. Sendo assim, as alterações ficaram por conta de imagens em formatos inusitados, jogo de cores, texto em contorno de imagens, olhos em destaque e boxes. Todos os textos são finalizados com um caractere especial.

    Existem 3 infográficos no Suplemento. Um deles, em formato de mapa, foi realizado no Infogram. O outro compõe a matéria principal do Suplemento. A linha do tempo foi realizada inteiramente no InDesign, com formação de paleta de cores auxiliada pelo AdobeKueler e o gráfico em formato de rosca foi realizado no Excel. Os ícones usados possuem licença para reutilização e foram retirados do Flaticon.

    Bárbara Paro Giovani

    02/02/2016 em 15:11

  5. Eu fiz sozinha o suplemento, e minha escolha da pauta foi a AIDS, pois é um assunto pouco comentado nos meios de comunicações e não existe ou não tem uma revista ou jornal com tanta visibilidade que fale sobre esse assunto em uma linguagem mais jovial, com desenhos mais joviais. Meu grid ele foi de circulos para destacar as informações importantes, como o texto do gráfico e o mitos e verdades que está na penultima página. Eu fui atrás de todas as informações, e fontes oficiais sobre o assunto, como a coordenadora de testagem de DST/AIDS da cidade de Bauru, e os dados o infográfico são resultados direto da secretaria de saúde do Estado de São Paulo.

    1- Meu público alvo é os jovens de 13 a 25 anos, pois eles são os mais afetados pelo assunto que eu pautei no meu jornal. Não usei nenhuma inspiração.
    2- O nome é ‘’PLANTÃO SAÚDE’’. O logotipo é ‘’CUIDANDO DE VOCÊ’’ junto com o símbolo da AIDS.
    3- No meu caso são 5 páginas. 1º página capa com o nome do jornal / 2º página, entrevista / 3º página, infográfico / 4º página, mitos e verdades sobre a camisinha, perguntas e respostas rápidas / 5º propaganda de prevenção contra a AIDS.
    4. Na entrevista é um texto sem boxes, sem linhas. Já nas outras páginas os textos estão dentro de um círculo, um ligando o outro.

    5. As fontes para o título,Bebas neue, e para o corpo do texto, helvética. Foram as duas únicas fontes usadas no suplemento.

    6. Todas as paginas foram usadas os mesmos tons de cores, com uma variação de cor do mesmo tom. A escala da paleta é pantone.

    7. O ícone é o símbolo da AIDS, a fitinha que está na capa.

    Isadora Venturini

    02/02/2016 em 19:20

  6. Suplemento gastronômico “Nutritiva”

    Pretende-se, ao criar o suplemento em questão:
    1 – Fugir do padrão dos veículos gastronômicos existentes, levando ao leitor a conscientização da importância de uma alimentação saudável e, ao mesmo tempo, econômica.

    2 – Gozar da autonomia de um suplemento, apresentando um veículo colorido e mais independente de padrões.

    3 – Veículo de circulação estadual semanal. Tem como público-alvo pessoas de classe média, acostumadas com desperdício, fast-foods e comidas prontas, e que sofrem com altos gastos e obesidade.

    4 – Baseado no suplemento “Comida”, do jornal Folha de S.Paulo.

    5 – Os membros da equipe (Bárbara e Tomio) dividiram as funções de forma que ambos passaram por todas as funções possíveis dentro do projeto.

    Relatório:

    1 – Nome do suplemento: Nutritiva. Nome objetivo e simples, faz uma síntese de seu conteúdo: matérias a respeito de gastronomia saudável e equilibrada.

    2 – Logotipo do suplemento: Uma folha com dois tons de verde (remetendo à verduras) com o nome do suplemento em tons de laranja (cores quentes, frequentemente usadas em gastronomia).

    3 – Slogan do suplemento: O sabor do equilíbrio. Slogan criado para 1- facilitar o entendimento do tema (propósito) da revista para quem ainda não o conhece e 2- potencializar seu tema principal, que é a comida saudável.

