teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Roteiro para produção de infográfico

com 64 comentários

Valor: 3,0
Prazo: 07/11

Entregáveis:
a) Arte da infografia, em formato PDF ou JPG (salvo em pasta compartilhada da disciplina, com arquivo nomeado conforme o nome da(o) aluna(o).
b) Relatório do desenvolvimento, descrevendo o trabalho de produção do infográfico, de acordo com as etapas indicadas no roteiro a seguir:

Roteiro de produção

1. Pauta: escolha do tema, definição do enfoque e da abordagem do assunto, problematização jornalística (o que, quem, quando, onde, como, por que etc.) Observação: a pauta do infográfico pode ser elaborada a partir de reportagens publicadas na imprensa nacional/internacional ou de trabalho de reportagem desenvolvido para outra disciplina do curso.

2. Pesquisa informativa: levantamento de informações, com utilização de fontes principais e fontes complementares; contextualização do tema; seleção de dados estatísticos, testemunhos, depoimentos, definição de termos, antecedentes do fato etc.; checagem das informações; registro das fontes consultadas.

3. Pesquisa imagética: busca e seleção de fotografias, ilustrações, mapas, esquemas, diagramas, plantas, modelos, texturas, ícones, sinais gráficos e outros elementos imagéticos para possível utilização; consulta sobre os direitos de uso e licenciamento das imagens selecionadas; registro da autoria das imagens e dos acervos consultados.

4. Organização: hierarquização das informações, atribuição de destaques, ordenação de elementos narrativos, caracterização dos elementos descritivos, coerência explicativa, avaliação do grau de compreensão, retenção e apelo estético dos elementos pré-selecionados.

5. Esboço: definição da área/formato do infográfico (altura e largura, em centímetros; não inferior a 200 cm2); escolha das fontes tipológicas e da paleta de cores a serem utilizadas; rascunho do infográfico (primeiro rascunho feito a mão, segundo rascunho em software de editoração gráfica).

6. Tratamento: definição dos elementos textuais e imagéticos a serem efetivamente aproveitados; redação dos textos (título, lead, legendas, créditos etc.); edição das imagens (contraste, brilho, tonalidade, transparência, recorte etc.); geração de gráficos (pizza, barras, colunas, linhas etc.).

7. Montagem: composição dos textos e imagens do infográfico com uso de um software de editoração eletrônica, dentro do formato pré-definido, considerando critérios de harmonia, equilíbrio, dinamismo, atratividade, clareza etc.; impressão de prova e revisão; ajustes; arte-final e acabamento.

8. Finalização: exportação do arquivo em PDF ou JPG, a ser salvo na pasta compartilhada da disciplina; produção e publicação do relatório de desenvolvimento, como comentário ao final desta página. Observação: incluir, no relatório, links para reportagens, fontes, acervos e outros materiais utilizados no processo de produção.

Links úteis: 

Referências: 
Flowing Data
NYT – Multimedia

Ferramentas:
Easi.ly
Infogr.am
Picktochart
Freepik

Dados:
Google Data

 

 

 

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

24/11/2016 às 15:09

64 Respostas para 'Roteiro para produção de infográfico'

Acompanhe os comentários com RSS ou TrackBack para 'Roteiro para produção de infográfico'.

  1. Relatório de desenvolvimento e produção:
    1. Pauta: Decidi fazer um infográfico sobre o festival de música “Lollapalooza”, sua trajetória histórica, quais as suas principais características e curiosidades. Além de ser uma pauta quente, pois a 4ª edição brasileira do festival aconteceu no fim de semana do dia (27/03), o tema é cultural, quase lúdico, o que permite uma vasta gama de uso de cores, imagens, e designs.
    2. Pesquisa informativa: O levantamento de informações foi feito através do site oficial do evento em conjunto com matérias da imprensa nacional e internacional e até mesmo outros infográficos sobre festivais. As datas, nomes das bandas principais, dados sobre o público, custos e a etimologia da palavra “Lollapalooza” foram alguns dos principais dados encontrados para produzir o infográfico.
    3. Pesquisa imagética: A seleção de imagens e ilustrações se dispõe como um mapa que ilustra uma linha do tempo, contendo datas e informações essenciais. A escolha da composição das cores e fotos se espelha no formato moderno dos logos e site do festival, como o uso dos tons de azul e laranja. A fonte similar à oficial da atual edição do Lolla permite que o leitor logo faça uma associação ao evento. Para compor texto e imagem, o site fornece algumas fotos com os devidos créditos e direitos de uso, mas algumas outras imagens são de acervo pessoal. Já a fonte é facilmente encontra no site “dafont”. O design do mapa veio da compilação de ideias entre alguns infográficos sobre festivais de música, já existentes, portanto ícones clássicos como um “ingresso” ou uma caixa de som fizeram parte da busca.
    4. Organização: A ideia original de criar uma linha temporal em forma de “mapa” facilita a hierarquização das informações e a devida atribuição dos destaques das informações mais relevantes. Como se contasse uma história, o infográfico simplifica os números e ordem dos fatos, onde aconteceu o que, com quem, e o porquê. A seleção das fotos permitiu uma visualização da “cara do festival” e do seu público, o que é de extrema importância quando se fala de segmentos culturais.
    5. Esboço: Os dois esboços feitos foram produzidos respectivamente em folha sulfite e papel milimetrado. A escolha das imagens veio posteriormente a composição geral do infográfico, ou seja, da decisão de qual informação viria primeiro e em que formato. O tamanho do infográfico foi feito de forma bem livre, pois não havia limitações, por outro lado a escolha das fontes tipológicas e da paleta de cores foi feita com cautela para manter o visual moderno do festival e de toda a compilação de informações sem torna-lo “poluído visualmente”. Nesse esboço também foi pensado o que tomaria a forma de “gráfico” e o que apareceria como informação objetiva. Decidir o uso do “versalete” em alguns pontos do infográfico foi também crucial para que a aparência dos textos fosse moderna e sutil.
    6. Tratamento: Com um número grande de matérias e informações do site oficial, a escolha dos elementos a serem aproveitados foi dificultosa. O uso do indesign (instrumento de trabalho que já possuo certo domínio) permitiu recursos de imagem e texto sem prejudicar ou encurtar as informações contidas neles.
    7. Montagem: Como já foi mencionado, o indesign e a pesquisa de outros exemplos de infográfico permitiram uma composição entre textos e imagens harmoniosas e facilmente finalizadas com satisfação, consideradas “belas”. Imaginando que o infográfico seria reproduzido, hipoteticamente, numa revista cultural, pude produzi-lo com bastante espaço numa folha A3.
    8. Fontes: http://www.lollapaloozabr.com/; http://www.lollapalooza.com/; “Lollapalooza: a excepcionalidade da música” (matéria redigida por Lia Vasconcelos e Heitor Facini)” ; acervo pessoal (Lia Vasconcelos, Camila Padilha e Marcela Rosa); http://infographicsmania.com/music-festival-expenses/; http://pt.wikipedia.org/wiki/Lollapalooza; http://g1.globo.com/musica/lollapalooza/2015/noticia/2015/03/veja-resumo-do-lollapalooza-2015-em-fotos-videos-e-textos.html; http://acritica.uol.com.br/buzz/Produtora-confirma-edicao-Lollapalooza-Brasil_0_1330067016.html;

    Lia Vasconcelos

    31/03/2015 em 1:56

  2. Lais Fernanda Esteves – Jornalismo Noturno

    Relatório do desenvolvimento do infográfico

    1. Pauta:

    Tema: Perfume: História e Curiosidades

    Sinopse:
    Pensando no crescimento do setor de perfumaria no Brasil e nas diversas funções dos perfumes, como por exemplo, a função terapêutica, o infográfico “Perfume: História e Curiosidades”, busca compreender o surgimento do perfume e as histórias que cercam o universo das essências.
    O perfume surgiu no Egito e inicialmente estava relacionado à religião. Entretanto, a partir do período renascentista as fragrâncias se popularizaram e foram aperfeiçoadas.
    Um perfume que se tornou famoso foi o Chanel Nº5, fragrância favorita da atriz estadunidense Marilyn Monroe.
    Os preços e composições são variados. Um frasco pode chegar a custar 1000 dólares, porém há opções mais baratas. A família olfativa consiste no na predominância de certas notas na composição do produto e são divididas em: amadeirado, cítrico, aromático, floral, fresco, oriental e frutal.
    No Brasil, o setor da perfumaria tem se desenvolvido. Em 2010, o país passou os Estados Unidos e faturou U$6 bilhões. O consumo e a valorização do real foram responsáveis por esse aumento. As marcas populares foram as que mais venderam, respondendo por 93% das compras.

    Enfoque: Pesquisar e reunir informações sobre a história do perfume. Descobrir curiosidades e mitos que abordam o tema. Buscar dados sobre o setor da perfumaria no Brasil.

    Material de apoio:
    http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-vira-lider-mundial-em-perfumes-imp-,715056

    http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-sao-feitos-os-perfumes

    http://inside.chanel.com/pt/marilyn/video

    http://www.sephora.com.br/perfumaria.asp

    http://www.infoescola.com/curiosidades/historia-do-perfume/

    http://www.sepha.com.br/familia-olfativa/familia-olfativa.php

    2. Pesquisa informativa:

    – De acordo com o Sebrae, o setor de perfumaria cresce à cada ano. A pesquisa publicada no site e produzida pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), mostra a cada ano, até 2015, o setor deve crescer 5%.
    – Os brasileiros são os maiores consumidores de perfume segundo a ABIHPEC.
    A paleta de um perfumista possui mais de 2,5 mil ingredientes.

    Os links abaixo apresentam o material utilizado para a pesquisa informativa e o levantamento de dados.
    http://www.tvsul.tv.br/?p=21814

    http://www.abihpec.org.br/institucional/abihpec/

    http://www.sebraemercados.com.br/perspectivas-de-mercado-ate-2015-higiene-pessoal-perfumaria-e-cosmeticos/

    http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/f569ef804822feed95bed754098589a5/2_Palestra.pdf?MOD=AJPERES

    3. Pesquisa imagética:
    As imagens utilizadas na realização do trabalho foram encontradas nos sites http://www.freepik.com.br e http://www.bobble.com .
    Os ícones utilizados foram encontrados nos sites:
    http://www.freepik.com.br
    http://www.flaticon.com
    http://www.iconarchieve.com

    4. Organização: O infográfico destaca e ordena os elementos de acordo com o enfoque. No primeiro quadro é contada a história do perfume, desde seu surgimento até à sua disseminação pelo mundo. No segundo quadro há uma curiosidade sobre o tempo de criação de um perfume. O esquema ao lado do quadro “ O perfume através dos tempos…” conta a história do famoso perfume Chanel Nº5. Os outros dois quadros descrevem as famílias olfativas dos perfumes e dados sobre o setor de perfumaria no Brasil.

    5. Esboço:
    Definição da área/formato do infográfico: Altura 18cm e largura 34cm
    Tamanho: 612cm²

    Fontes tipológicas:
    Título: Caligrafitti
    Texto: Indie Flower
    Fonte do quadro “Você sabia?”: Covered by your grace

    Paleta de cores:

    Fundo:
    Branco – #ffffff
    Títulos:
    Roxo escuro – #9900ff
    Roxo – #9900ff
    Texto:
    Preto- #000000

    Quadros:
    Verde claro 2- #b6d7a8
    Ciano claro 2 – #a2c4c9
    Roxo claro 2 – #b4a7d6
    Magenta claro 2 – #d5a6bd
    Laranja claro 2 – #f9cb9c

    Seta:
    Roxo escuro 1 – #f9cb9c

    6. Tratamento:
    A definição dos elementos textuais foi descrita no item 4. Organização. Os elementos imagéticos que compõem o infográfico consistem em uma ilustração de um frasco de perfume e uma foto da atriz Marilyn Monroe utilizando o perfume Chanel Nº5.

    Os ícones selecionados são frascos de perfumes, e tem o intuito de dividir as informações no quadro “O perfume através dos tempos”.
    No quadro “Famílias Olfativas”, os ícones consistem em flores, que estão ligadas aos perfumes e aromas.
    As informações do infográfico foram selecionadas a partir da pesquisa informativa. No quadro “O perfume através dos tempos” é contada uma breve história do perfume. No esquema “Um perfume com cheiro de mulher” é abordada a história do perfume Chanel Nº5. No quadro “Famílias Olfativas” podemos encontrar os tipos de aromas que podem compor um perfume. No quadro “Você sabia?” há uma curiosidade sobre o tempo de criação de um perfume. O quadro “No Brasil…” é composto por um dado sobre o setor de perfumaria no país.

    7. Montagem:
    Software de editoração eletrônica: Google Drawings

    8. Finalização:
    Arquivo em JPG

    Lais Fernanda Esteves

    31/03/2015 em 11:20

  3. Correção *

    8.Finalização:
    Arquivo em JPEG

    Lais Fernanda Esteves

    31/03/2015 em 11:22

  4. O tema escolhido para o infográfico foi a insônia, principalmente por experiências pessoais com esse distúrbio do sono. A arte quis elencar de forma sucinta as causas e sintomas da doença, relacionando o tema com um personagem famoso do cinema, Tyler Durden, que sofre desse mal no filme Clube da Luta. O infográfico requer uma reportagem que sustente e complemente as informações.
    Todas as informações foram retiradas do site Minha Vida, disponível em .
    A única ilustração utilizada foi a do personagem Tyler Durden hospedada numa plataforma, Deviant Art, em que artistas freelances publicam seu trabalho para divulgação. Disponível em . A imagem estava disponível para download.
    O infográfico dispõe as informações de forma simples, catalogando as principais causas e sintomas do distúrbio. Por isso mesmo necessita de uma reportagem mais detalhada que aborde todas as características e traga sugestões para a superação da doença, já que não aprofunda a temática.
    O infográfico tem dimensões de 800 px (21,2 cm) por 1147 px (30,4 cm). As fontes tipológicas usadas são Monoton para o título, Lato e Lustria para o corpo do texto. As cores vão do preto, tons cinzas e branco.
    Não houve edição da ilustração escolhida nem o uso de gráficos. O infográfico foi feito através do site Piktochart e os elementos utilizados foram retirados de lá, como, por exemplo, o círculo branco que traz a definição do conceito de insônia.

    Priscila Belasco

    31/03/2015 em 11:43

  5. 1. Pauta: A escolha do tema se deu, primeiramente, segundo uma necessidade do processo de produção dos suplementos da disciplina. Os dados apurados para a realização da matéria sobre os estúdios de games de Bauru possibilitou a realização deste infográfico. A escolha se deu, além disso, pelo próprio interesse da autora, inspirada por um infográfico interativo sobre os jogos indie brasileiros realizado pela Folha de S Paulo para o site do jornal. Tendo contato com as personagens componentes do cenário de produção de games de Bauru e reconhecendo a relevância dos mesmos para essa indústria, surgiu o desejo de ilustrar e difundir o reconhecimento do trabalho dos desenvolvedores da cidade.

    2. Pesquisa informativa: Para a concepção da ilustração superior do infográfico, o “globo de personagens”, e a tabela informativa foram usadas as informações levantadas na entrevista com os membros do Tlon Studios. Foram consultados para tanto, além disso, os sites dos estúdios correspondentes e as loja virtual Apple Store, a fim de verificar informações dos jogos de dispositivos móveis. A parte inferior esquerda do infográfico foi concebida segundo consulta da Pesquisa Game Brasil, realizada pela Sioux em parceria com a ESPM e os institutos Blend, eCGlobalNet e eCGlobalSolutions. Para a parte inferior direita, por fim, foram usados dados do I Censo da Indústria Brasileira de Jogos, realizado pelo BNDES. Ambas as pesquisas foram publicadas no ano de 2014.

    3. Pesquisa imagética: As ilustrações usadas no infográfico superior foram retiradas dos sites dos estúdios abordados. Todas as imagens tem direito liberado pelos estúdios. As demais ilustrações foram elaboradas no Illustrator do pacote Adobe. O quadro com a tabela dos jogos de Bauru possui a aparência de um box de diálogo, um elemento típico dos videogames, e o box do subtítulo “Conectados” foi criado a fim de remeter a um celular iPhone. Modelos de fonte e iconografia foram adquiridos pelo site dafont.com.

    4. Organização: Deu-se destaque às ilustrações dos personagens a fim de priorizar o reconhecimento dos jogos produzidos na cidade, visto que a existência de tais estúdios é desconhecida por muitos. O infográfico busca informar a quantidade e diversidade dos jogos e, com a tabela, o leitor pode consultar a disponibilidade e plataforma dos jogos que lhe chamaram a atenção pela ilustração. Visou-se, portanto, a divulgação dos jogos através do intuito de chamar a atenção do leitor por tais ilustrações. No mais, os dados estatísticos foram priorizados a fim de destacar a relevância e presença dos dispositivos móveis no consumo e produção da indústria brasileira de jogos. Ambas as sessões do infográfico relacionam-se no sentido de que as plataformas de disponibilização dos jogos de Bauru são exemplos dos dados selecionados sobre o mercado brasileiro, sendo oito dos quinze jogos feitos para celulares e tablets. Tais dados comprovam a tendência de produção e consumo de jogos de dispositivos móveis.

    5. Esboço: O “globo de personagens” e a tabela que o acompanha ocupam maior área do infográfico pois correspondem ao tema central abordado pela matéria do suplemento. Com isso, a região inferior e central esquerda foram destinadas ao título, linha fina e informações complementares. A tipologia e iconografia utilizadas seguem a temática dos jogos eletrônicos. Foram usadas as fontes GameCubem, PixelGameFont, GameOver, SquareFont, HyperSpace e OCR A Extended para texto e Arcade e Tetris Blocks para ícones. A paleta de cores foi definida no site paletton.com segundo a cor principal 007070, com o uso de tons roxos, verdes e amarelos que remetem à tecnologia e dialogam com as cores vibrantes das ilustrações. Foram utilizados os programas Photoshop e Ilustrator para a elaboração dos elementos ilustrativos e o InDesign para a montagem do infográfico final.

    6. Tratamento: Ambos os elementos textuais e imagéticos possuem identidades que remetem aos aspectos visuais dos games, como boxes de diálogo, símbolos de jogos arcade, celulares, fontes utilizadas no textos dos games e que remetem a temas científicos. A redação dos textos se deu no próprio InDesign e foi feita posteriormente à elaboração do “globo dos personagens”, cujos elementos não foram editados e, portanto, possuem o mesmo aspecto visual que as imagens originais.

    7. Montagem: Para a composição do infográfico foram utilizados os programas Photoshop, Illustrator e InDesign do pacote Adobe, sendo a finalização feita inteiramente neste último.

    Helena Nogueira

    31/03/2015 em 13:21

  6. 1. Pauta: o tema escolhido foi “redes sociais com mais usuários ativos no ano de 2014”, com enfoque para as cinco redes mais importantes (facebook, google+, twitter, instagram e linkedin), dando mais destaque para as três mais utilizadas.

    2. Pesquisa informativa: Os dados foram encontrados nos sites http://www.agevole.com.br/blog/redes-sociais/estatisticas-das-redes-sociais-numeros-que-vao-fazer-voce-abrir-os-olhos/ e http://postcron.com/pt/blog/tendencias-redes-sociais-2014-infograficos-estatisticas/, assim como o levantamento de informações, usando os dois sites como fontes principais e fontes complementares, necessárias para a contextualização do tema e seleção de dados estatísticos.