    4 – Formato: Berliner (A3, 297 x 420 mm), papel offset, 8 páginas. Tamanho mais comum entre suplementos, para fácil circulação e aceitação em gráficas. O papel foi escolhido para maximizar a qualidade das ilustrações e fotos. O
    número de páginas e a qualidade do conteúdo apresentado justificam o preço. Disposição: Página 1 = capa; página 2 = expediente, editorial e índice; página 3 e 6 = matérias; páginas 4 e 5 = matéria principal; página 7 = crítica; página 8 = mural de receitas

    5 – Tipologia: Predominância de fontes estilizadas, que lembram manuscritos sem prejudicar a legibilidade (Christina para o logotipo, Hobo Std para as chamadas, Cooper Std para o título do editorial, Lithos Pro para o índice, Comic Sans para títulos e linhas finas, Candara para os boxes dos infográficos da matéria principal). Para os textos, créditos, intertítulos, infográfico da página 3, legendas e cabeçalho, foi utilizado o Bookman Old Style, fonte sóbria e de fácil leitura.

    6- Cores: Predominância de cores quentes (laranja, vermelho, marrom) e tons de verde, remetendo à culinária e à saladas/pratos mais saudáveis. Não foi utilizadas cores nos textos, títulos, linhas finas, olhos e cabeçalho para 1 – não conflitar com outros elementos que protagonizam as páginas e 2 – deixar a leitura mais sóbria e fluida.

    7 – Grid e modulação: Predominância de três colunas, para facilitar a leitura e não confundir o leitor. Textos predominantemente verticais e imagens predominantemente horizontais para manter unidade, dando mais liberdade criativa para a disposição dos títulos e linhas finas. Entrelinhas 17p, entrecolunas 6 mm. Não serão utilizadas linhas de separação.

    8 – Iconografia: Utilização de fotos, ilustrações, olhos, infográficos e a folha do próprio logotipo ao longo das páginas, para diversificar e dinamizar o conteúdo, não cansando o leitor. A folha, em especial, serve para dar unidade às páginas do suplemento, aparecendo sempre junto à numeração. Ausência de linhas, para deixar o projeto mais dinâmico e moderno. Conteúdo 100% autoral, sem utilização de material de terceiros. Os elementos visuais são todos voltados para a gastronomia e para a natureza (folhas, legumes, doces gourmet, etc)

    9 – Atualizações: Após feedback do professor, foram feitas alterações na versão final:

    -Padronização de fontes da página 2 (Hobo Std para o título do editorial, título do expediente e índice inteiro) para não poluir o produto e facilitar a leitura;
    -Adição de chapéus no editorial e na matéria de crítica para indicar conteúdos especiais;
    -Compactação das páginas 2 e 3 para apenas a página 2, abrindo espaço para mais conteúdo (no caso, mais um infográfico);
    -Padronização dos tamanhos e formatos (negritos e itálicos) dos títulos, linhas finas e assinaturas das matérias, para dar unidade ao suplemento e transmitir mais seriedade;
    -Maior desconstrução de padrões horizontais e verticais das matérias (disposição dos títulos, imagens, olhos e linhas finas), para dar mais variedade, dinamismo e aproveitar melhor a autonomia de um suplemento;
    -Matérias mais incrementadas com olhos, imagens maiores, chapéus, legendas;
    -Reformulação total da página 8, trazendo mais conteúdo artístico. O projeto passa a não ter mais conteúdo 100% autoral, pois traz receitas e imagens de um site especializado.

    Bárbara Pungi Villela e Tomio Komatsu

    02/02/2016 em 19:39

  7. De Garagem
    Equipe: Augusto Curto Biason, André Lourenti Magalhães, Felipe Assis,Felipe Ruan, Giovana Amorim, Laura Botosso,Lucas Rueles da Cunha,Rafael Marques Guimarães
    Renan Iazdi Dercoles

    O processo de produção do suplemento começou com a escolha de uma temática. Os membros do grupo se decidiram por fazer um suplemento sobre música, com ênfase no cenário independente. A principal inspiração, já nesse momento, eram as fanzines punk inglesas das décadas de 70 e 80. Com isso em mente, o planejamento gráfico decidiu se inspirar também nestas fanzines, fazendo um trabalho mais livre. O público alvo seria o mercado acostumado a consumir música independente, formato principalmente por homens e mulheres entre 16 e 35 anos, de classe média baixa e classe média alta.
    A escolha do nome da publicação foi realizada na confecção do logo. Primeiramente se escolheu a fonte, chamada Payday, retirada do site Da Font. Uma vez escolhida a fonte, diversos nomes sugeridos em um brainstorm foram testados para ver como se adequavam à fonte escolhida. O nome que mais agradou ou membros do grupo foi o De Garagem, que inicialmente seria cinza escuro. Entretanto, na produção da capa, uma vez que todos o fundo escolhido era preto, o tom de cinza escolhido não se destacava, então a cor do logo foi trocada para o branco, para se adequar ao formato em que outros elementos escritos da capa estavam representados.
    Para as páginas, foram criados diversos fundos inspirados nas páginas das fanzines punks. As caixas de texto foram preenchidas de branco e acrescidas de margens, de forma a facilitar a leitura dos textos sem a complicação das texturas no fundo das páginas. As fotos, coloridas, inicialmente apresentavam um contraste muito grande com a predominância do preto e branco nas páginas, então foi decidido acrescer elementos coloridos nas páginas de forma a conversar com as cores das fotos.

    Lucas Rueles da cunha

    02/02/2016 em 20:02

  8. Relatório Suplemento – Grupo 9 – Malas Prontas

    Equipe: Ana Carolina Brandão, Bruno Gomes, Geizi Polito, João Otávio Vasques, Larissa Zapata, Livia Cadete, Lucas Janini, Mara Carvalho e Tito Silva

    Público-alvo e referências: Os públicos-alvo do Suplemento Malas Prontas são jovens e adultos que gostam de assuntos relacionados à viagem e à literatura de viagem, já que a publicação contém várias dicas de leituras e de destinos de viagens.
    As referências consultadas foram blogs e revistas especializadas em viagens, como Viagem e Turismo (http://viajeaqui.abril.com.br/vt/) e Viajar pelo Mundo (http://www.revistaviajar.com.br/).

    Nome e logotipo: O nome da publicação é Malas Prontas e se relaciona ao tema proposto de viagens, o leitor já estaria saindo para viajar, “de malas prontas”. O logotipo é simples, com letra cursiva, em preto e na fonte Chardons.

    Organização editorial: Para não ficar cansativo para o leitor, as páginas foram ordenadas variando as reportagens, entrevistas e infográficos. Está organizado em:
    1) capa
    2) índice, artigo e expediente
    3) entrevista au pair e reportagem intercâmbio
    4) reportagem mochilão e entrevista cicloturismo
    5) infográfico mala e reportagem mercado do turismo
    6) duas reportagens do mesmo assunto – viagens e música
    7) duas reportagens – Disney e o que pode dar errado
    8) reportagens e box – burocracia, como levar animais, hotel x hostel
    9) duas reportagens – idosos e mudanças antes e agora
    10) reportagem especial de uma página – lua de mel
    11) reportagem hábitos estranhos e reportagem livro de viagem
    12) infográfico de dicas de leitura

    Modulação: Na maior parte do suplemento são utilizadas quatro colunas, apenas em páginas especiais como infográfico ou expediente há diferentes quantidades de colunas. A maioria das reportagens está na horizontal, apenas as reportagens de página inteira seguem um padrão mais vertical. É utilizado espaço em branco, olho, linhas pontilhadas e box para separação e organização das reportagens, variando dependendo da página e tema.

    Fontes: As fontes utilizadas são:
    Título: A little Sunshine 48 pt regular
    Linha-fina: Gentium Book Basic 20 pt italic
    Texto: Gentium Book Basic 12 pt regular
    Olho: A little Sunshine 20 pt regular
    Legenda das fotos: Gentium Book Basic 10 pt italic
    Nome do reporter: Gentium Book Basic 12 pt italic
    Crédito das fotos: Minion Pro 6 pt regular
    Há variações em infográfico e box.

    Cores: O suplemento possui tons de azul, verde, coral, bege, preto, branco, além de alguns elementos coloridos (como a linha do trem no infográfico). Algumas páginas especiais possuem cor de fundo, mas a maioria é de fundo branco. O tema leve de viagens permite essa mistura de cores que dá vida ao suplemento e instiga o leitor.

    Iconografia: No suplemento há a presença de ícones (como mala, avião, ícones especiais da capa), chapéu, box, linhas, imagens, olhos, intertítulos, legendas, entre outros.

    Infográficos: O suplemento possui dois infográficos, o que dá dicas de como arrumar a mala e o que dá dicas de livros sobre o tema.

    Larissa Garcia Zapata Scarpelini

    02/02/2016 em 20:24

Deixe uma resposta