    3. Pesquisa imagética: A imagem de fundo foi encontrada no google imagens, o gráfico foi feito no programa power point e as fontes baixadas no site dafont.com (http://www.dafont.com/pt/olivier.font?text=76%25+dos+usu%E1rios e http://www.dafont.com/pt/nightmare-on-social-media.font?text=76%25+dos+usu%E1rios)

    4. Organização: As informações foram hierarquizadas de acordo com a colocação das redes sociais no ranking de usuários ativos e os destaques foram dados seguindo a mesma ordem.

    5. Esboço: O infográfico foi feito com resolução 720?×?540, seguindo o tamanho de um slide do power point, com uso da paleta de cores monocromática, como gráfico com tons roxos, fonte branca e fundo preto e cinza.

    6. Tratamento: A única imagem usada no infográfico é aquela encontrada no background, que possui elementos referentes ao universo das redes sociais e da informática, relacionando-se com o tema da informação apresentada. O gráfico de pizza (também conhecido como gráfico de setores ou circular) foi feito a partir da exploração da cor roxa, dividindo-se em cinco setores, fazendo referencia as cinco redes sociais com mais usuários ativos no ano de 2014.

    7. Montagem: Os textos e imagens que compõe o infográfico foram baixados do google imagens e do site dafont.com. O mesmo foi elaborado no software powerpoint, dentro do formato de slide pré-definido, considerando critérios como harmonia, equilíbrio, refinamento e clareza.

    Mariana Fernandes

    31/03/2015 em 15:25

  7. A pauta escolhida para o infográfico foi “Dicas para realizar um mochilão”. Hoje, muitos jovens, escolhem essa modalidade de viagem, que visa conhecer diferentes culturas, com baixo custo. O infográfico pode servir de apoio para uma matéria de alguma revista de turismo falando sobre o crescimento dessa modalidade de viagem, o publico alvo, principais destinos, etc.
    A pesquisa foi realizada em grupos de facebook (Mochileiros na Europa, Companhia para viajar, Mochileiros.com, entre outros), fóruns de mochileiros (mochileiros.com, voudemochila.com.br) e pessoas que já realizaram esse tipo de viagem, bem como da minha experiência pessoal planejando uma viagem para mim.
    O infográfico possui uma ilustração, retirada do site freepic.com, uma plataforma de exposição de trabalhos gráficos (disponibilizados para download).
    A hierarquização das informações foi pensada de maneira cronologia da data de decisão pela viagem até a viagem propriamente dita, com passo a passo do que a pessoa deve providenciar no decorrer do tempo. Tentou-se usar uma linguagem leve e o mais clara e acessível possível, como uma dica mesmo.
    O infográfico possui as dimensões de 843 x 760 pixels, mas pode ser diminuído ou aumentado dependendo do planejamento gráfico da página da publicação. As cores utilizadas são o laranja, vermelho, verde, para um clima descontraído, leve, com fontes em preto. As fontes utilizadas são “Bebas”, para os títulos e subtítulos e “Roboto Regular” para os textos, ambas as fontes serifadas.
    A imagem não necessitou de tratamento e o infográfico não possuí gráfico. As fontes foram testadas pensando na harmonia final do produto.
    A montagem do infográfico foi feita no software Adobe Illustrator com vários testes de exportação até o produto final.

    Juan Daniel Bezerra Jorge

    31/03/2015 em 16:24

  8. Roteiro de produção do Infográfico.
    A escolha do tema, a Representatividade Sócio Racial nos filmes norte-americanos em especial os hollywoodianos, se deu espontaneamente mediante a coincidência de diversas matérias sobre o assunto surgirem mais ou menos no período em que eu deveria definir o tema do trabalho. Devido a repentina aparição de matérias sobre o assunto e, julgo eu, a importância dessa discussão em uma sociedade midiática como a atual, foi fácil decidir o tema do infográfico.
    Entre as principais influências bibliográficas para construição do trabalho estão as reportagens, Fear of a Minority Superhero: Marvel’s Obsession with White Guys Saving the World do site The Daily Beast [http://migre.me/pfzMP], Black Representation in Marvel and DC comics , do portal Wuhstry [http://migre.me/pfzNL] e principalmente o estudo “Race/Ethnicity in 600 Popular Films: Examining On Screen Portrayals and Behind the Camera Diversity” realizado pelas pesquisadoras doutoras Stacy L. Smith, Marc Choueiti e Katherine Piper, da Escola Annenberg de Comunicação e Jornalismo da Universidade do Sul da Califórnia [http://migre.me/pfzR8].
    A partir dos dados levantados na pesquisa, usei o portal http://infogr.am para a elaboração dos gráficos e posteriormente os organizei usando o photoshop e o paint. Escolhi deixar os gráficos referentes a representação étnica dos personagens no centro, uma vez que essas são as principais informações do trabalho, e deixar nas margens os gráficos complementares, como o censo populacional dos estados unidos e a questão representativa da comunidade hispânica.
    No esboço do trabalho já pensei em utilizar gráficos diferentes para certos assuntos, uma vez que certas informações casam melhor com certos tipos de representação – como por exemplo o gráfico populacional que acabou ficando em forma de torta (pie). Ao mesmo tempo, achei importante usar elementos textuais na criação do infográfico para que houvesse uma melhor compreensão por parte do leitor. As cores usadas foram escolhidas visando uma fácil leitura e dinamismo.

    Letícia Sartori

    31/03/2015 em 19:33

  9. O tema do infográfico foi baseado no calendário de adaptações de HQs no cinema para o período de 2015 a 2020, liberado pela Comics Alliance. Decidi abordar apenas as adaptações dos próximos dois anos, 2015 e 2016 e ampliar para além das telas do cinema, abordando também as novidades na televisão.
    As adaptações de quadrinhos de super-heróis estão dominando o universo do cinema pop, tornando-se grandes fenômenos mundiais, e agregando novas gerações de fãs que vão além dos leitores de quadrinhos. A Comics Alliance juntou todos os filmes anunciados pela Marvel e Warner, além da Sony e Fox (que detêm os direitos de alguns personagens da Marvel), em um calendário que revela o que esperar para os filmes de super-heróis nos próximos seis anos, com previsão de datas e títulos. Serão 31 filmes até 2020.
    Recentemente, ocorre um fenômeno de interação, não apenas entre quadrinhos e cinema, mas agregando também a televisão. Após o sucesso da experiência nas telonas, a indústria tem apostado também em séries live action, revivendo grandes heróis dos quadrinhos em produções televisivas. Algumas dessas produções possibilitam crossovers entre o cinema e a TV.
    As informações utilizadas no infográfico foram retiradas do site da Comics Alliance, sites de emissoras televisivas que exibem as séries da Marvel e DC Comics, assim como os próprios sites da Marvel e DC e sites de entretenimento, voltados especificamente para o público de filmes e séries.
    O infográfico foi produzido em duas fases separadamente:
    •A primeira fase foi a construção de um esquema que destacasse as adaptações de HQs para o cinema e quadrinhos com previsões de data de estreia e as produtoras ou emissoras na qual a produção será exibida, divididas de forma que o leitor entenderá claramente a qual universo (Marvel ou DC) a produção pertence. Para desenvolver tal gráfico, foram selecionados ícones e cores que remetessem ao universo dos quadrinhos da Marvel e DC, dividindo o gráfico do lado esquerdo com produções da Marvel e do lado direito com produções da DC. O esquema foi produzido na plataforma livre easel.ly, onde foi mais fácil utilizar as ferramentas necessárias e a imagem é exportada com alta qualidade, diferente do Indesign, que travou diversas vezes e os ícones não apareciam ao exportar para PDF.As ilustrações foram retiradas do site colaborativo Marvel Wikia, no qual as ilustrações podem ser editadas e não possuem direitos autorais.
    •A segunda fase foi o desenvolvimento de informações mais detalhadas, com pequenas sinopses sobre cada produção citada no gráfico e a montagem de todos os elementos gráficos e os textos no Indesign.
    Para o plano de fundo foram escolhidas as cores vermelho e azul que remetem, respectivamente, à Marvel e DC, destacando a divisão dos dois Universos de super-heróis. Como o infográfico já é composto por cores fortes e muitos ícones, procurei utilizar uma tipologia mais simples para os textos, que não fosse muito chamativa, equilibrando os elementos gráficos com o conteúdo dos textos.

    Fontes utilizadas para produção do infográfico:
    COMICS ALLIANCE – comicsalliance.com
    ADORO CINEMA – adorocinema.com
    ABC TV NETWORK – abc.go.com
    O GRITO! ONLINE – revistaogrito.ne10.uol.com.br
    NETFLIX – netflix.com
    DC COMICS – dccomics.com
    MARVEL – marvel.com

    Isabel Silva

    31/03/2015 em 19:41

  10. Aluna: Érica Francisco Travain Aguiar
    Curso: Jornalismo Noturno – Turma C
    Infográfico: Universo do Batom
    A escolha do tema surgiu a partir de uma matéria do site da revista Exame (em outubro de 2014) sobre a indústria de cosméticos. Sendo assim, resolvi focar em elementos que constituem o batom, a quantidade de produtos de beleza consumidos pelas mulheres brasileiras e a um pouco da história desse cosmético. Maquiagem é um assunto que interessa uma parte das mulheres. Por isso, informar sobre a composição e o passado dos batons, por meio de um infográfico, pode se encaixar como complemento de uma matéria de revistas femininas, de um suplemento de jornal voltado para este mesmo público ou ainda para um blog ou site sobre maquiagem.
    As principais fontes foram duas notícias da revista Exame (em http://abr.ai/1MkESz5 e http://abr.ai/1CA8MsL). Como fontes complementares ainda utilizei artigos publicados no site do canal GNT (http://glo.bo/1xqsHtO) e da revista Vogue (http://glo.bo/1ONPDbR) que falavam especialmente sobre batom. Ainda como base, consultei os sites Fala Química (http://bit.ly/1CA9Fl0), o blog Truques de Maquiagem (http://bit.ly/1BBhUbM) e o How Stuff Works? (http://bit.ly/1HdW4Qm). Assim, foi possível colher dados estatísticos de venda e composição do cosmético no mundo e no Brasil.
    Para a diagramação do infográfico, busquei imagens em bancos gratuitos (com domínio público) como o Freepik, o FlatIcon e o Pixabay. Neles, encontrei a foto dos batons que utilizei ao final do infográfico, os ícones do mesmo cosmético e da granada e o vetor da boca com os lábios em vermelho. Como o vetor era vazado, inseri um retângulo na cor branca ao fundo.
    A bandeira da França foi feita por meio do agrupamento dos retângulos coloridos (azul, branco e vermelho) e o ícone do número dois através do quadrado em branco e a caixa de texto com o número. Já os outros (granada e batons) foram obtidos nos bancos de imagem e recortados para adquirirem tal formato. O batom central era um vetor que foi dividido em partes e colorido para vermelho no Photoshop. O plano do fundo do infográfico pertence ao Freepik. Os créditos de imagem foram colocados como legenda lateral esquerda na parte inferior.
    No início, dei destaque ao título do infográfico e à boca vermelha. Em seguida, uma explicação sobre a origem da palavra como uma introdução para o tema. As informações de porcentagem da composição do batom (óleo, cera, pigmento e aroma) vieram em seguida. Embaixo, estão as curiosidades sobre o uso da cor vermelha e da quantidade de cosméticos consumidos pelas mulheres brasileiras. O infográfico está organizado da parte minimalista até uma abrangência maior: explica sobre a origem (da palavra e das substâncias que formam o produto), curiosidade sobre uma cor e, por último, o consumo geral de produtos de beleza.
    Ainda como esboço, em um primeiro momento, pretendeu-se fazer o trabalho no tamanho A3 na horizontal. Contudo, a diagramação ficou muito destoante do formato de infográfico e mais próxima de uma matéria para revista. Por isso, alterei a orientação e a configuração do documento para vertical e reduzi suas medidas. Dessa forma, o infográfico adquiriu as dimensões de 35cm de altura e 15cm de largura, obtendo-se 525cm² de área.
    A fonte escolhida foi a Calibri, variando entre o estilo light, o bold e o regular e no tamanho para títulos (45 e 33pt), texto (12pt) e crédito de imagens (10pt). Não foi utilizado parágrafo para iniciar os textos e títulos. Em alguns itens, o texto foi centralizado e em outros, justificado com a última linha alinhada à esquerda. As opções da paleta de cores foram lilás, vermelho, preto, branco e azul (claros, escuros ou que tendiam ao cinza). Seguem os códigos de alguns textos e ícones:
    C=0 M=0 Y=0 K=100 (Preto)
    C=100 M=90 Y=10 K=0 (Azul, possui uma variação com transparência em 50%)
    C=0 M=0 Y=0 K=0 (Branco)
    C=15 M=100 Y=100 K=0 (Vermelho)
    Os elementos imagéticos foram definidos após a seleção das informações que seriam inseridas no infográfico. Preferiu-se, aqui, utilizar pouca quantidade de texto, somente o necessário para apresentar a curiosidade abordada e ilustrar melhor o tema. Além disso, um efeito de transparência gradiente foi utilizado na fotografia dos batons na parte inferior. Os ícones de batom que se referem à média de produtos de beleza que a mulher brasileira utiliza por dia foram utilizados para representar o número 4,8, por isso a ponta do último cosmético foi cortada.
    Para a edição, foram utilizados os softwares InDesign CC e Photoshop. A posição das imagens foram alternadas para criar um equilíbrio e um dinamismo na diagramação, por exemplo: granada (direita), batons (esquerda) e o número dois (direita). Os espaços ao lado da base do batom central foram pensados para gerar um “respiro” no infográfico.

    Érica Travain

    31/03/2015 em 19:57

  11. O tema escolhido para o infográfico foi o jogo The Witcher 3, escolhido tanto por público quanto por vários veículos de imprensa ao redor do mundo como o jogo mais aguardado de 2015, e que tem data de lançamento prevista para maio. A ideia do infográfico é apresentar os personagens do jogo para o público que não está acostumado ao universo, já que a saga The Witcher é muita famosa apenas na Polônia e entre os jogadores mais fanáticos por RPGs, e só em seu terceiro título tem adquirido grande destaque na mídia por conta do enorme marketing que a Electronic Arts – publisher do jogo – está fazendo em cima das inúmeras inovações de gameplay que o terceiro jogo da série promete apresentar. Para isso, a ideia foi fazer um infográfico bem simples, mostrando os personagens centrais e explicando brevemente quem eles são e qual o papel deles na trama. Todas as imagens foram pegas no site oficial do jogo ou então capturadas de trailers disponibilizados para o público. Já a pesquisa foi feita utilizando a lore dos próprios dois primeiros jogos da série (The Witcher e The Witcher 2), além das informações liberadas para a imprensa sobre The Witcher 3: Wild Hunt. Essas informações foram hierarquizadas em nome do infográfico/nome do jogo/nome do personagem/descrição do personagem. Para o nome do jogo utilizou-se a própria logo oficial do título, disponibilizada pela Cd Projekt Red (a empresa que desenvolve o jogo) para uso da imprensa a partir de uma pasta em FTP. Para o nome do infográfico e os nomes dos personagens foi utilizada a fonte Mason Serif Regular, que é a fonte utilizada pelos em matérias para imprensa pelos próprias desenvolvedores, sendo a fonte oficial da série The Witcher. Já para as descrições dos personagens foi utilizada a fonte Calibri, por sua serigrafia leve e que não atrapalha a leitura, seja no meio impresso ou numa tela. A imagem possui as dimensões de 6000×4000 pixels, ou 212×141 cm. As imagens utilizadas receberam tratamento mínimo, resumido apenas a retirada do fundo das imagens originais para poder exportar os personagens como imagens PNG de fundo transparente. O infográfico foi feito utilizando-se o Adobe Photoshop 6.0

    Rafael Rodrigues da silva

    31/03/2015 em 20:56

  12. RELATÓRIO DA PRODUÇÃO DO INFOGRÁFICO
    Aluna: Gabriela Vanni Arroyo
    Turma: Jornalismo Noturno

    1) PAUTA: O tema é a data ‘31 de março de 1964’, o dia em que os militares enviaram suas tropas para tirar João Goulart (Jango) da presidência do Brasil, o que deu início à ditadura militar. A data, que completa 51 anos nesta terça-feira, deve ficar na parte central do infográfico. Do lado esquerdo (representando o antes), contextualizar o período. Do lado direito (representando o depois), apresentar os desdobramentos imediatos do golpe e o que aconteceu com Jango. O objetivo do infográfico é relembrar o contexto e o fato histórico em si, através de uma abordagem clara e concisa.

    2) PESQUISA INFORMATIVA: As informações que estão no infográfico foram escritas a partir da consulta de reportagens, arquivos e documentos que estão disponíveis nos links a seguir. As consultas foram feitas no período de 24/03/2015 até 29/03/2015. Conteúdo disponível em:
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/Golpe1964
    http://www.historialivre.com/brasil/partidos_politicos.pdf
    http://www.institutojoaogoulart.org.br/conteudo.php?id=38
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/janio_quadros
    http://oglobo.globo.com/brasil/sob-aplausos-jango-novamente-sepultado-em-sao-borja-rs-10987091
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/Exilio/Exilio_no_Uruguai
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/auro_de_moura_andrade
    http://g1.globo.com/politica/50-anos-do-golpe-militar/linha-do-tempo-33-dias-do-golpe/platb/
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/biografias/jose_maria_alkmin

    3) PESQUISA IMAGÉTICA: Os dois planos de fundo, o mapa do Brasil e os ícones utilizados foram baixados de dois acervos gratuitos (o freepik.com e o flaticon.com). Os downloads desses elementos foram feitos nos dias 28 e 29 de março. O link de cada elemento baixado está a seguir:

    Plano de fundo colorido:
    http://www.freepik.com/free-vector/gradient-background_766393.htm

    Plano de fundo pergaminho:
    http://www.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=712849

    Ícone de localização:
    http://www.flaticon.com/free-icon/location-pin_62516

    Ícone de autofalante:
    http://www.flaticon.com/free-icon/man-speaking-by-a-speaker_46976

    Ícone de pessoas:
    http://www.flaticon.com/free-icon/multiple-users-silhouette_33308

    Ícone de tanque de guerra:
    http://www.flaticon.com/free-icon/war-tank_67740

    Ícone de passos:
    http://www.flaticon.com/free-icon/human-shoes-footprints_21780

    Ícone do forte:
    http://www.flaticon.com/free-icon/fortress-tower-antique-building-silhouette-of-a-computer-game_31114

    Ícone de martelo:
    http://www.flaticon.com/free-icon/legal-hammer-symbol_48853

    Ícone de político:
    http://www.flaticon.com/free-icon/man-in-suit-and-tie_3729

    Mapa do Brasil:
    http://www.flaticon.com/free-icon/brazil-map_47442

    4) ORGANIZAÇÃO: Antes de escolher o tema, fiz uma pesquisa inicial sobre as possíveis datas históricas existentes no mês de março. Após perceber que o passo inicial (e efetivo) para a ditadura militar de 64 foi dado no dia 31/03, decidi fazer sobre o assunto. Para isso, primeiro fiz uma pesquisa inicial sobre o tema. Depois, separei diversas informações sobre o período. O terceiro passo foi selecionar quais dessas informações entrariam no infográfico, a ordem e a relevância de cada informação também foram decididas nesse momento. Após a seleção e a organização, rescrevi o conteúdo seguindo a linguagem desejada (apresentar os acontecimentos usando o tempo verbal no passado). O passo final foi adaptar o tamanho do conteúdo para que ele coubesse no espaço pré-estabelecido pelo esboço (item 5).

    5) ESBOÇO:
    Tamanho:
    Ao fazer um rascunho em folha sulfite, determinei o tamanho do infográfico (uma folha A4 na horizontal): Largura: 297 mm/ Altura: 210 mm/ Área: 62370 mm (623,70 cm). Essas medidas desconsideram os 12,7 mm de margem nos quatro lados. Após escolher o tamanho, determinei o formato: um retângulo com o conteúdo distribuído em três colunas.
    Fontes tipológicas:
    Estipulei utilizar fontes mais arredondadas (Comic Sans MS, Gadugi e Tahoma). Utilizei versalete apenas nas datas em destaque.
    Paleta de cores:
    As cores predominantes são tons de verde água e mostarda. A padronização está apenas na cor preta da fonte (K100) e no box mostarda das datas em destaque (C6 M32 Y100 K4).

    6) TRATAMENTO: Como indicado no item 4 (organização), escrevi todo o conteúdo antes de estipular a diagramação, assim, já havia decidido que as diferentes datas seriam uma característica marcante do meu infográfico. Optei por organizar o conteúdo em três colunas fixas, de modo que seguir as colunas foi uma alternativa para manter a linearidade do conteúdo e direcionar o leitor sem ter a necessidade de separar o conteúdo por linhas ou setas. Para dar destaque, escolhi usar planos de fundos levemente coloridos e com transparências. Escolhi fazer uma diagramação não completamente séria, por considerar que a seriedade maior já está no tema, sendo que utilizei detalhes mostarda pelo fato da cor despertar em nós uma memória histórica.

    7) MONTAGEM: Montei o infográfico no InDesign CS6.

    8) FINALIZAÇÃO: O infográfico foi salvo nas compartilhadas em pdf.

    Gabriela Arroyo

    31/03/2015 em 22:25

  13. RELATÓRIO DA PRODUÇÃO DO INFOGRÁFICO
    Aluna: Gabriela Vanni Arroyo
    Turma: Jornalismo Noturno

    1) PAUTA: O tema é a data ‘31 de março de 1964’, o dia em que os militares enviaram suas tropas para tirar João Goulart (Jango) da presidência do Brasil, o que deu início à ditadura militar. A data, que completa 51 anos nesta terça-feira, deve ficar na parte central do infográfico. Do lado esquerdo (representando o antes), contextualizar o período. Do lado direito (representando o depois), apresentar os desdobramentos imediatos do golpe e o que aconteceu com Jango. O objetivo do infográfico é relembrar o contexto e o fato histórico em si, através de uma abordagem clara e concisa.

    2) PESQUISA INFORMATIVA: As informações que estão no infográfico foram escritas a partir da consulta de reportagens, arquivos e documentos que estão disponíveis nos links a seguir. As consultas foram feitas no período de 24/03/2015 até 29/03/2015. Conteúdo disponível em:
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/Golpe1964
    http://www.historialivre.com/brasil/partidos_politicos.pdf
    http://www.institutojoaogoulart.org.br/conteudo.php?id=38
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/janio_quadros
    http://oglobo.globo.com/brasil/sob-aplausos-jango-novamente-sepultado-em-sao-borja-rs-10987091
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/Exilio/Exilio_no_Uruguai
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/auro_de_moura_andrade
    http://g1.globo.com/politica/50-anos-do-golpe-militar/linha-do-tempo-33-dias-do-golpe/platb/
    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/biografias/jose_maria_alkmin

    3) PESQUISA IMAGÉTICA: Os dois planos de fundo, o mapa do Brasil e os ícones utilizados foram baixados de dois acervos gratuitos (o freepik.com e o flaticon.com). Os downloads desses elementos foram feitos nos dias 28 e 29 de março. O link de cada elemento baixado está a seguir:

    Plano de fundo colorido:
    http://www.freepik.com/free-vector/gradient-background_766393.htm

    Plano de fundo pergaminho:
    http://www.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=712849

    Ícone de localização:
    http://www.flaticon.com/free-icon/location-pin_62516

    Ícone de autofalante:
    http://www.flaticon.com/free-icon/man-speaking-by-a-speaker_46976

    Ícone de pessoas:
    http://www.flaticon.com/free-icon/multiple-users-silhouette_33308

    Ícone de tanque de guerra:
    http://www.flaticon.com/free-icon/war-tank_67740

    Ícone de passos:
    http://www.flaticon.com/free-icon/human-shoes-footprints_21780

    Ícone do forte:
    http://www.flaticon.com/free-icon/fortress-tower-antique-building-silhouette-of-a-computer-game_31114

    Ícone de martelo:
    http://www.flaticon.com/free-icon/legal-hammer-symbol_48853

    Ícone de político:
    http://www.flaticon.com/free-icon/man-in-suit-and-tie_3729

    Mapa do Brasil:
    http://www.flaticon.com/free-icon/brazil-map_47442

    4) ORGANIZAÇÃO: Antes de escolher o tema, fiz uma pesquisa inicial sobre as possíveis datas históricas existentes no mês de março. Após perceber que o passo inicial (e efetivo) para a ditadura militar de 64 foi dado no dia 31/03, decidi fazer sobre o assunto. Para isso, primeiro fiz uma pesquisa inicial sobre o tema. Depois, separei diversas informações sobre o período. O terceiro passo foi selecionar quais dessas informações entrariam no infográfico, a ordem e a relevância de cada informação também foram decididas nesse momento. Após a seleção e a organização, rescrevi o conteúdo seguindo a linguagem desejada (apresentar os acontecimentos usando o tempo verbal no passado). O passo final foi adaptar o tamanho do conteúdo para que ele coubesse no espaço pré-estabelecido pelo esboço (item 5).

    5) ESBOÇO:
    Tamanho:
    Ao fazer um rascunho em folha sulfite, determinei o tamanho do infográfico (uma folha A4 na horizontal): Largura: 297 mm/ Altura: 210 mm/ Área: 62370 mm (623,70 cm). Essas medidas desconsideram os 12,7 mm de margem nos quatro lados. Após escolher o tamanho, determinei o formato: um retângulo com o conteúdo distribuído em três colunas.
    Fontes tipológicas:
    Estipulei utilizar fontes mais arredondadas (Comic Sans MS, Gadugi e Tahoma). Utilizei versalete apenas nas datas em destaque.
    Paleta de cores:
    As cores predominantes são tons de verde água e mostarda. A padronização está apenas na cor preta da fonte (K100) e no box mostarda das datas em destaque (C6 M32 Y100 K4).

    6) TRATAMENTO: Como indicado no item 4 (organização), escrevi todo o conteúdo antes de estipular a diagramação, assim, já havia decidido que as diferentes datas seriam uma característica marcante do meu infográfico. Optei por organizar o conteúdo em três colunas fixas, de modo que seguir as colunas foi uma alternativa para manter a linearidade do conteúdo e direcionar o leitor sem ter a necessidade de separar o conteúdo por linhas ou setas. Para dar destaque, escolhi usar planos de fundos levemente coloridos e com transparências. Escolhi fazer uma diagramação não completamente séria, por considerar que a seriedade maior já está no tema, sendo que utilizei detalhes mostarda pelo fato da cor despertar em nós uma memória histórica.

    7) MONTAGEM: Montei o infográfico no InDesign CS6.

    Gabriela Arroyo

    31/03/2015 em 22:27

  14. NOME: GABRIELE RODRIGUES ALVES DA SILVA
    JORNALISMO NOTURNO

    ROTEIRO DE PRODUÇÃO DO INFOGRÁFICO:
    DE OLHO NA ALFÂNDEGA- ENTENDA AS REGRAS PARA VIAGEM AÉREAS EM CINCO PASSOS
    1.PAUTA/ TEMA: O tema escolhido para o infográfico foi alfândega e as principais recomendações para os passageiros que realizam ou pretendem realizar viagens aéreas e desejam adquirir mercadorias no exterior. O infográfico aborda as instruções mais básicas em cinco passos. Entre a abordagem estão: o conceito de alfândega, as cotas existentes sobre os produtos e as punições para os que infringem as leis, além dos produtos taxados e não taxados.
    ENFOQUE: O infográfico esquematiza as instruções mais básicas quanto às regras que a alfândega brasileira prenuncia para os passageiros que desembarcam em nosso país. As informações são voltadas, sobretudo para aqueles leitores que ainda não fizeram sua primeira viagem para o exterior, e que temem pelo excesso de compras quando visitarem um novo destino. Dessa forma o infográfico busca responder:
    O que é a alfândega?
    Quem são as pessoas que devem seguir as regras da alfândega?
    Como é utilizada?
    Onde o passageiro deverá estar atento?
    Quando deverá tomar as providências?
    Por que elas são importantes para ele e para o controle da Receita Federal

    2. PESQUISA INFORMATIVA:
    Para conhecimento das informações contidas no infográfico, foi necessário consultar o manual do passageiro da Infraero, o site da Receita Federal, bem com algumas matérias que saíram sobre a alfândega e que apresentam situações que confundem muito o leitor. Dessa forma foram levados em consideração, os seguintes aspectos:
    -A dúvida do passageiro quanto ao trabalho desse órgão público brasileiro.
    -Os produtos que podem ou não ser taxados, uma vez que isso já orienta até mesmo as compras do passageiro. Ajuda também a nortear para que ele não passe por surpresas desagradáveis na hora do desembarque.
    -A importância de agir com honestidade e não tentar infringir as leis do país.
    Os links para apoio foram:
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/4-dicas-para-nao-se-dar-mal-na-alfandega-em-viagens
    http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2014/02/regras-de-bagagem-na-alfandega-podem-confundir-passageiro-entenda.html
    http://www.infraero.gov.br/images/stories/mccw/guiapassageiro.pdf
    http://www.receita.fazenda.gov.br/grupo1/aduana.htm

    3. PESQUISA IMAGÉTICA:

    *IMAGEM MESTRA
    Para obter o efeito pretendido com a ideia dos cinco passos, foi escolhida uma imagem central com cinco elementos: passagens aéreas, três malas de cores e tamanhos diferentes e o símbolo do Globo Terrestre.

    *Ícones: Os ícones escolhidos foram utilizados para:
    – ilustrar a numeração de cada passo (mala de viagem)
    – indicar a ordem de leitura do infográfico (avião)
    – ilustrar o conteúdo de cada box ( produtos taxados e não taxados, indicação de cotas, etc..)

    *Linhas – todas as linhas utilizadas foram confeccionadas utilizando o software. Há dois tipos de linhas:
    – em pontos para separar o título da linha fina
    – pontilhada para indicar a leitura do infográfico fazendo alusão à rota de viagem

    *Padrões:
    -As cores adotadas para o texto foram os tons branco e preto. A cor preta foi utilizada para destacar títulos dos boxes em vermelho e verde. A cor branca é utilizada no corpo do texto de todo o infográfico. Um box preto exclusivo foi confeccionado e utilizado com um ícone de alerta para indicar que há também outra cota para compras realizadas nos aeroportos. Quanto ao texto, todos os títulos estão em caixa alta e o texto em caixa baixa. Todos os ícones e imagens utilizadas foram verificados quanto aos termos autorais e estão disponíveis nos links:
    http://www.flaticon.com/search/alfandega
    http://www.flaticon.com/search/computer
    http://www.flaticon.com/free-icon/smartphone_15874
    https://www.iconfinder.com/search/?q=computer&price=free
    https://www.iconfinder.com/search/?q=phon
    https://www.iconfinder.com/icons/283941/camera_device_recorder_video_icon#size=128
    http://www.morguefile.com/archive/#/?q=luggage&sort=pop&photo_lib=morgueFile – banco de imagens

    4. Organização: A informação foi hierarquizada da seguinte maneira:
    – O passo a passo é melhor articulado, pois contém as informações em texto, organizado em cinco boxes quadrados. Cada box numerado é interligado aos demais por uma linha pontilhada. Em cada linha há o ícone do avião indicando o trajeto de leitura a ser seguido. Ele tem mais destaque.
    – A imagem do meio tem um tamanho maior para que haja destaque das bagagens e suas cores.
    – Como vermelho é uma cor que gera maior sensibilidade ao olho humano, foi atribuída exclusivamente ao passo a passo, que é a ferramenta que traz as informações sobre a alfândega. Os boxes em verde são as particularidades dos boxes em vermelho.
    – Os números 1,2,3,4 e 5 são um recurso para numerar as cinco dúvidas mais frequentes quando o assunto é alfândega.
    – Cada box é iniciado por um pergunta, como se fosse um questionamento do leitor. Dessa forma, permite-se que ele se identifique com a leitura.

    5. Esboço, tamanho, fontes tipológicas e paleta de cores
    *Tamanho do infográfico: A4- direção vertical (210X297mm²)
    *Página: 10 linhas/ 2 colunas/ Margem 2
    *Fontes: A fonte escolhida foi Segoe Sans Pro em tamanho 13 para todo o infográfico, com espaçamento 17, sem serifa. O título tem tamanho 24 em caixa alta e a linha fina 20, em caixa baixa.

    *Outras ferramentas: O recurso de recuo 1p² foi utilizado, bem como a hifenização e texto justificado.

    *Paletas de Cores: Branco; para o corpo do texto de todo o infográfico; Preto para títulos dos boxes e para linha fina e linhas; Vermelho (C=15,M=100, Y=110, K=0) para box passo a passo; Verde (C=52, M=5, Y=100, K=0) para box verde complementar. As cores utilizadas estão também na imagem central usada no infográfico e são cores que remetem à bagagem.

    6. Tratamento: Texto redigido por Gabriele Alves, nenhuma imagem foi editada. Confecção própria de linhas, boxes, títulos e caixas. Ícones retirados dos sites que podem ser acessados pelos links.

    7. Montagem:
    *Software: InDesign CS5
    *PowerPoint- para verificação de resolução das imagens
    *Acabamento: Sem reforço de margem.

    8. Finalização- Infográfico em PDF será armazenado na pasta compartilhada na próxima aula, visto que a entrega em 31/03/2015 foi adiada pelo professor.

  15. Relatório de desenvolvimento – Mariana Uberti Kohlrausch
    Jornalismo Noturno – Turma C

    1. Pauta: Para escolher o tema, procurei por notícias relacionadas a filmes e séries para fazer um infográfico de tema mais descontraído. Encontrei em alguns sites listas dos filmes mais esperados de 2015 e decidi fazer o infográfico com 10 filmes que foram ou serão lançados neste ano. O tema acabou ficando frio devido ao fato de alguns filmes já terem estreado e saído do cinema (Birdman, no caso, ganhou o Oscar de Melhor Filme), mas achei o tema interessante para um infográfico devido à possibilidade de fazer uma linha do tempo e utilizar muitas imagens.

    2. Pesquisa informativa: Com base nas listas encontradas nos sites de notícias, selecionei os10 filmes que mais apareceram nelas ou que estavam criando mais expectativa,de acordo com as reportagens. A pauta foi pensada com base nos seguintes links e o texto foi escrito baseado em todas elas:
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/01/150101_estreias_hollywood_2015_rb
    http://oglobo.globo.com/cultura/filmes/os-filmes-mais-aguardados-de-2015-14979999
    http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2015/01/star-wars-vingadores-minions-os-filmes-mais-esperados-de-2015.html

    3. Pesquisa imagética: A primeira ideia era utilizar imagens de divulgação dos filmes citados, mas o espaço era pequeno para imagens grandes. Por isso, preferi utilizar apenas ícones que remetessem ao tema do filme ou que estivessem relacionados aos personagens. Como grande parte dos filmes são sequências bastante conhecidas, foi fácil pensar em um ícone marcante de cada um. Todos os ícones foram de bancos de imagens gratuitos, como o Freepick.com e o Flaticon.com. Para o fundo do infográfico procurei imagens que remetessem ao tema cinema, como o pattern vermelho, as pipocas e o rolo de filme. Todas as imagens utilizadas para o fundo também são do banco de imagens gratuito Freepick.com.

    4. Organização: Na hora de montar o infográfico, decidi colocar os filmes em ordem de lançamento. Começando por Birdman, lançado em janeiro, e encerrando com Star Wars Episódio VII, que estreia em dezembro. O desafio foi encaixar todos os filmes no espaço disponível e deixá-los na ordem certa para a leitura. Por isso, espalhei os textos pela página, mas liguei um filme ao outro na ordem correta com linhas pontilhadas. Assim, as linhas guiam a leitura para o sentido correto, saindo do texto de abertura, até o último filme. Deixei o título do infográfico com bastante destaque, no canto superior do lado esquerdo, para enfatizar o tema. A partir dali, todos os títulos dos filmes seguiram a ordem de acordo com as linhas.

    5. Esboço: O tamanho do infográfico foi pensado com base em duas páginas de revista de tamanho 20 cm X 26,5 cm cada. O pattern vermelho do fundo foi escolhido para remeter ao tema do cinema e as demais cores utilizadas foram escolhidas para contrastar com o fundo. Elas são: azul (R:0 G:174 B:239 ) , amarelo (R:255 G:243 B:77 ) e verde (R:65 G:173 B:73 ). O infográfico ficou bem colorido, pois o tema mais descontraído permite o uso de cores chamativas. Os ícones pretos contrastam com as demais cores e ficam destacados. Foram utilizadas três fontes diferentes: Arial, na cor branca (R:255 G:255 B:255 )para o texto dos boxes, Broadway no chapéu, na cor amarela (R:255 G:243 B:77 ) e Badaboom BB (baixada do site dafont.com – link: http://www.dafont.com/pt/badaboom-bb.font) no título do infográfico e nos nomes dos filmes. No título a fonte está em vermelho (R:210 G:35 B:42 ) e nos nomes em branco (R:255 G:255 B:255 ). Os textos estão em branco para aparecerem melhor nos fundos coloridos e o título está em vermelho para ter bastante destaque na caixa amarela. As caixas de texto das descrições dos filmes são da mesma cor da caixa do título de cada um, mas com transparência 50%.
    O primeiro rascunho feito à mão trazia a caixa com o título do infográfico no centro das duas páginas e a ideia inicial era que os filmes ficassem ao redor do título. Na hora de colocar em prática no InDesing isso não foi possível, porque muito espaço era desperdiçado e os textos ficaram em ordem confusa.

    6. Tratamento: Depois de procurar reportagens com o tema, defini os 10 filmes e escrevi os textos de cada um e o texto de abertura. Foquei no fato de 2014 não ter sido um bom ano para as maiores estreias do cinema e disse o por quê de cada um dos 10 filmes estar na lista dos mais esperados de 2015. Os textos ficaram curtos para não cansarem o leitor e passarem o mais importante: as datas de estreia e o por quê de ser tão esperado.
    Para o fundo do infográfico, havia selecionado diversas imagens relacionadas ao cinema, como pipocas, letreiros e rolos de filme. Poucas dessas imagens foram utilizadas para que não ficasse muito poluído. Tive dificuldade em recortar algumas delas, por isso não utilizei os letreiros e outros ícones. Na hora de colocar os textos, procurei utilizar caixas para separá-los do fundo e dar mais destaque. A transparência foi usada nas caixas de descrição dos filmes, para o infográfico não ficar muito poluído. Os ícones utilizados para representar os filmes foram colocados no fim de toda a construção. Alguns já estavam sem fundo e outros precisaram ser recortados.

    7. Montagem: No software de editoração, mudei a posição inicial do título para o canto superior esquerdo (no esboço feito à mão ele estava no meio).Tentei fazer com que todos os filmes tivessem uma linha que ligasse cada nome à caixa do título. Não foi possível, porque as linhas ocupavam muito espaço na página e estavam deixando tudo muito confuso. Decidi então espalhar os textos e ligá-los um ao outro em ordem, ao invés de ligá-los ao título do infográfico. Ficou mais claro, menos poluído, mais fácil de seguir a ordem correta de leitura e sobrou mais espaço para os ícones. Depois do encaixe dos textos, coloquei os ícones dos filmes nos espaços que sobraram.

    Mariana Uberti Kohlrausch

    07/04/2015 em 15:32

  16. “Seis passos para não errar na hora de planejar sua empresa”
    Considerando o atual cenário econômico brasileiro, vemos que existe um incentivo cada vez maior ao empreendedorismo, com grande destaque para pequenas empresas, startups, etc. Sabemos também que existem muitas etapas a serem superadas pra que a atividade empreendedora obtenha sucesso. Por esse motivo, escolhi esse tema não factual (), mas de fundamental importância, e o infográfico produzido poderia ilustrar, por exemplo, de maneira didática, uma matéria de revista mais abrangente sobre o assunto em questão.
    Foi utilizada uma única matéria do site da revista EXAME, disponível no link: (http://exame.abril.com.br/pme/noticias/6-passos-para-nao-errar-na-hora-de-planejar-sua-empresa)
    A ideia foi utilizar o infográfico como uma alternativa ao texto corrido, visualmente mais atraente. Portanto, não houve fontes complementares ou comparação de reportagens. Considerando também o fato de que o infográfico poderia ser utilizado já como ilustração de uma matéria, optei por não incluir fotografias ou ilustrações para não produzir nenhum nível de poluição visual. Utilizei um ícone em cada etapa, de modo que cada imagem fizesse alusão direta ao seu tópico correspondente
    Como o conteúdo é dividido em seis etapas, a hierarquização foi bastante equilibrada, com cada um dos tópicos recebendo a mesma importância que os demais. Atribuí maior destaque ao título e ao texto introdutório para que, logo à primeira vista, o tema escolhido ficasse evidente. Trabalhei com dimensões em larga escala para que a imagem não perdesse qualidade no caso de precisar ser reduzida.
    Decidi colocar cada coluna/tópico de uma cor (azul, laranja, verde, rosa,amarelo e lilás) para tornar o infográfico mais chamativo sem ser “berrante”. Para o título, o texto introdutório, os subtítulos e os ícones, deixei a cor preta, que contrasta com o branco dos blocos de texto de cada tópico, dos números das etapas e das formas geométricas de cada ícone. Todo o projeto foi construído através do site http://www.easel.ly, que possibilitou a produção com tantos recursos quanto os softwares mais sofisticados poderiam oferecer, mas de uma maneira muito mais fácil de “manusear”.

    Lucas Alonso

    28/04/2015 em 18:58

  17. 1) Pauta: Escolhi o tema “poderio militar da Coréia do Norte” devido aos recentes embates que estão acontecendo entre o mundo ocidental e o país comunista.. Após o teste da Bomba-H, o risco de guerra se tornou eminente. Por esse motivo, resolvi condensar os dados militares do país em um infográfico(ação comum nos grandes jornais ao menor sinal de confontro armado)..

    2) Pesquisa informativa: Utilizei para levantar informações notícias recentes de jornais e de blogs especializados em “forças armadas”. Há dúvidas quanto a veracidade das declarações que o governo norte coreano faz sobre armas em sua posse, enunciei isso no infográfico mas coloquei o que foi declarado pelo governo do país.

    3) Pesquisa imagética: Desenvolvi a bandeira do país no Adobe Illustrator, imagem essa que foi usada como fundo do infográfico. A estrela da bandeira norte-coreana foi usada como forma de enumerar os tópicos do infográfico.
    O restante dos itens foram retirados do site “flash icon”, como não paguei pelo direito nenhum, ao utilizá-los de maneira profissional o site dá a opção de apenas dar o devido crédito ao autor da imagem.

    4) Organização: Organizei as informações seguindo o que é mais “impressionante/perigoso” no exército em questão.

    5) Esboço: Não fiz nenhum esboço. A paleta de cores utilizada foi a da bandeira norte-coreana. Os ícones escolhidos foram os que melhor representavam a informação que seria dada a seguir. A fonte utilizada é a “arial”, simples e limpa.

    6) Tratamento: O infográfico foi feito com a intenção de simplificar e disponibilizar toda a informação achada sobre o poderio militar do país. O uso da bandeira do país como parte do infográfico foi um recurso estético, já que a estrela disponibilizava a numeração necessária para relacionar as informações necessárias.

    7) Montagem: Utilizei o Adobe Illustrator como recurso para fazer a bandeira, com fins estéticos, e o Adobe Indesign para colocar os textos de forma harmônica. O formato do infográfico foi pensando para que coubesse dentro da bandeira norte coreana.

    8) Fontes: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/quais-sao-os-dez-exercitos-mais-poderosos-do-mundo
    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/01/09/coreia-do-norte-exibe-video-de-novos-testes-de-misseis-lancados-de-submarino.htm
    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/01/coreia-do-norte-diz-ter-feito-teste-de-bomba-de-hidrogenio-bem-sucedido.html
    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/05/150511_poderio_coreia_do_norte_lgb
    http://noticias.uol.com.br/infograficos/2013/04/09/saiba-qual-e-o-arsenal-da-coreia-do-norte-e-entenda-a-tensao-entre-os-paises.htm

    Vitor José Azevedo

    11/01/2016 em 18:28

  18. Pauta: Com o lançamento do episódio VII do Star Wars, resolvi produzir o infográfico buscando verificar o quão bem ele se localiza perto de outros grandes sucessos de bilheteria do cinema

    Pesquisa Informativa: Levantei informações com base em reportagens antigas de alguns sites americanos, como o Wall Street Journal, Box Office Mojo e New York Times. A lista foi encontrada na edição de 2015 do Guiness Book.

    Pesquisa Imagética: Utilizei poucas imagens, apenas os cartazes originais dos lançamentos dos filmes.
    O layout e ícones utilizados (medalhas de premiação) foram extraídos de vetores gratuitos encontrado no Freepik.

    Organização: Enfatizei meu trabalho no tratamento do layout principal, as linhas que lembram um rolo de filme de cinema, junto dos cartazes e as principais informações como colocação do filme e renda em números grandes, pois eram as informações mais chamativas e importantes do infográfico. Dediquei atenção extra a fonte do título da matéria, para que fosse bonita e chamativa.

    Esboço: O infográfico teve seu tamanho definido após a definição do tamanho que cada filme e informações ocupariam, para que os demais detalhes fossem adicionados posteriormente. Não fiz nenhum esboço prévio, fui moldando aos poucos o que fiz desde a primeira vez. As cores utilizadas foram as mesmas do vetor original, e a fonte foi alterada.

    Tratamento: As imagens dos cartazes foram alinhadas e ajustadas do mesmo tamanho, posteriormente, adicionei os textos uniformemente e finalizei com o pequeno texto que explica como a lista foi elaborada.

    Montagem: Após definir o espaço que os cartazes ocupariam, os demais elementos foram adicionados e ajustados. O software utilizado foi o Adobe Illustrator, e a confecção foi até aonde o meu conhecimento da ferramenta permitiu

    Guilherme Sette Fernandes

    11/01/2016 em 22:28

  19. 1. Pauta: O tema escolhido foi Universidades, buscando comparar a distribuição das unidades de ensino, com a quantidade de alunos matriculados e dos investimentos financeiros afim de expandir a visão do leitor sobre quem cursa e mantém as instituições de ensino no país.

    2. Pesquisa informativa: As pesquisas sobre o assunto basearam-se em teses de mestrado, dados do Ministério da Educação e do INEP.

    3. Pesquisa imagética: Houve uma busca sobre ícones relacionados ao contexto da universidade para buscar aproximar o público do assunto. Depois, uma busca pelos elementos imagéticos que traduziriam informações, como mapa e bonecos.

    4. Esboço: O infográfico foi planejado para meia folha A3, horizontalmente. As fontes dos textos e legendas são não serifadas (Arial), enquanto a dos títulos é mais quadrada, na ideia de “retrato”, título do infográfico (Homestead Regular). A escolha pelo preto e branco é devido a coprodução do suplemento, pois o infográfico será impresso em um maior número de cópias, em preto e branco, na edição do suplemento. O trabalho foi desenvolvido no CorealDraw.

    5. Links:

    Conteúdo jornalístico

    http://noticias.r7.com/educacao/brasil-tem-73-milhoes-de-estudantes-universitarios-diz-mec-09092014

    http://www.mundovestibular.com.br/articles/17489/1/40-dos-estudantes-de-ensino-superior-sao-da-regiao-sudeste/Paacutegina1.html

    http://www.ebc.com.br/educacao/2014/09/numero-de-matriculados-no-ensino-superior-ultrapassa-73-milhoes

    http://download.inep.gov.br/download/estatisticas/gastos_educacao/rbep_200_parteII.pdf

    http://download.inep.gov.br/download/estatisticas/gastos_educacao/rbep_200_parteIII.pdf

    Design (vetores)

    https://infogr.am/
    http://br.freepik.com/vetores-gratis/variedade-de-icones-do-dinheiro_785805.htm
    http://d-maps.com/carte.php?num_car=4844&lang=en
    http://br.freepik.com/vetores-gratis/jogo-de-setas-desenhadas-mao_764189.htm

    Ana Flávia L. Cézar

    12/01/2016 em 0:25

  20. O que é a APLIC?

    A ideia de trabalhar a terminologia APLIC surgiu da dificuldade de entender os conceitos relativos à economia criativa. Assim, a proposta do infográfico é explicar o que significa o termo, como funciona e seus exemplos na perspectiva dos estudos realizados pelo Núcleo de Estudos e Observação em Economia Criativa – NeoCriativa.
    Dividi o infográfico em cinco parte para detalhar as informações: a primeira diz respeito à nomenclatura e sua breve história dentro do NeoCriativa; a segunda é a demonstração da quantidade de APLICs identificados pelos grupos desde que se tem registro. A terceira é a classificação dos grupos criativos em núcleos, introduzindo um conceito de economia criativa para melhor compreensão do que é. Os exemplos propriamente ditos dos APLICs estão na quarta parte e a quinta, por sua vez, aponta a distribuição territorial dos arranjos em Bauru.
    Os recursos utilizados para ilustrar os pilares acima foram o Infogram – para a geração dos dois gráficos e da linha do tempo – e o Google Maps, para representar o território criativo de Bauru. O material foi produzido no InDesing, toda a iconografia foi obtida no site flaticon.com e as fontes usadas foram Novecento Wide para títulos, Lato para textos informativos, Fragment Core para textos sobre APLICs e Calibri para legendas dos gráficos.
    As cores escolhidas fazem relação à liberdade criativa dos arranjos, por isso é uma paleta sólida e múltipla.
    Por fim, encerrei o infográfico com uma assinatura do NeoCriativa, possibilitando o uso do conteúdo autoral pelo Núcleo.

    Ana Carolina Moraes

    12/01/2016 em 0:34

  21. Observações extras

    CorelDraw*

    1. Interessante destacar que o infográfico é complementar, portanto com informações novas, à uma reportagem sobre o tema Universidades, que ocuparia a primeira metade da folha A3. Por isso, não requer tamanha contextualização textual.

    2. O infográfico, embora não colorido, varia em escalas de cinza. O texto é padronizado no tom 80% black, contrapondo-se ao título do gráfico, 40% black, e da legenda, 20% black.

    3. A variação entre cor, tamanho e angulagem dos textos busca quebrar a monotonia provocada pela ausência de cor.

    4. O uso das setas e a inserção dos bonecos ligados ao mapa objetivam reduzir volume de texto explicativo e proporcionar uma ligação direta entre imagem e informação.

    5. O gráfico feito de livros está ampliado pois não encontrei ícones ou vetores com contraste suficiente para caso, sem cor, ainda parecer um livro. Ou, em preto e branco, livros que pudessem ser empilhados sem soar confusos de o que era a imagem representada.

    Ana Flávia L. Cézar

    12/01/2016 em 0:44

  22. Infográfico LatinNCAP

    1. Pauta: A pauta que escolhi traz uma análise dos recentes e alarmantes resultados de testes de segurança automotiva (crash-tests) realizados pelo LatinNCAP, braço latino do Global NCAP – organização não governamental e sem vínculos com montadoras que testa a segurança dos automóveis vendidos em todo o mundo. A motivação da escolha foi a constatação de que carros brasileiros apresentavam nível de segurança semelhante aos europeus de 20 anos atrás. Parte desse problema foi corrigido em 2014, com a obrigatoriedade de freios ABS e Airbag duplo para todos os carros vendidos no mercado nacional. O teste também mostra a baixa qualidade dos carros importados da China, especialmente em suas versões sem airbags (vendidas até 2013 no Brasil e que ainda são oferecidas em outros países do continente).

    2. Pesquisa informativa: A apuração se deu, basicamente, pelo próprio site da organização. Lá, além da explicação detalhada das etapas do teste e dos pontos de análise, estão os mais diversos dados sobre segurança automotiva. Consta, por exemplo, além da nota geral no modelo testado, análises detalhadas da deformação do monobloco (parte estrutural da carroceria) e também dos pontos críticos de ferimentos aos dummies (bonecos com sensores de impacto utilizados como passageiros). Bastou, portanto, colher minuciosamente esses dados e dispô-los de forma comparativa, de modo a traçar uma média aritmética dos modelos mais e menos seguros e também das notas de acordo com os países de origem.

    3. Pesquisa imagética: A imagem principal (de um carro durante o teste) foi colhida do próprio acervo de imagens da instituição e editada no Photoshop para parecer ficar maior e abrigar um campo de tonalidade vermelha onde outras informações seriam dispostas. Há também imagem de outros carros, que foram recolhidas de materiais de divulgação das próprias montadoras. Com relação aos ícones, também os coletei do já utilizados pelo próprio site da instituição. De criação autoral, porém, há os ícones dos países representados no teste feitos com edição no Photoshop.

    4. Organização: O infográfico em si foi disposto numa página de formato Standard após um pequeno texto introdutório. Com relação à organização interna, preferi hierarquizar a informação deixando como componente mais relevante a metodologia do teste (quais partes do automóvel são consideradas na pontuação e como se mensura os ferimentos do dummie). Em seguida, apresento dois rankings. À esquerda, o que trata da pontuação individual dos automóveis, contemplando os mais seguros e os menos seguros, respectivamente. À direita, a pontuação de acordo com o país de origem do carro testado. Ou seja, os eixos informacionais são 3: metodologia do teste (parte superior da página), pontuação dos automóveis (parte inferior esquerda) e pontuação de acordo com país de origem (parte inferior direita), de modo facilitar a leitura.

    5. Esboço: Pensado para ser vinculado no suplemento “Jornal do Carro” do Estadão, o infográfico toma mais da metade de uma página, com 35 centímetros de largura e 40 cm de altura. Portanto, com pouco mais de 1420 cm² de área útil. À exceção do título do infográfico “Por dentro do Teste”, a fonte usada foi a Calibri, variando-se o tamanho de acordo com a informação contida. No título, portanto, utilizei a Linux Libertine G para diferenciá-lo dos demais conteúdos. Não houve necessidade de uma paleta de cores.

    João Pedro Pavanin

    12/01/2016 em 10:08

  23. 1) Pauta
    A escolha do tema foi difícil, pois inicialmente não sabia como abordar cada tema pensado. Ao ler uma notícia do jornal O Globo sobre uma pesquisa de educação e gêneros, considerei os dados interessantes e o tema razoavelmente frutífero, pois as diferenças de gênero são assunto atual e, relacionadas à educação, podem ser abordadas num infográfico de maneira mais clara do que em texto.

    2) Pesquisa informativa
    Os números são de uma pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com dados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA, na sigla em inglês). As informações gerais foram tiradas basicamente da reportagem do jornal O Globo, editadas conforme ficasse visualmente melhor no infográfico.

    3) Pesquisa imagética
    Os ícones utilizados são de origens distintas. O ícone preto do lápis pequeno que separa dois blocos de informações e do livro maior foram encontrados na internet, no site Icon Finder (https://www.iconfinder.com/icons/126419/document_documents_drawing_edit_page_paper_pen_pencil_write_writing_icon e https://www.iconfinder.com/icons/330960/blank_book_lesson_read_study_icon). Os ícones de peça de quebra-cabeça azul e rosa são imagens do próprio software utilizado, Scribus, feitos por mim e coloridos com magenta 100% e azul 60%. Por fim, os ícones de homem e mulher foram feitos inteiramente por mim, parte a parte. Tenho em mente que essa não é a melhor opção, mas não havia encontrado ícones com o fundo transparente.

    4) Organização
    A ordem estabelecida foi conforme a apresentação da pesquisa, com dois focos principais (o melhor desempenho das meninas na escola e a diferença de gêneros no futuro profissional). Não houve uma delimitação explícita de informações mais ou menos relevantes, a ordem de apresentação foi horizontal.

    5) Esboço
    O infográfico mede 575mm x 780mm. Não gastei muito tempo escolhendo o tamanho do infográfico porque preferi priorizar a disposição dos elementos. A paleta de cores e a tipografia foram baseadas em jornais, suplementos e revistas de educação voltadas para adolescentes: o rosa e o azul, embora remetam a um senso comum de divisão de gêneros, foram pensados para facilitar a compreensão do leitor, e a fonte remete a uma letra escrita por um jovem, mais despojada e irregular.

    6) Tratamento
    Sobre o texto, priorizei as informações mais diretas. No “lead” do infográfico, coloquei apenas uma breve explicação sobre a pesquisa realizada pela OCDE, do que se tratava etc. Pensei em colocar gráficos gerados pelo Infogram, mas não consegui deixar o fundo deles transparentes para colocar no infográfico. O mesmo ocorreu com as imagens: gostaria de colocar imagens no infográfico, mas por dificuldades do software optei por colocar apenas ícones.

    7) Montagem
    Como citei anteriormente, o software Scribus impôs algumas limitações para o meu trabalho. Por não conseguir baixar o Indesign a tempo e também por não ter grande intimidade com o Scribus, o infográfico ficou, de certa forma, bastante simples. A ideia inicial era fazer um infográfico mais completo, com mais informações, imagens e gráficos, mas ao perceber que o software tornaria a ideia mais difícil de executar, optei por um layout mais simples e objetivo.

    8) Finalização
    Os dois primeiros links foram utilizados para as ideias gerais sobre conteúdo e informações e os outros dois para a parte gráfica do trabalho, disposição e hierarquização de elementos.

    http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/meninas-levam-escola-mais-serio-do-que-meninos-15504491

    http://ieij.com.br/CULTieij.2015/08/CULTieij.2015.8.Fase2.GrupoG.pdf

    http://www.terra.com.br/noticias/educacao/infograficos/

    http://g1.globo.com/infograficos/index.html

    Helena Botelho de Souza

    12/01/2016 em 10:59

  24. Pauta: O tema escolhido foi sobre a internet no Brasil, tive a intenção de mostrar alguns dados importantes sobre acesso e como eles falam por si só a respeito de nosso país. Escolhi focar em dados com mais relevância informativa e social, já que o espaço não era muito, como os usos da internet e como é a frequência de acesso de acordo com renda, escolaridade e idade.

    Pesquisa informativa: Os dados usados no infográfico foram retirados da Pesquisa Brasileira de Mídia 2015, feita anualmente pelo governo federal, foram entrevistados em média 19.000 pessoas distribuídas pelo país. O recorte e seleção de dados se deu pelo enquadramento que preferi dar ao infográfico, como a seleção de informações sociais e de maior relevância informativa.

    Pesquisa imagética: Para a construção imagética usei um site que disponibiliza ícones gratuitos, o iconfinder, e construí um gráfico utilizando o google sheets. A construção imagética se deu, basicamente, com a utilização de ícones e um gráfico.

    Organização: A hierarquização das informações foi feita a partir da ideia de informações mais procuradas e a partir dos melhores espaços para cada elemento dispostos na página. Como as informações não são muito extensas e complexas, não foi necessário muito engenho. A organização, basicamente, foi feita a partir da ordem de importância e relevância de cada informação.

    Esboço: Após definir o tema, foi construído um esboço numa folha sulfite. A partir do esboço comecei a construir no InDesign, as fontes usadas foram pensadas para remeter ao tema, internet, usei uma fonte de pixel e uma que simula máquina de escrever. A paleta de cor foi pensada primeiramente para ser em tons de azul, pelo fato da maioria das redes sociais terem essa cor, mas foi evoluindo e chegou a tons de azul, verde, rosa e marrom.

    Tratamento: Foram selecionados as principais informações, ou melhor, as mais relevantes a partir da pesquisa de onde foram tiradas. Foi feito um lead no início do infográfico para contextualizar as informações e mostrar de onde os dados foram retirados, a maioria dos dados são passados por porcentagem e em uma parte do gráfico em pequenas frases. Como já mencionado foram utilizados ícones e um gráfico, feito no google sheets, para a construção imagética.

    Montagem: A montagem foi feita pelo InDesign, seguindo um esboço e aperfeiçoando a partir da concretização do infográfico. O acabamento e melhoramento foram feitos ao longo dos dias e com o auxilio e instrução do professor.

    Ana Carolina Ribeiro

    12/01/2016 em 11:22

  25. O processo de escolha do tema foi difícil. Inicialmente não sabia sobre o que fazer, até que surgiu a ideia de fazer sobre Alice Através do Espelho (filme que será lançado em 2016), porém o longa não foi dirigido por Tim Burton. Então optei por Tim Burton, já que em fevereiro terá início a exposição ‘O Mundo de Tim Burton’ no MIS-SP. Pesquisando sobre a biografia do diretor, vi que a maior parceria de sua carreira era com Johnny Depp e aí consegui visualizar um infográfico. O infográfico foi feito no programa Adobe Illustrator. Feito em formato A3, o infográfico conta com uma moldura em preto e branco (uma tentativa de trazer para o leitor o universo “maluco” de Tim Burton); uma breve introdução falando sobre a parceria do diretor com o ator; círculos com molduras douradas para os personagens interpretados por Johnny Depp nos filmes; ao lado dos círculos foram colocados dados como: nome, gênero e bilheteria (a ideia inicial era trazer sinopses, mas o infográfico ficaria muito extenso e carregado de texto); e por último um box informativo sobre a exposição e prestação de serviços. As cores utilizadas são mais sóbrias, para refletir o tom gótico que os filmes de Tim Burton carregam. Optei por roxo (e um lilás para o box), vermelho bordô e preto. O fundo é branco, com moldura listrada em preto e branco. O dourado das molduras das fotos foi escolhido para dar mais destaque às imagens. As fotografias do infográfico apresentam Tim Burton, além dos oito personagens de Johnny Depp. Coletei as imagens no Google Imagens e a moldura das fotos veio do Freepik, assim como os galhos secos de árvore que aparecem ao fundo do box. Para a moldura, procurei imagens de ilusão de ótica e a escolhida foi selecionada no Pinterest, cuja fonte era a Scientific American. Para as fontes, o título do infográfico, os nomes dos filmes, junto com as categorias de gênero e bilheteria, além do título do box e as categorias nele indicadas(o que, quando, onde, quanto, classificação) utilizaram a Alice in Wonderland, cujo download foi feito pelo DaFont. O corpo de texto, exceto pelo parágrafo introdutório, utilizou a fonte Baskerville Old Face, também obtida através do DaFont. O parágrafo inicial apresenta fonte Calibri. A disposição dos elementos tinha a intenção de ser uma linha do tempo, colocando os filmes em ordem crescente. O box ficou para o final por trazer informações relacionadas À exposição ‘O Mundo de Tim Burton’ e não aos filmes em si. Optei por não colocar ícones por achar que o box ficaria muito poluído. Para que a imagem do galho no box não dificultasse a leitura, foi preciso diminuir sua opacidade para 20%. A imagem de Tim Burton, logo no início do infográfico, teve seu fundo retirado com a ajuda da ferramenta de remoção de fundo do PowerPoint.

    Mariana Pellegrini Bertacini

    12/01/2016 em 12:18

  26. 1. Pauta: O tema escolhido foi a vida de Steven Avery, um homem que foi erroneamente julgado a 18 anos de prisão e atualmente se encontra preso por outro crime. O gancho para o infográfico foi a série documental “Making a Murderer”, que relata a batalha de Avery desde sua primeira prisão. A abordagem foi factual, com enfoque nas datas e números, sendo que a parte reflexiva fica por conta do questionamento ao final do infográfico. Além do tema estar em pauta em toda a imprensa internacional, já que a série foi estreada em dezembro de 2015, é também um tema que não foi abordado atráves de infográficos ainda e tinha grande potencial para ser abordado em forma de linha do tempo.

    2. Pesquisa informativa: O levantamento de informações foi principalmente da série “Making a Murderer” e posteriormente de sites de notícias internacionais, como Vox e Fox News, que fizeram artigos de opinião sobre a série e mais tarde, uma reportagem explicativa. Todas as fontes documentais utilizadas mostraram relatos de fontes primárias, como o próprio Steven Avery. Decidi fazer um gráfico relacionando o tempo que Steven Avery passou na prisão e como os dados estatísticos principais, as datas, para que fosse formado uma linha do tempo. Como o infográfico tem a intenção de ser publicado na web, os termos utilizados foram os mais simples possíveis.

    3. Pesquisa imagética: A fotografia utilizada foi encontrada no site de petição online Change.org, todos os ícones foram baixados gratuitamente do site The Noun Project e as fontes baixadas gratuitamente do site FontSquirrel.com. Todos esses elementos citados são de domínio público. Os outros elementos, como boxes e gráficos, foram desenvolvidos por mim mesma diretamente no programa InDesign.

    4. Organização: As informações, como eram basicamente datas, foram dispostos na forma de uma linha do tempo descontruída. Datas de destaque contextual também ganharam destaque gráfico, com cor diferente e tamanho maior. Cada data foi acompanhada de um pequeno resumo dos fatos mais importantes da vida de Steven Avery. Os ícones foram inseridos para dinamizar a linha do tempo, que poderia ficar desinteressante sem os mesmos. Também foi inserido um gráfico em barras quantificando a vida de Steven Avery para que o leitor pudesse visualizar melhor.

    5. Esboço: A área definida foi de 24 cm x 70 cm. Apesar de ser um tamanho incomum e que dificilmente seria publicado num veículo impresso, é um tamanho interessante para visualização na web. A tipografia foi escolhida com a intenção também de leitura na web, por isso foi sem serifa, além de ser sóbria mas clean ao mesmo tempo. Foram utilizadas 3 tipos de tipografias diferentes: uma para o título (Bebas), outra para os textos (Fira Sans) e outra para os números (Letter Gothic STD), sendo que essa última se destoa mais das outras. A paleta de cores também deveria ser sóbria, para combinar com o tema. A base foi preto e branco, com destaques para o vinho e bege, pensando num maior contraste.

    Julia Gonçalves Simões dos Santos

    12/01/2016 em 12:37

  27. relatório infográfico – matheus fernandes

    pauta: o impacto da colaboração kanye west x adidas, por afinidade com o artista, e com as áreas de moda, cultura e negócios, que movimentam bilhões e ainda tem cobertura ineficiente.

    pesquisa informativa: feita em sites de negócio e de cultura e hip-hop, com dados quantitativos explicando os fatores desejados.

    pesquisa imagética: imagem do tênis conseguida através de material de divulgação oficial da marca, ícones ilustrativos através de serviços online como freepik e flaticon

    organização: feita graficamente, com valor igual para os diversos elementos. Dados mais importantes tem tamanho maior ou fonte em negrito, dando destaque.

    esboço: feito no photoshop. paleta de cores definida pela do tênis, busca de uma imagética minimalista para o gráfico, seguindo principios do design. Fontes limpas e sem serifa, com pouca variação, da família Arial.

    tratamento: feito no photoshop, com alteração de cores, tamanhos e resoluções

    montagem: também no photoshop, com organização dos elementos e combinação

    finalização: após pré-correção do professor Belda, alteração de tamanhos, disposição e elementos textuais, buscando melhorar o infográfico.

    matheus fernandes

    12/01/2016 em 13:38

  28. 1. Pauta:
    A pauta escolhida foram as ONGs e o trabalho voluntário de Bauru. O enfoque foi dado em quem ajuda e no que ajuda.

    2. Pesquisa Informativa:
    O trabalho voluntário na cidade de Bauru tem se tornado cada vez mais presente dentro da sociedade bauruense. As ONGs contam com a ajuda de diferentes faixa etárias e gêneros em suas atividades. Os dados para a edição do infográfico são de informações através de sites e através de algumas organizações que participam ativamente das atividades realizadas em ONGs.

    3. A seleção de imagens e ilustrações para a construções do infográfico foram retiradas do site:
    http://br.freepik.com/icones-gratis

    4. Organização
    A importância principal do infográfico foi dada nas ONGs de Bauru e em que vertentes se dividem. Outra informação de destaque foram os fatos de “Por que¿” se tornar um voluntario e de “Quem apoia” esse tipo de ação.
    O quadro abaixo, enfatiza quem participa desse tipo de ação, sendo dividido por gênero e por idade.

    5. Esboço
    A ideia inicial era de ser feito algo simples, em que todas as pessoas pudessem ter acesso a informações úteis, rápidas e incentivadoras.
    Os tons usados foram tons mais sóbrios da cor laranja em todo infográfico. O enfoque no quadro abaixo foi dado pela cor diferenciada do fundo e aumentando o gráfico da faixa etária até um vermelho mais forte, “fugindo” das cores básicas já existentes no infográfico.

    6. Tratamento
    A definição do elemento visual usado no infográfico foi dado após a definição da linha fina com a ideia de reciprocidade.
    O gráfico foi gerado através do aplicativo de planilhas do Google Drive.

    7. Montagem
    O infográfico foi montado no software Indesign.

    Yara Lombardi

    12/01/2016 em 13:46

  29. 2º Ano – Noturno

    1. Pauta: o terceiro álbum do rapper estadunidense Kendrick Lamar, To Pimp a Butterfly ,e suas implicações – impacto na indústria, importância social, qualidades – mostradas de maneira sucinta e lúdica.

    2. Pesquisa informativa: as informações foram retiradas de veículos especializados em música, em especial sites norte-americanos como Pitchfork, Billboard, FACT e afins. Para o último item, foi utilizado o artigo “Kendrick Lamar capta zeitgeist do negro na era Obama”, publicado no site do Jornal do Commercio.

    3. Pesquisa imagética: as duas fotos que compõem o trabalho – uma foto do artista e a capa do disco em questão – são bastante conhecidas, então optei por usá-las tanto pela facilidade com os créditos quanto por se relacionarem de maneira certeira com o conteúdo proposto. Com exceção do último ícone – inicialmente uma estampa para camisetas -, todos os outros foram encontrados via IconArchives ou IconFinder. A opção pelo fundo branco se deve pela busca de um modelo mais clean, além de simular como o infográfico funcionaria em uma página branca de papel regular.

    4. Organização: buscou-se alternar níveis de importância dentre os itens escritos, tanto pelo espaço textual (o último item indubitavelmente seria o com mais textos) como pelas cores dos ícones.

    5. Esboço: as medidas do infográfico são 800 x 891 pixels, e foi inteiramente criado pelo site Piktochart. A proposta seria ocupar metade de uma página de jornal ou revista com o infográfico. As fontes utilizadas foram Oswald, Helvetica, Futura, Lustria e Didactic Gothic, com o intuito de tornar o produto sofisticado, mas sem deixá-lo tão formal. Não foi necessária uma paleta de cores, mas as cores utilizadas foram mais sóbrias – com exceção do logotipo verde do Spotify, que ainda assim não quebrou a identidade proposta.

    Nilo Vieira

    12/01/2016 em 14:33

  30. 1) Pauta: No Brasil a devoção aos santos da igreja católica é bastante difundida. Nas diversas regiões do país é comum encontrar cidades e festas que os homenageiam. Algumas devoções se destacam em meio à diversidade de santos existentes, e a identificação do povo com estes santos revelam a busca pelo sobrenatural dos brasileiros, traço este comum em nossa história.
    O gráfico foi baseado em uma reportagem da revista Mundo Estranho e o direcionamento do infográfico se deu para a exposição dos 10 santos mais populares no Brasil. As informações foram obtidas em pesquisas de opinião da população e de pequisas do Centro de Estatísticas Religiosas e Investigações Sociais (CERIS). A história de cada santo também foi abordada e dados sobre igrejas e cidades que os homenageiam foram expostos.

    Pesquisa informativa: Para adquirir as informações para o infográfico foram utilizadas reportagens da revista Mundo Estranho, dos sites santo protetor e Canção Nova. Seguem os links:
    http://www.mundoestranho.abril.com.br
    http://www.santo.cancaonova.com
    http://www.santoprotetor.com

    Pesquisa imagética: As imagens foram retiradas da internet. As imagens dos santos e da Basílica de Aparecida foram modificadas no photoshop.
    Autoria das imagens: Basílica Nossa Senhora Aparecida:

    *As ilustrações dos santos não continham autoria.

    Organização: Organizei o infográfico buscando destacar as informações que considerei mais relevantes em sua proposta. A ênfase maior foi para o ranking dos 10 santos mais populares. Iniciei pelo último colocado e deixei em evidência o primeiro. O número de igrejas com o nome desse santos ficou em segundo destaque e o gráfico com as cidades apadrinhadas por eles, em terceiro. A historia de cada santo teve destaque menor devido ao tamanho da letra e quantidade de texto, porém, como esses textos ficaram no centro do infográfico, o leitor a corre os olhos sobre eles para chegar aos outros destaques.

    Esboço: O tamanho do infográfico é metade de um jornal standart, 29,7 X 26,2cm, com área total

    de 778,14 cm2. A fonte utilizada para os títulos foi a Poetsen One. Essa fonte é mais arredondada e não tem serifa. Para os textos e outras informações utilizei a Minio Pro, fonte com serifa, para facilitar a leitura. Utilizei também a Impact para ressaltar o nome Nossa Senhora Aparecida em uma das informações.

    A paleta de cores foi escolhida levando em consideração a primeira colocada no ranking dos santos. A imagem de Nossa Senhora Aparecida é popularmente ligada à cor azul por causa de seu manto, logo, a paleta de cores partiu da cor azul ( R­183 G­226 B­250). Utilizei cores mais claras para deixar mais sóbrio e não atrapalhar a leitura das informações. Utilizei, fora da paleta, a cor vermelha ( R­227 G­6 B­19), para destaque.

    O rascunho foi feito primeiramente em folha sulfite A4, desenhado à mão, para distribuir as informações e imagens no infográfico. Em um segundo momento, o projeto foi executado no Indesing. Houveram várias mudanças entre o primeiro rascunho e o projeto final.

    Tratamento: Definição dos elementos textuais: O primeiro parágrafo tem a intenção de explicar um pouco sobre o infográfico e de onde as informações foram tiradas.
    Os textos sobre a vida dos santos foram um pouco mais complicados. Com espaço demarcado, fiz vários textos até chegar ao utilizado. As histórias foram resumidas, me fazendo eleger alguns aspectos e, consequentemente, deixar outros de lado.

    Edição das imagens: As ilustrações dos santos foram alteradas no photoshop com o recurso de retirar o fundo das imagens. A foto da Basílica também foi alterada no photoshop, porém, somente cortei uma linha escura que ficava acima da imagem.
    O gráfico foi gerado pelo google drive, onde pude personalizar alguns itens como a cor de fundo do gráfico, fontes e tamanho delas.

    Montagem: Utilizei o Indesing e o Photoshop para montar o infográfico. A finalização foi feita e entregue em PDF.

    Camile Buzzi Gerent Bubniak

    12/01/2016 em 14:35

  31. 1- Pauta: O tema escolhido foi a história do Esporte Clube Noroeste, o único time profissional da cidade de Bauru que tem 110 anos de vida. O foco principal foi a queda abrupta da equipe em um intervalo de 10 anos. O time passou de 4º colocado no paulista para a 4ª divisão estadual. A matéria foi de minha própria autoria.

    2- Pesquisa informativa: Reunir dados através de arquivos de jornais e principalmente por fontes oficiais como torcedores idosos do clube e jornalistas que cobrem o dia a dia do Noroeste.

    3- Pesquisa Imagética: Busca por imagens no google, utilizando filtro de lkicença para imagens para reutilização não comercial e iconfinder, baixando ícones da categoria free.

    4-Organização: Primeiramente, um texto explicando a história do Noroeste desde sua fundação até o momento atual do clube. Depois uma tabela ao lado com fatos curiosos sobre o clube e por fim uma linha do tempo dos últimos 10 anos, mostrando como o clube passou do melhor tmomento de sua história para o pior momento de sua história.

    5- Esboço: Foi combinado juntamente com o professor da disciplina que o infográfico abrangeria duas folhas de um jornal standart, ou seja, o jornal aberto. Procurei manter alguns padrões definidos pelo meu grupo no semestre passado e acrescentar outros do meu projeto pessoal. As características que mantive foram o formato do jornal, sangria, margem, espaçamento entre linhas e a fonte e tamanho do título e linha-fina (Rockwell). Mudanças feitas: fonte do corpo do texto foi Times New Roman tamanho 13 e o fio data foi a fonte Algerian, também usada na editoria da página.

    6- Tratamento: A matéria foi de minha própria autoria. O texto principal foi colocado sobre um campo de futebol, A escolha do trem para fazer a linha do tempo ocorreu pelo fato do mascote do Noroeste ser uma locomotiva.

    7- Montagem: Para que a leitura não ficasse ruim, deixei a foto mais transparente para que o contrate com a cor preta da fonte se sobressaísse, o software utilizado foi o Indesign. No caso do trem, a imagem precisou ser ajustada e ampliada para ficar no padrão desejado, então foi utilizado o photo shop para isso.

    http://www.jcnet.com.br/Esportes/2016/01/noroeste-tera-a-20a-participacao-na-copa-sp-de-futebol-junior.html

    http://www.futebolinterior.com.br/futebol/Paulista/Serie-A3/2016/noticias/2015-12/FPF-divulga-tabela-e-regulamento-da-Serie-A3-do-Paulista

    http://www.futebolbauru.com.br/noroeste-sofre-segunda-derrota-seguida-e-esta-eliminado-da-copa-sao-paulo_newno_11098

    http://www.futebolbauru.com.br/noroeste-libera-meia-que-chegou-referendado-mas-lesionado_newno_11104

    http://www.futebolbauru.com.br/noroeste-esta-se-reforcando-para-a-a3-com-goleiro-e-zagueiro-experientes_newno_11092

    Isaac dos Santos Toledo

    12/01/2016 em 14:39

  32. Pauta: A pauta consiste em uma análise de dados da carreira de Neymar até ser indicado como um dos possíveis ganhadores da Bola de Ouro da Fifa.

    Pesquisa informativa: foram levantados o número de gols, partidas e média de gols por partida do jogador em cada equipe que atuou (Barcelona, Santos e Seleção Brasileira), assim como os títulos conquistados pelo jogador nesses times.

    Pesquisa Imagética: Foram pesquisadas imagens do jogador atuando em cada equipe, além da imagem das taças conquistadas. As figuras foram recortadas com a ferramenta laço magnético do photoshop e depois coladas no documento.

    Organização / Esboço: O infográfico é divido em quatro partes de dados sobre a atuação de Neymar em cada equipe e uma média total da carreira do craque (parte inferior no infográfico). As cores estão relacionadas com as cores das equipes o que dá uma uma dinâmica setorial ao infográfico. No caso, da seleção brasileira foi optado por utilizar a cor verde por conta da má visibilidade do amarelo em um fundo branco. Os troféus foram posicionados um ao lado do outro, formando uma extensa linha de conquistas e enfatizando o sucesso da carreira de Neymar.

    No começo os gols e partidas seriam representadas por ícones, mas devido as imagens do jogador e dos troféus essa ideia foi preterida para não exagerar nos recursos imagéticos e deixar o infográfico simples e arejado. Assim como os brasões das equipes. Por impressões individuais, o escudo ao lado do nome da equipe não foi aprovado. Considerando que já estão representados nos uniformes e nem todos os leitores relacionam o nome das equipes com os brasões, foi decidido manter apenas os nomes, devido a sua maior importância na transmissão da informação.

    O infográfico foi executado em uma dimensão correspondente a metade de um Standard.

    Tratamento / acabamento: O título e o lead são simples, informativos e curtos (devido a não necessidade de muito texto). Os troféus foram coloridos através de um ‘color overlay’ com opacidade 100%, todos alinhados com a ferramenta régua (no final do trabalho). A simulação do campo e as ‘borragens’ foram feitas com a ferramenta Glaussian Blur.

    Victor Pinheiro Pereira

    12/01/2016 em 14:39

  33. Conexão nas Favelas

    Escolhi o tema Internet nas Favelas porque fiz um trabalho para outra disciplina sobre o assunto e me deparei com diversos dados. Por achar o tema interessante, decidi fazer o infográfico sobre para encontrar uma maneira fácil de interpretação das informações. Para tanto, utilizei dados disponibilizados através da pesquisa do Data Favela, projeto que reúne organizações como Cufa (Central Única de Favelas), PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar) e também o instituto de pesquisa Data Popular. Os dados são resultados de um levantamento feito nos anos de 2013 e 2015 em comunidades das regiões metropolitanas de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pará, Ceará, Pernambuco, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

    Para a formulação de gráficos, utilizei o site Infogram e também os softwares InDesign e Photoshop. Busquei os ícones utilizados em sites como o FlatIcon e IconFinder. Defini o tamanho 200mmx400mm na vertical, mas durante a execução aumentei várias vezes de acordo com a necessidade, chegando ao tamanho 310mmx1050mm. Organizei os dados de maneira que fizesse sentindo e cada informação completasse a anterior, mostrando o perfil de quem usa a internet nas favelas e como se dá esse uso. Dei destaque para os números e legendas, para que os dados ficassem claros.

    Esbocei algumas vezes antes de chegar na versão final. Optei por um título estilizado e pelo uso de várias cores vivas (laranja, roxo, verde, azul e amarelo), equilibrando com o uso do espaço em branco e com a fonte preta. Para a tipologia do título, escolhi algo que parecesse um grafite, para criar uma teia de palavras. No corpo do texto utilizei uma fonte básica e de fácil leitura, assim como a fonte dos intertítulos (que é em negrito para destaque).
    Dividi o conteúdo em quatro partes: a introdução, quem acessa, o que acessa e de onde acessa. Entre essas divisões, parte de textos e legenda explicativas. Tentei ariar o formato dos gráficos entre pizza, barras e círculos e também utilizar o que melhor se encaixava com o dado apresentado.

    Bárbara Paro Giovani

    12/01/2016 em 14:39

  34. 1. Pauta: Com o grande destaque da crise financeira no Brasil, as matérias sobre mercado e economia têm crescido na mídia nacional. Pensando nisso e encontrando uma pesquisa recente sobre a arrecadação do mercado pet mundial no ano de 2014, decidi abordar um setor do comércio que ganha cada vez mais força no país e no exterior. O infográfico mostra a grande quantidade de animais no Brasil e a variedade de serviços oferecida a esse público.

    2. Pesquisa informativa: Foram utilizados na criação do infográfico os resultados da pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) referente ao faturamento do ano de 2014 e o censo do IBGE de 2010, sobre a quantidade de animais no país.

    3. Pesquisa imagética: O infográfico conta com vetores retirados do site Freepik e de ícones presentes no Flaticon. Todos os elementos usados são gratuitos e liberados para reutilização pelo autor.

    4. Organização: A ideia era começar o infográfico com informações mais gerais, dados sobre a produção dos países que mais contribuem com o faturamento do setor. Depois, dividi as informações em dois lados: os dos consumidores e o do mercado. A escolha foi feita pensando em uma forma coerente de hierarquização de conteúdo e que permitisse fácil percepção do conteúdo. .

    5. Esboço: As fontes usadas foram: Magnum para títulos e Myriad Pro para o corpo do texto. Para background, foram usadas as cores branca e azul. Todos os ícones utilizados são brancos. Nas imagens, foram mantidas as cores originais.

    definição da área/formato do infográfico (altura e largura, em centímetros; não inferior a 200 cm2); escolha das fontes tipológicas e da paleta de cores a serem utilizadas; rascunho do infográfico (primeiro rascunho feito a mão, segundo rascunho em software de editoração gráfica).

    6. Tratamento: O gráfico de pizza presente foi gerado online, mas vetorizado no Illustrator para otimizar sua qualidade. Os ícones e os dados inseridos pelo autor. As imagens que aparecem na parte superior estavam presentes em um vetor, mas foram alteradas para compor o infográfico. O primeiro parágrafo do texto funciona como um lead, trazendo as principais informações sobre a pesquisa.

    7. Montagem: Toda a produção foi feita no Adobe Illustrator, com dimensões de arquivo livres. Os textos e ícones são, em sua grande maioria, em cor branca para contrastar com o fundo escuro escolhido.

    Anexo: http://abinpet.org.br/site/faturamento-do-setor-crescera-74-e-fechara-em-r-179-bilhoes-em-2015/

    Arthur Iassia Finati

    12/01/2016 em 14:49

  35. 1-Tema: O infográfico realizado adapta o raking de consumo per capita de cerveja por país disponibilizado pelo grupo Kirin em seu site (http://www.kirinholdings.co.jp/english/news/2015/0810_01.html). O infográfico mostrará os países mais bem situados no ranking, assim como o Brasil.

    2-Elementos utilizados: Caixas de texto, imagens de cerveja, setas, icones e caixas de cores para o fundo.

    3-Tipologia: Fonte “colleged” para os títulos do infográfico (em diferentes tamanhos), pois se assemelha a escrita em giz de bares norte-americanos, como vê-se em filmes e séries. O texto introdutório está em “times new roman” tamanho 12.

    4- Iconografia: As canecas de cerveja na lista dos países representam o topo (a caneca de ouro) e a parte mais baixa da tabela (caneca normal), considerando os países na amostragem. Outro elemento de iconografia importante são as bandeirinhas dos países.

    5-Produção: Como os programas da Adobe não rodaram bem em meu computador, tive que recorrer ao software gratuito GIMP. No começo tive dificuldade em realizar as operações do programa, entretanto aos poucos fui me acostumando. O programa é um pouco travado e não contém ferramentas de alinhamento. Para confeccionar o fundo utilizei duas placas de cor que baixei, já que o GIMP não possui ferramentas de pintura fáceis.

    Lucas Marques dos Santos

    12/01/2016 em 14:55

  36. 1. Pauta: o tema do infográfico é um censo populacional sobre os personagens criados em World of Warcraft (WoW), o jogo de MMORPG mais jogado do mundo. Ele seria voltado para o público gamer (que, na pior das hipóteses, já ouviu falar sobre o jogo) e publicado em uma revista segmentada, como a PC Gamer. No universo do jogo e dos jogadores, existe uma verdadeira rivalidade entre as facções do WoW, de modo que um censo comparado entre elas seria uma informação interessante para o público jogador. Além disso, como o foco é o censo em si, informações sobre o jogo (como número de jogadores, lucro, entre outras) não foram inseridas no infográfico, mas estão disponíveis no link presente no rodapé.

    2. Pesquisa informativa: os dados estatísticos foram levantados com base numa amostra de 2 milhões de personagens, em censo realizado pelos sites Warcraft Realms e World of Wargraphs (ambos sites independentes dedicados a reunir estatísticas sobre WoW, através de pesquisas dentro do jogo. Eles afirmam que, como a amostra é ampla, os dados levantados podem ser considerados próximos à realidade). Informações complementares (nome das raças e classes, traduções) forem retirados do site oficial do World of Warcraft e da Blizzard Entertainment (desenvolvedora do jogo), e também da wiki (incentivada pela Blizzard), WoWWiki.

    3. Pesquisa imagética: todas as imagens sobre o jogo foram obtidas no WoWWiki, uma wiki incentivada pela Blizzard e com livre reprodução das imagens do seu banco de dados. Tanto a Blizzard quanto a WoWWiki foram creditadas pelas imagens. O fundo de papel envelhecido foi criado no Adobe Photoshop, com uso dos filtros “Clouds” e “Blur”, além da mesclagem entre camadas.

    4. Organização: as informações do censo foram hierarquizadas de acordo com os passos de criação do personagem no jogo. Primeiro facção, depois raça, e por fim classe. Isso foi explicado com texto. As informações são bastante simples e explicativas, até para alguém que não seja familiarizado com jogos de RPG. Já para quem conhece o WoW em si, as informações em texto são acessórias e as estatísticas são relevantes, além de pouco conhecidas.

    5. Esboço: a área escolhida foi de uma folha A4 e meia (21,01 cm de largura x 44,55 cm de altura), com o objetivo de permitir duas dobras no infográfico (dividindo-o em três seções de meia A4). Ele não seria descartável, podendo ser desencartado da revista e guardado. As fontes utilizadas foram Times New Roman, fonte serifada para textos e títulos, e Microsoft Sans Serif, fonte sem serifa para as legendas das imagens. A cor de fundo foi escolhida para mimetizar papel envelhecido.

    6. Tratamento: os textos foram redigidos resguardando-se a preocupação com o tamanho das fontes, tendo em vista que o infográfico aberto é grande (maior que uma folha de revista). As imagens também foram redimensionadas e foi usado o filtro “Sharpen” para melhorar a visualização. Os gráficos foram gerados manualmente no Photoshop, seguindo a proporção 1mm : 1%.

    7. Montagem: os textos e imagens seguiram a hierarquização proposta, e a harmonia foi o principal preceito orientador na disposição das imagens. O infográfico foi definido, então, em três seções divididas por duas dobras, dispostas da seguinte maneira: o intertítulo “Raças” seria a parte central do papel; o intertítulo “Classes” (na parte inferior) seria dobrado para cima; e o topo com o logo (parte superior), seria dobrado para baixo, acima de tudo. Dessa forma, o verso do infográfico formaria, ao ser dobrado, um documento selado pelo logo do World of Warcraft, indicando e simulando que o papel deve ser guardado.

    8. Finalização: três arquivos foram salvos na pasta compartilhada: um mostrando a frente do infográfico; outro com o verso; e um terceiro mostrando como ele ficaria totalmente dobrado, frente e verso.

    Victor Dantas

    12/01/2016 em 15:38

  37. 1. Pauta: Decidi por fazer um infográfico seguindo uma linha do tempo da banda Guns N’ Roses. Por ser uma banda muito conhecida, a matéria pode chamar a atenção de um grande público, além de aproveitar das recentes notícias de shows da banda reunida.
    2. Pesquisa Informativa: O levantamento de dados foi feito através de sites que monitoram números de vendas, como a Billboard, o RIAA e fã-sites.
    3. Pesquisa Imagética: Foram utilizadas imagens encontradas no Google marcadas para a reutilização não comercial com modificação, além de imagens creditadas no infográfico e ilustrações permitidos para utilização no site Piktochart.
    4. Organização: Se tratando de uma linha do tempo, as informações oferecidas no infográfico são hierarquizadas por ordem cronológica.
    5. Esboço: O tamanho do infográfico foi feito de forma livre, já que não havia limites estabelecidos. Foram utilizadas as fontes Ultraslim, que remete à fonte oficial utilizada pela banda, para o título, Helvetica para o corpo do texto e Questrial para a introdução e corpo do texto em “curiosidades”. A paleta de cores escolhida também remete à maioria das cores utilizadas pela banda, como amarelo, vermelho, preto e branco.
    6. Tratamento: Foram utilizadas imagens resultadas da pesquisa feita pelas capas dos álbuns e fotos de divulgação da banda, além do logo da banda com transparência acima da linha do tempo . Foram usados ícones oferecidos pelo site utilizado para fazer o infográfico (Piktochart).
    7. Foi utilizado o site Piktochart para a editoração do infográfico, sendo estabelecido um equilíbro nas cores e na utilização de imagens.
    8. Fontes: (http://www.billboard.com/artist/303248/guns-n-roses/chart?sort=position), (https://www.riaa.com/?s=guns+n+roses), (https://en.wikipedia.org/wiki/Guns_N%27_Roses).

    João Pedro Fávero

    12/01/2016 em 15:41

  38. Nome: Heloísa Monteiro Scognamiglio
    Jornalismo Diurno

    Roteiro de produção

    1. Pauta:
    Tema: A relação dos brasileiros com os livros
    O meu infográfico é sobre o modo como os brasileiros estão se relacionando com a leitura. Escolhi esse tema depois de ler algumas matérias online sobre a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, realizada pelo Ibope Inteligência para o Instituto Pró-Livro. Achei que tal tema se encaixaria bem em uma narrativa visual como o infográfico, pois a pesquisa apresenta vários dados e informações interessantes para a sua elaboração.

    2. Pesquisa informativa:
    O levantamento de informações se deu basicamente através do relatório da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, que foi realizada em 2011 e divulgada em 2012. Também houve duas edições anteriores da pesquisa, divulgadas em 2008 e em 2001. Decidi utilizar somente os dados mais recentes, de 2011, para montar como se fosse um “perfil” do leitor brasileiro. Eu também utilizei informações de um infográfico elaborado pelo site Orelha de Livro, que é uma rede social literária com mais de 180 mil usuários cadastrados. O infográfico elaborado pelo site cruzou informações da pesquisa do Instituto Pró-Livro com dados dos próprios usuários.
    As informações utilizadas no meu infográfico foram: o número de leitores no país, incluindo a definição de “leitor” utilizada na pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”; os motivos pelos quais eles leem; os materiais que eles estão lendo, com uma média de 3,01 materiais citados por entrevistado; se os entrevistados já ouviram falar dos e-books; se eles já leram algum e-book; qual a porcentagem de leitores que é do sexo feminino e qual a porcentagem do sexo masculino; quais são os gêneros de livro preferidos de cada sexo; qual a porcentagem dos entrevistados que declararam não ter livros em casa; qual a média de livros em casa das pessoas que declararam possuí-los; qual a porcentagem de pessoas que possuem livros que declarou emprestá-los para outras pessoas e qual a porcentagem dos que declararam não emprestar seus livros. Também utilizei as cinco primeiras posições do ranking dos livros mais vendidos no ano de 2011, do site PublishNews.

    Links:
    Relatório da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”
    http://prolivro.org.br/home/images/relatorios_boletins/3_ed_pesquisa_retratos_leitura_IPL.pdf
    Matérias sobre a pesquisa
    http://br.blastingnews.com/cultura/2015/04/sete-em-cada-dez-brasileiros-nao-leram-um-livro-sequer-em-2014-00337047.html
    http://www.blogacesso.com.br/?p=4747
    http://g1.globo.com/educacao/noticia/2012/03/numero-de-leitores-caiu-91-no-pais-em-quatro-anos-segundo-pesquisa.html
    http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/habito-de-leitura-no-brasil-cai-ate-entre-criancas/
    Infográfico do site Orelha de Livro
    https://www.pressworks.com.br/noticias/pesquisa-orelha-livro-revela-perfil-leitor-brasileiro/312
    Ranking dos livros mais vendidos de 2011
    http://www.publishnews.com.br/ranking/anual/0/2011/0/0

    3. Pesquisa imagética:
    Foram utilizadas três imagens no infográfico. Duas delas eram de domínio público e uma só poderia ser reutilizada com atribuição. A atribuição foi colocada ao final do infográfico, junto com as fontes das informações. Também foram usados dois ícones: um livro e um mapa do Brasil. O primeiro precisava de atribuição, a qual também foi colocada no final do infográfico. O segundo não precisava de atribuição. Outros ícones, como as duas setinhas (>>), as imagens que representam os gêneros de livros preferidos do sexo feminino e do sexo masculino, o marcador de livros que aparece na parte “Os livros mais vendidos do ano” e os números que formam o ranking, foram desenhados utilizando o InDesign e o Power Point.

    Links:
    Imagens
    https://pixabay.com/pt/
    https://www.flickr.com/
    Ícones
    http://game-icons.net/
    http://www.clker.com/

    4. Organização:
    A ideia para a organização do infográfico foi dividi-lo em blocos para que houvesse uma ordem de leitura, o que criaria uma narrativa visual e facilitaria a hierarquização das informações, o destaque dos dados mais relevantes e a compreensão do infográfico como um todo.

    5. Esboço:
    O formato e as dimensões do infográfico foram pensados primeiramente para se encaixarem em uma revista aberta (duas páginas). O primeiro esboço foi feito em uma folha A4 deitada, com tais dimensões em mente. No entanto, durante o desenvolvimento do projeto, isso mudou, pois eu queria trabalhar de maneira mais livre. O formato final se encaixa melhor no meio digital.

    Fontes tipológicas
    Principal: “Caviar Dreams”
    Secundária: “Channel”
    Link:
    http://www.dafont.com/pt

    Paleta de cores:
    Branco – R255 G255 B255 (variação com opacidade 25% no quadro “Dos 88,2 milhões de leitores…”)
    Azul marinho – R0 G0 B36 (variações com opacidade 65% e 80% em quadros cobrindo as imagens)
    Laranja – R241 G138 B0

    6. Tratamento:
    A definição dos elementos que seriam efetivamente aproveitados ficou mais fácil depois da realização do esboço, já que ele me deu uma noção bem definida do resultado que eu queria. A redação dos textos e a organização das imagens foram realizadas no InDesign. Uma das imagens foi editada previamente no Power Point. Os gráficos foram todos desenhados do zero no Power Point, utilizando gráficos gerados pelo Google Sheets como base para saber as proporções. Foram desenhados 4 gráficos (um pizza, um em barras e dois “rosca”).

    7. Montagem:
    Como já citado anteriormente, o software de editoração eletrônica utilizado para fazer o infográfico foi o InDesign. Os gráficos foram desenhados no Power Point, assim como alguns ícones. Foram usados recursos como imagens sobrepostas por quadros coloridos com certo grau de transparência para separar o espaço em blocos. Na parte de baixo do infográfico, foram adicionadas as fontes das informações e créditos de um ícone e de uma imagem.

    8. Finalização:
    Exportação do arquivo em PDF.

    Heloísa Scognamiglio

    12/01/2016 em 16:10

  39. O tema escolhido foi a série de quadrinhos “Heart and Brain” do artista americano Nick Seluk. As tirinhas fizeram sucesso nas redes sociais ao mostrar as relações conflituosas entre a razão, representada pelo cérebro, e a emoção, pelo coração, de forma fofa e divertida. Nascida de um spinoff de outra série do autor “The Akward Yeti”, a série dos dois órgãos teve embasamento em conceitos da psicologia devido à formação de Nick na área. Em outubro de 2015, foi publicado nos EUA o primeiro livro da dupla, que figurou nos best-sellers do New York Times Review of Books. Como não tem tradução para o português, achei interessante mostrar um pouco sobre os quadrinhos.

    As informações foram retiradas da leitura das próprias tirinhas de Nick para conhecer as facetas dos personagens, disponíveis no site theawkwardyeti.com, lugar onde o autor disponibiliza sua obra de forma gratuita para uso sem fins lucrativos. Além de outras informações, como idade do autor, formação, foram retiradas de entrevistas que o autor deu. As imagens utilizadas foram recortadas das próprias tirinhas como o corpo dos personagens e os balões de diálogo, e foram tratadas. Pensou-se assim um infográfico com características próximas as de quadrinhos.

    O infográfico se divide basicamente em 3 partes. A superior, onde estão o título, subtítulo, chapéu, apresentando o tema a ser falado. Depois, há a seção da esquerda, contando o que, como surgiu, quem é o autor, tudo isso em forma de balões de diálogos. Já a parte da direita leva a caracterização dos personagens principais, para mostrar como eles são diferentes entre si e divertidos ao mesmo tempo.

    Ele tem 230 mm de largura, por 350 mm de altura. Aumentou-se a largura durante a produção do material para que não ficassem espremidas as informações. Foram escolhidas cores fortes, mas não muito claras, como o vinho e o amarelo fosco, com exceção do azul claro com as características de uns dos personagens. Primeiramente, tinha sido escolhida uma letra mais displicente e trabalhada para ficar dentro dos balões, mas não era fácil ler. Optou-se por uma fonte sem serifa para os textos maiores, uma letra mais artística nos títulos e na caracterização dos personagens. Links de apoio: http://www.corujiceliteraria.com.br/2015/07/especial-quadrinhos-entrevista-adrmir.html http://theawkwardyeti.com/

    Matheus Ferreira

    12/01/2016 em 16:11

  40. 1. Pauta: O tema do meu infográfico são os países mais inovadores do mundo, de acordo com a nova pesquisa do Indíce Global de Inovação, GII 2015 e dessa forma propus a produz um infográfico que informasse rapida e sucintamente os melhores colocados, dividindo-os em primeiramente em região e depois por renda. O enfoque foi primeiramente informar de outra forma o que foi apresentado no documento oficial, mais prática e eficiente.
    2. Pesquisa Informativa: a principal fonte de informação foi o próprio site do índice, globalinnovationindex.org, no qual são apresentados o relatório integral da edição de 2015 e o ranking geral indicando os países por ordem de colocação e informando suas pontuações.
    3. Pesquisa imagética: No infográfico poucas imagens são utilizadas. Para o mapa mundi, que exerce a função de plano de fundo para a primeira parte do documento, procurei no Google imagens alguma do mapa e que fosse fácil para delimitar no Illustrator. Utilizando a função “caneta” do sowtware contornei a imagem, simplificando-a um pouco e alterei a cor que se adequasse à paleta que escolhi. Além desta, baixei um arquivo que continha as bandeiras de todos os países do mundo através do site 365icon.com. O uso das imagens escolhidas pode ser feito através da apresentação do crédito ou baixar uma licença grátis no mesmo endereço.
    4. Organização: Como optei por fazer um infográfico de tamanho relativamente pequeno, optei por apresentar apenas os primeiros três colocados e, no caso da América do Norte dois, pois os números eram muito incroguentes. Na segunda parte, optei por mostrar apenas os colocados de alta e baixa rendas, para que o contraste fosse maior. Fiz um mapa mundi e o separei por regiões geográficas, como América do Norte, América Latina e Caribe, Europa, Norte da África e Oste Asiático, África Sub-Saariana, Ásia Central e Suoeste Asiático e Oceania. A seguir, disponibilizei as bandeiras de cada país em ordem de colocação em suas respectivas regiões para o entendimento ser mais fácil. Numa segunda parte, apresentei dados mais numéricos em forma de gráficos em colunas, separando as informações por grupos de alta e baixa rendas. Para que houvesse uma estética melhor, utilizei um retângulo branco que servisse de fundo e trabalhei com mínimos elementos, apenas os necessários para a compreensão. Além disso, logo na cabeça do infográfico, utilizei a ferramenta Retângulo para criar dois deles onde coloquei o título do trabalho, “Quem está liderando a inovação?” e um pequeno resumo do que se tratava o infográfico.
    5. Esboço: Procurei na internet alguns padrões de formatação de prancheta (fiz meu infográfico no Illustrator) e descobri as dimensões que compunham capa de facebook, capa de vídeo para youtube, infográfico para blogs, carta e até cardápios de restaurantes. Optei por utilizar um tamanho que era a definição de uma capa de revista, pois o tamanho correspondia mais com o que eu propunha apresentar. Trabalhando com pixels, a área do infográfico é de 816px X 1056px. As fontes utilizadas foram a Trocchi regular e a Abril FatFace regular também. Fiz um rascunho numa folha de caderno para ter com clareza onde cada elemento seria posicionado, fiz esboços de possíveis títulos e, em seguida, fiz um modelo teste no Illustrator para ver se as informações iriam caber na área de trabalho conforme o esboço desenhado e fiz as alteraçõe necessárias. Além disso, montei a paleta de cores que é composta de cores azuladas, esverdeadas, preto e cinza:
    1. Color Code: 85c3ff
    2. Color Code: f3f9ff
    3. Color Code: 1d1d1b
    4. Color Code: a5c9ec
    5. Color Code: dadad9
    6. Color Code: 4da1a5
    6. Tratamento: após o modelo teste, todas as bandeiras poderiam ser usadas, mas em relação aos gráficos que eu propunha utilizar, apenas dois puderam ser apresentados, pois não haveria espaço suficiente para o terceiro. Por causa disso, ao invés de fazer três gráficos relativos às pontuações por alta, média e baixa renda, fiz apenas dos dois extremos e excluí o intermediário. Redigi o pequeno texto de introdução que foi colocado no topo da arte e, como não havia tanto texto, já comecei a colocar os títulos e intertítulos diretamente na própria prancheta. Escrevi duas legendas que foram colocadas logo abaixo da primeira parte do infográfico e no próprio Illustrator também contruí os dois gráficos de coluna.
    7. Montagem: A seguir, disponibilizei os elementos conforme a ideia pré estabelecida. Primeiramente, distribuí as bandeiras verticalmente acompanhando o nome da região e os países, mas houve confusão em relação aos países e suas respectivas bandeiras e, de acordo com a recomendação do professor, passei a colocá-las horizontalmente com os países seguindo-as abaixo indicando primeiro, segundo e terceiro lugares. Coloquei todas essas formações da melhor forma possível para que não houvesse conflito entre as formas do Mapa Mundi e as palavras e coloquei as duas legendas abaixo dessa composição. Depois, construídos os gráficos, coloquei um ao lado do outro indicando também as suas colocações e as respectivas pontuações.
    8. Finalização: Após todas as alterações e construções, exportei o arquivo em PDF e terminei de digitar o relatório a ser entregue. Abaixo seguem os links de todos os recursos utilizados e citados acima.
    Fonte Trochhi: http://www.fontsquirrel.com/fonts/download/trocchi
    Fonte Abril FatFace: http://www.fontsquirrel.com/fonts/download/abril-fatface
    Badeiras: http://365icon.com/wp-content/downloads/Flags.zip
    Mapa Mundi: http://wallpaper.ultradownloads.com.br/54776_Papel-de-Parede-Mapa-Mundi_1920x1200.jpg
    Global Innovation Index: https://www.globalinnovationindex.org/content/page/GII-Home

    Mariana Hafiz

    12/01/2016 em 16:13

  41. 1. Pauta: o tema do meu infográfico é bem simples e, com isso, quis mostrar que é possível fazer um infográfico interessante a partir dos mais diversos temas. Escolhi fazer um infográfico sobre batata me inspirando na importância do alimento no mundo atual e na formação deste mundo atual, muito por conta da grande reportagem do Globo Repórter sobre alimentos que foi lançada recentemente.

    2. Pesquisa informativa: nesta parte, busquei por dados o mais oficiais possíveis para que o infográfico não ficasse parecendo, por conta de seu tema simples, algo que não possui embasamento em fatos e dados concretos. Utilizei informações contidas no site da Associação Brasileira da Batata acerca do consumo mundial do alimento, além de coleta de dados acerca do índice glicêmico no site da Associação de Diabéticos do Espírito Santo. Já acerca das origens da batata e de suas diferentes formas de consumo, busquei inúmeras fontes online e em reportagens, como a do Globo Repórter, em sites nacionais em internacionais com o intuito de comparar dados.

    3. Pesquisa imagética: em minha pesquisa por imagens e ícones, priorizei e apenas utilizei ícones gratuitos, dando os devidos créditos ao autor no próprio infográfico. Busquei por ícones similares – ainda que não fizessem parte de uma mesma família – para ajudar na criação da identidade visual do infográfico. Mantive um padrão de ícones (um relacionado à batata e o outro ao tema da caixa de informações) para, também, criar uma identidade visual. Tudo o que utilizei de ícones veio do site flaticon.com e o site iconfinder.com.

    4. Organização: busquei tentar equilibrar a disposição das informações para que nenhum pedaço recebesse mais espaço do que o pretendido. Apenas na parte com gráficos de batata chips e a que falava das batatas pelo mundo, separei um espaço maior, por conta da maior quantidade de informações.

    5. Esboço: escolhi um tamanho A3 horizontal para criar meu infográfico porque acredito que ele se encaixe mais em alguma revista ou publicação on-line do que num jornal, por ser um tema mais simples e leve e não relacionado com alguma notícia em específico. Trabalhei apenas com duas famílias de fontes ao longo do infográfico, sendo elas:
    Bebas Neue, para os títulos;
    Clemente, para o restante do texto contido no infográfico.

    Variei tamanhos e espessura de forma a diferenciar textos de destaque, mas preferi enxugar a escolha de fontes de forma a deixar o infográfico mais limpo, como já vi em alguns casos na revista Superinteressante. O uso de sombras nas caixas de texto também venho desta inspiração em infográficos mais minimalistas como os da Superinteressante.

    Minha paleta de cores foi escolhida com base em tons de amarelo e marrom, cores que lembrassem a batata em suas diferentes formas de consumir (assada, frita, ao natural, etc.)

    6. Tratamento: na hora de escolher os elementos textuais e imagéticos, busquei, em ambos os casos, coisas que combinassem entre si e que não contrastassem, de forma a deixar o infográfico gritante. Como a fonte dos títulos era de haste mais grossa e em caixa alta, escolhi uma fonte de corpo de texto mais suave e arrendondada para criar um equilíbrio. Fiz a edição básica e montagem do gráfico no Photoshop baseando-me nos gráficos que criei como esboço no Google Spreadsheets. A grande parte das imagens e das caixas de texto do meu infográfico possuem baixa opacidade, para que funcionassem como complemento, sem comprometer o conjunto de informações como um todo. Tentei fazer títulos mais versáteis e não tão óbvios para as caixas com informações de forma a atrair a leitura e aguçar a curiosidade do leitor.

    7. Montagem: no momento de compor o infográfico, utilizei dois softwares: InDesign e Photoshop para construir os itens. Busquei por um equilíbrio visual, ainda mais com uma paleta de cores majoritariamente amarela, trabalhando com a opacidade e o contraste com o preto dos títulos. Limitei bem as caixas de informação para que o texto de uma não se confundisse com o da outra, comprometendo o entendimento do infográfico como um todo.

    8. Finalização: links para alguns dos sites que encontrei as principais informações acerca do tema:

    http://firstwefeast.com/eat/global-potato-recipes/?utm_source=zergnet.com&utm_medium=referral&utm_campaign=zergnet_332876

    http://www.fao.org/potato-2008/en/world/

    http://www.potatoworld.eu/archive

    http://www.abbabatatabrasileira.com.br/

    http://www.mundoboaforma.com.br/calorias-da-batata-tipos-porcoes-e-dicas/

    http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2015/12/globo-reporter-viaja-o-mundo-em-busca-da-origem-dos-alimentos.html

    Camila Nishimoto

    12/01/2016 em 16:21

  42. RELATÓRIO DE PRODUÇÃO DE INFOGRÁFICO – NETFLIX

    Thainá Roveroni Zanfolin 141 031 263
    Jornalismo Diurno – 4º termo – turma A

    -> ESCOLHA DO TEMA
    O tema “Netflix” foi escolhido por ser um assunto recente que, além de envolver avanços tecnológicos, também demonstra as mudanças no consumo de produtos audiovisuais. A princípio, as pesquisas deram bastante resultados, mas, a busca de dados mais específicos, como o lucro da empresa, o crescimento do número de assinantes, entre outros detalhes, foi mais demorada e complicada, uma vez que não havia sites confiáveis que apresentavam essas informações e o próprio site da Netflix não mostrava esses dados. Essa busca por dados mais específicos (que iriam gerar mais gráficos para o trabalho) foi a maior dificuldade encontrada em toda a produção do infográfico.
    É importante frisar que o infográfico foi pensado para acompanhar uma matéria sobre o tema, apesar de poder ser bem entendido pelo leitor sem leitura prévia do texto. Pensei dessa forma pois preferi colocar apenas as informações mais importantes sobre a empresa no infográfico, sem citar, por exemplo, o nome de todas as produções, dos criadores da empresa, entre outros dados. Fiz essa escolha para que o infográfico não ficasse com muitos elementos em excesso.

    -> PESQUISA
    A pesquisa sobre dados gerais sobre a Netflix foi feita em sites de tecnologia ou cinema/séries, que apresentavam alguns dados históricos e estatísticos, apesar destes últimos não serem constantes. A verificação dos dados encontrados nesses sites foi feita a partir do próprio site da Netflix que apresenta sua linha do tempo e um breve histórico e explicações sobre como funciona seu sistema.
    Infelizmente, dados que poderiam gerar mais gráficos, como sobre o lucro, crescimento do número de assinantes no Brasil, entre outros, não foram encontrados de forma sistemática na Internet ou no próprio site da Netflix. Por não ter como conferir e verificar a veracidade dos dados encontrados em alguns sites, preferi não realizar alguns gráficos mas manter a certeza de todas as informações.
    – Links de pesquisa:
    Dados em geral
    http://convergecom.com.br/telaviva/paytv/20/01/2015/netflix-supera-meta-e-chega-a-574-milhoes-de-assinantes-2/
    http://www.tecmundo.com.br/netflix/59388-netflix-dobra-lucros-2014-atinge-50-milhoes-usuarios.htm
    http://idgnow.com.br/internet/2015/07/10/especial-as-7-melhores-series-originais-do-netflix/
    http://www.techinsider.com.br/2015/07/conheca-a-historia-do-netflix-video/
    Como funciona
    https://help.netflix.com/pt/node/412
    https://www.oficinadanet.com.br/post/14513-o-que-e-netflix
    Linha do tempo e informações específicas
    https://media.netflix.com/en/about-netflix

    PRODUÇÃO DO INFOGRÁFICO E ELEMENTOS DO INFOGRÁFICO

    -> TAMANHO/FORMATO
    O tamanho do infográfico é de um meio-standart (28 x 32 cm). A escolha desse tamanho foi feita a partir da decisão de que o infográfico poderia ser acompanhado de uma matéria sobre o tema. Assim, não seria necessário que todas as informações fossem colocadas no infográfico. Mas, mesmo assim, o leitor encontra as informações principais ao ler o infográfico, sem que haja comprometimento da informação como um todo.
    Fiz o teste de dois tamanhos: o meio-standart (28 x 32 cm) e revista aberta (26,5 x 40 cm). Os elementos entre os dois tamanhos não mudam, apenas as proporções e algumas disposições, uma vez que pensando no tamanho revista, foi necessário deixar um espaço ao meio para a dobra/grampo da revista. Com a presença desse espaço, a dobra não atrapalharia a leitura do texto ou a leitura da linha do tempo, que seria prejudicada caso o espaço da dobra não fosse pensado.

    -> CORES
    As cores escolhidas para os destaques foram baseadas na cor do logo/banner da NETFLIX, pensando em tornar o infográfico ainda mais próximo do tema e que o leitor entendesse do que se trata já no início, mesmo se ainda não tiver lido o infográfico.
    Cores predominantes: vermelho (RGB: 185 – 9 – 11) para detalhes e destaques importantes e branco para corpo do texto e a maioria dos destaques.
    O fundo escuro foi pensado para dar maior destaque nas cores predominantes do infográfico sem prejudicar a leitura. A quantidade de texto também foi diminuída para que a leitura fosse facilitada apesar do fundo mais escuro. Fiz também uma opção de cor mais clara pensando para caso houvesse problema com o fundo escuro na impressão em papel jornal, por exemplo.

    -> TIPOLOGIA
    De forma geral, os textos em destaque não apresentam serifa, enquanto o corpo do texto apresenta. Procurei para colocar em destaque tipos que lembrassem também a própria tipologia do site da Netflix.
    – Título: para que a palavra “filmes” ficasse semelhante ao logotipo da Netflix, utilizei a fonte “Bebas Neue” e desenhei as sombras das letras utilizando um software de edição de imagem.
    – Destaques: sem serifa; fontes: “Bebas Neue”, “Century Gothic” ou “Berlin Sans FB”. Entre tamanho 14 e 16.
    – Corpo de texto: com serifa; fontes “Cambria”. Tamanho 12.

    -> GRÁFICO e LINHA DO TEMPO
    O gráfico apresentado, que mostra a diferença do número de assinantes no mundo em um período de tempo, foi feito à mão para que ficasse proporcional e melhor encaixado com o tamanho, com as cores e com a proporção do restante do infográfico. A escala foi feita pelo Infogram, mas foi feito o redesenho desta em um software de edição de imagens para que se ajustasse melhor ao infográfico como um todo.
    A linha do tempo também foi feita à mão no próprio Indesign, utilizando a ferramenta de retângulos. Para ela, pensei e deixá-la semelhante ao player da própria Netflix, para que se assemelhasse mais ao tema e não fosse apenas uma linha do tempo, mas também um objeto gráfico que chama atenção no infográfico como um todo.

    -> SÍMBOLOS e IMAGENS
    Os símbolos foram utilizados para dividir os textos e explicar o que cada parte do texto vai falar. Eles foram pensados para explicarem de forma direta o que cada parte do infográfico irá falar e também para quebrar uma possível grande quantidade de texto.
    Os símbolos d o lado esquerdo são todos gratuitos e de uso livre, baixados na Internet. Os símbolos utilizados no lado direito (que mostram as séries produzidas pela Netflix) também foram feitas à mão em um software de edição de imagem.
    Sobre as imagens, procurei não utilizar muitas para manter as imagens de uso gratuito e livre. Entretanto, para fazer os símbolos das produções originais, foi necessário utilizar imagens disponibilizadas pela própria Netflix como divulgação.
    Links:
    https://www.iconfinder.com/ (para busca de símbolos)
    http://www.freepik.com/ (para busca da IMAGEM DE FUNDO)

    -> CONCLUSÃO
    De forma geral, as dificuldades maiores para a realização do infográfico foram a busca de informações sobre o assunto que, apesar de ser muito comentado, ainda há poucos dados concretos sobre.
    Sobre as questões visuais, acredito que a maior dificuldade foi pensar no tamanho e nas proporções de cada elemento, para que não ficasse carregado e para que a leitura se tornasse mais simples e intuitiva.
    O infográfico foi pensado para ser uma leitura fácil e divertida para o leitor. Tem a função tanto de informar quem já sabe sobre o assunto (trazendo informações como a explicação de streaming e a linha do tempo) ou quem ainda não conhece nada. Todos os dados foram pesquisados e colocados pensando nesses dois tipos de possíveis leitores, tentando abranger informações importantes e significantes para os dois.

    Thainá Zanfolin

    12/01/2016 em 16:28

  43. Relatório – Infográfico

    Tema
    O tema escolhido para a criação do infográfico é Harry Potter

    Pesquisa
    Não haviam muitos pesquisas com valores númericos sobre a saga Harry Potter que não fossem a respeito de sua bilheteria, por isso decidi criar uma breve pesquisa no Google Forms para analasar o perfil dos fãs de Harry Potter e suas preferências. A pesquisa consistiu em oito perguntas:

    Qual a sua idade?
    Qual o seu sexo
    Para você qualo personagem secundário mais marcante?
    Quais livros da série você leu?
    Qual deles é seu favorito? (única pergunta não obrigatória, pois há pessoa que não leram nenhum dos livros)
    No caso dos filmes, qual o seu favorito?
    Que morte em Harry Potter você evitaria?
    A qual casa de Hogwarts você pertenceria?

    Links do questionário foram postados em páginas de fãs de Harry Potter no Facebook, mas també postados abertamente para qualquer pessoa fora desses grupos. A duração da pesquisa foi do dia 5 de dezembro de 2015 à 3 de janeiro deste ano, tendo sido contabilizados no total 83 votos. Entretanto houve casos em que foi preciso desconsiderar 3 votos. Isso ocorreu na pergunta qual o seu personagem secundário mais marcante. Não era uma pergunta com opções, ou seja, era aberta, porém duas pessoas colocaram Fred e Jorge Weasley, a pergunta pedia por apenas um personagem. Outro voto desconsiderado foi o que deu uma resposta desrespeitava a pesquisa, assim este voto também foi descartado.

    Gráficos
    Foram utilizados gráficos em pizza e em barra (feitos no Google spread sheets), porém nem todas as perguntas da pesquisa foram expostas na forma de tais gráficos.
    Sexo
    uso de dos símbolos de masculino e feminino
    houve uma grande maioria de votos femininos (86,7%)
    Idade
    foram divididas em seis faixas etárias
    *menor de 18 anos
    *18-25 anos
    *26-30 anos
    *31-35 anos
    *36-40 anos
    *acima de 40 anos
    uso de gráfico em barras verticais na cor verde
    os valores numéricos foram expostos
    casas de hogwarts
    neste caso não foram usados nenhum gráfico, mas sim os símbolos de cada casa juntamente das porcentagens
    pequenos textos contando fatos sobre cada casa também acompanharam
    personagem secundário mais marcante
    pergunta aberta, tendo 19 personagens votados
    gráfico em barras horizontais
    a paleta de cores de cada barra é baseada na casa de hogwarts de cada personagem
    livros lidos da série
    gráfico de barras na vertical
    paleta de cores tem como base as cores da lombada dos livros da edição limitada de Harry Potter publicados pela editora Rocco
    livro favorito da série
    uso de gráfico em pizza
    apresentação de valores em porcentagem
    como pergunta não era obrigatória, 72 pessoas a responderam
    filme favorito
    não foi utilizado gráfico tradicional, mas sim ícones de representando cada filme
    valores em forma de porcentagem
    morte que evitaria
    gráfico em pizza utilizado
    valores númericos expressos
    foram escritos pequenos textos sobre os três personagens mais votados
    apresentadas fotos dos três personagens mais votados

    Tipologia
    Optei por fontes de texto não serifadas e em negrito pois acreditei que a leitura seria mais confortável desta forma.

    Paleta de cores
    A cor da fonte de corpo de texto não é fixa, ela varia em função do plano de fundo, podendo ser branca ou preta.
    O gráfico “Quais livros foram lidos” teve sua paleta de cores estabelecida em função das lombadas dos livros da edição limitada de Harry Potter, da editora Rocco.
    O gráfico “Personagem secundário mais marcante” teve as cores da barra estabelecidas de acordo com as casas de cada personagem
    Os gráficos em pizza tiveram suas cores pré-estabelecidas no google spreadsheets e estas não foram alteradas
    o corpo de texto estão nas cores preta e branca, variando devido o plano de fundo

    Tratamento
    As imagens dos atores que aparecem no infográfico foram tratadas no Photoshop, no sentido de tirar o plano de fundo.

    Fontes:
    ícones do primeiro gráfico (os números mágicos de harry potter)
    http://www.freepik.com/free-vector/round-book-labels_815975.htm
    http://www.freepik.com/free-vector/cinema-icons_763130.htm
    informação sobre faturamento
    http://fanzone.potterish.com/geral/harry-potter-em-numeros/filmes

    Montagem
    Para compor o infográfico utilizei os programas Photoshop e Indesign, sendo que a montagem e organização de todos os elementos se deu no InDesign

    luana brigo

    12/01/2016 em 16:40

  44. 1. Pauta: O direcionamento escolhido para o infográfico foi analisar o perfil do público (faixa etária, região aonde vivem, gênero) que consome seriados televisivos (tais quais Game of Thrones, Grey’s Anatomy, etc.). Por ser direcionado para um público que já possui familiaridade com o tema, foca em enumerar e demonstrar as favoritas, não em explicá-las de forma didática, caso fosse direcionado para um público leigo.

    2. Pesquisa informativa: Todos os dados estatísticos foram levantados por mim, através de um formulário criado no Google Docs e divulgado em grupos de fãs de seriados. Conta com 660 respostas, obtidas em menos de 24 horas.

    3. Pesquisa imagética: Como o infográfico é basicamente composto por gráficos informativos, utilizei o site infogr.am para gerá-los. A balança foi retirada do site IconFinder e é liberada para uso e os fios foram retirados do site MapServer. Os outros ícones foram produzidos por mim, com o uso de programas de edição.

    4. Organização: Separei as informações em duas categorias bem distintas: O PÚBLICO e AS SÉRIES. Na primeira, iniciei com região de origem, então parti para a idade dos participantes da pesquisa (como já esperava que o número de respostas fosse alto, coloquei faixas etárias e não como resposta aberta por idade exata) e por fim gênero. Já na segunda categoria, iniciei com as cinco favoritas com mais de duas temporadas, então passei para as duas favoritas finalizadas, as três favoritas recentes e fechei o infográfico com as outras séries mais citadas.

    5. Esboço: A área escolhida foi a de uma folha A3 em posição horizontal (29 cm de altura x 42 cm de largura). O desenho original foi feito em folha A4, sendo um esboço que contaria com mais dois gráficos (orientação sexual e as cinco séries que não caíram no gosto dos fãs), mas, ao passar para o programa de edição, o infográfico pareceu poluído demais, o que me levou a escolha de retirá-los do trabalho final.

    5.1 Fontes e cores utilizadas:
    Título: Letra A: NFL Chargers 2007, R: 51, G: 51, B:51, letra s: Arial, R:51, G: 51, B:51 Queridinhas da internet: Solari (Queridinhas: R:255, G: 83, B:83; da internet: R: 153, G: 204, B: 255)
    Lead: Geosans Light, tamanho 14, R: 51, G: 51, B:51
    O PÚBLICO / AS SÉRIES: Champagne & Limousines, tamanho 25, negrito, R: 51, G: 51, B:51
    Perguntas (De onde são? Quantos anos eles tem?, etc.): Champagne & Limousines, tamanho 15, negrito, R: 51, G: 51, B: 51
    Legendas: Geradas pelo infogr.am, mas creio que sejam todas em Arial em diferentes tamanhos.
    Para os títulos das séries, (sense8, Jessica Jones, Narcos), utilizei fontes semelhantes as utilizadas nos próprios seriados, porém não exatamente as mesmas devido as restrições dos direitos autorais).

    6. Tratamento: Toda geração de gráficos foi produzida pelo site infogr.am, exceto o podium e a balança, que foram criados por mim. Algumas imagens foram redimensionadas para caberem em seus devidos espaços, mas sempre tomando cuidado para se manterem legíveis e nítidas.

    7. Montagem: Foram utilizados três softwares de edição: PhotoFiltre Studio X, PhotoShop CC e inDesign. Como dito anteriormente, os gráficos foram gerados pelo infogr.am, A montagem foi feita visando transmitir todas as informações necessárias sem tornar a edição poluída e desorganizada. Conta com algumas áreas em branco para proporcionar o descanso durante a leitura.

    8. Finalização:
    Exportação do arquivo em PDF para as Compartilhadas

    Links fontes:
    http://www.dafont.com/pt/champagne-limousines.font
    http://www.dafont.com/pt/nfl-chargers-2007.font
    http://www.dafont.com/pt/geo-sans-light.font
    http://www.dafont.com/pt/solari.font
    https://infogr.am

    Paleta de Cores:
    http://i67.tinypic.com/282keg2.png

    Link Formulário da Pesquisa Criada:
    http://goo.gl/forms/sTtb1T5tO7

    Thais Fritoli Pichatelli

    12/01/2016 em 17:58

  45. 1. Pauta: O infográfico que produzi foi feito sobre a relação entre o consumo de tabaco no Brasil e a renda salarial dos fumantes, tentando mostrar como aqueles que estão nas classes mais baixas são os mais vulneráveis ao vício no tabaco, já que os efeitos de suas toxinas causam sensação de alívio para as malezas que a pobreza traz.

    2. Pesquisa informativa: Procurei encontrar um ponto ilustrativo entre as tantas pesquisas sobre o assunto feitas pelo IBGE e encontrei nas informações de 2008 tabelas que relacionam a quantidade de cigarros fumados por dia com a renda mensal de brasileiros a partir dos 15 anos.

    3. Pesquisa imagética: escolhi alguns elementos simples disponibilizados na busca de imagens, o cigarro e as moedas, para compor um infográfico em etapas: apresentação, gráfico e contextualização e informação de curiosidades. As cores, branco, preto e laranja se relacionam ao cigarro e à sobriedade dos elementos que quis trazer. O modelo de base foi escolhido num site que disponibiliza templates, o Piktochart. Um cigarro solto e uma pilha de moedas fazem a vez de linhas, separando textos e partes do infográfico, mas de forma bem simples. Também foram utilizados ícones gráficos disponibilizados no site para ilustrar as curiosidades.

    4. Organização:O gráfico está separado em três partes, verticalmente. Na primeira está o título e o subtítulo, um ao lado do outro, separados por um cigarro e um monte de moedas empilhadas. Abaixo está a contextualização do assunto e o gráfico feito a partir da tabela mencionada no tópico 1. Na última parte, separada da segunda por um cigarro usado como linha, estão três “porquês” sobre o uso do cigarro, ou seja, três motivos que justificariam tal vício nas pessoas mais pobres.

    5. Esboço: o esboço foi feito nos programas Paint e Word, como forma de visualização anterior de elementos como imagens em relação aos textos. Também uma forma de verificar se tudo caberia na plataforma disponível. Nos títulos e no subtítulo foi usada a fonte Bebas, não serifada, em negrito e um tanto quadrada, deu um aspecto sóbrio mas moderno ao infográfico. Nos demais textos, a fonte foi a Lato, no tamanho que melhor se encaixava no espaço disponível (e que fosse legível); também fonte simples, nem muito infantil e nem rebuscada demais. Os dados ao redor do gráfico estão todos em Jigsaw tamanho 11, letra pequena, discreta e de fácil leitura. As cores estão relacionadas à sobriedade do tema (preto e branco) e o alaranjado se une à imagem do cigarro, mais especificamente do filtro.

    6. Tratamento: As imagens utilizadas foram encontradas na busca de imagens e recortadas, ainda que precariamente, no Paint, único que havia disponível. São poucas, para dar unidade do infográfico com o próprio tema. As cores eu já havia programado no esboço, bem como as fontes a utilizar. Os demais elementos eu encontrei no site que utilizei, os ícones.

    7. Montagem: O site que disponibilizou a base do infográfico também já dispunha de certa ordem de informações, só precisei organizá-las de forma a dar unidade e bom segmento à leitura. O gráfico foi algo que precisou de mais acabamento, mas acabou se encaixando bem ao entorno.

    8. Finalização – https://tabagismo8c.wordpress.com/causas-e-consequencias/

    http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2008/suplementos/tabagismo/pnad_tabagismo.pdf

    http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/manual31maio.pdf

    http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/manual31maio.pdf

    Giovana Amorim de Souza

    12/01/2016 em 18:01

  46. 1) Pauta: Escolhi o tema “ascensão de Aubameyang”, um jogador gabonês que recentemente conquistou o prêmio de melhor jogador de futebol africano e a cada ano vem marcando cada vez mais gols.

    2) Pesquisa informativa: Utilizei para levantar informações sites de estatísticas futebolísticas.

    3) Pesquisa imagética: As imagens do jogador foram retiradas do site http://www.bvb.de/ (atual clube de Aubameyang) e estavam marcadas para divulgação.

    4) Organização: Fiz um gráfico mostrando a quantidade de gols que ele marcou em cada período de tempo e em seguida, um quadro que informa quantos gols ele marcou por cada equipe que jogou e pela seleção nacional do Gabão.

    5) Esboço: O gráfico é bem simples, com o adendo do jogador, reforçando a grande quantidade de gols marcados desde que ele se transferiu para o AS Saint-Étienne e posteriormente, o Borussia Dortmund. Depois fiz uma tabela informativa com os clubes que o mesmo atuou e a relação jogos/gols. A fontes utilizadas foram “bebas neue” e “times new roman”. Utilizei as cores amarelo e preto, que são as mesmas cores do Borussia Dortmund, clube em que ele atua atualmente e vive o melhor momento da carreira.

    6) Tratamento: O infográfico foi feito com a intenção de simplificar e disponibilizar todos os gols da carreira de Pierre-Emerick Aubameyang.

    7) Montagem: Utilizei o Adobe Illustrator.

    8. Fontes

    Fiz uma extensa pesquisa em sites de estatísticas futebolísticas e também olhei o site do Borussia Dortmund, atual clube do atleta. Assim pude chegar em um denominador comum. Infelizmente, como realizei o infográfico em minha cidade natal, no computador que possuo lá, não possuo os links das fontes, pois só me lembrei que também tinha que escrever um relatório, quando cheguei em Bauru, depois do recesso.

    http://www.bvb.de/eng/Teams/First-Team/Pierre-Emerick-Aubameyang
    http://www.bvb.de/eng/Statistics/Goals

    Leonardo Biazzi

    12/01/2016 em 18:58

  47. Rafael Marques De Luca
    Jornalismo Noturno – quarto período

    1-Pauta: Flutuação do Dólar e implicações para a população
    Buscando entender o crescimento, e as causas, do aumento do Dólar, o enfoque desse infográfico foi mostrar o crescimento da moeda norte-americana ao longo de um período de 5 anos. O papel do infográfico é mostrar de maneira clara as cotações do Dólar desde 2010, e apresentar para o leitor as principais causas e efeitos da subida dessa moeda.
    Links para apoio:
    http://tribunadonorte.com.br/noticia/da-lar-fecha-2015-com-alta-de-48-9/334514
    http://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/dolar-comercial-estados-unidos/?historico

    2 – Pesquisa informativa
    Para buscar um maior entendimento das causas e consequências do aumento do dólar, foram pesquisadas todas as cotações da moeda em questão desde 2010. Valendo R$ 1,66 em dezembro do primeiro ano de amostragem, o dólar mostrava sinais de crescimento à medida em que foi subindo controladamente até 2014, quando chegou à R$ 2,65.
    Contudo, a crise da corrupção da Petrobrás, uma das maiores do mundo e a maior empresa do país, a crise política ocasionada por braços-de-ferro entre oposição e situação, além de uma queda histórica da China, uma das economias mais fortes do mundo atualmente, fizeram com que o Dólar disparasse para R$ 3,94, deixando o real, nesse momento em situação frágil, no posto de segunda moeda mais desvalorizada do mundo, atrás apenas do Peso argentino.

    3- Pesquisa imagética
    Com os gráficos produzidos pela plataforma Infogram (https://infogr.am/app/#/library ), foram utilizados nesse infográfico um gráfico de barras, na cor azul-água para fazer uma referência à nota de dólar, que possui um tom esverdeado, e um gráfico típico de prós e contras, que foi utilizado aqui para mostrar as causas e consequências da brusca subida do dólar para o brasileiro.
    Para o fundo do gráfico foi escolhido uma imagem, uma nota envelhecida com destaque para o símbolo do dólar e com as laterais desfocadas, com permissão para reprodução sem fins comerciais.
    Para criar um contraste na paleta de cores presentes no infográfico, foi colocada uma faixa preta, lembrando um daqueles elásticos utilizados por bancos em maços de dinheiro. Além do efeito estético referido, a faixa preta buscou dar mais visibilidade para a fonte Arial utilizada, uma vez que se ela fosse colocada diretamente sobre o fundo ficaria apagada em certos pontos.

    4-Organização
    Sabendo que o presente infográfico teria como papel principal a demonstração para o leitor do crescimento absurdo do Dólar em 2015, o gráfico de barra com as cotações desde 2010 foi colocado na esquerda, onde o leitor tende a começar sua leitura. Antes, o título e as informações presentes na barra preta posicionada na parte de cima buscam introduzir o assunto tratado pelo gráfico, mostrando ao leitor que a moeda norte-americana subiu cerca de 50% em relação ao ano anterior e a desvalorização do Real.
    Logo após a barra com as cotações, vem uma tabela com as principais consequências e causas desse brusco crescimento do Dólar para a população brasileira. Assim, após uma introdução e demonstração do crescimento do Dólar, o leitor fecharia sua leitura com os efeitos dessa mudança.

    5- Esboço
    Buscando cores que lembrassem uma nota de Dólar, a cor esverdeada do gráfico, assim como a faixa preta (lembrando um elástico de dinheiro) buscou deixar o infográfico equilibrado e bom aos olhos. A ideia de fazer esse infográfico surgiu devido ao intenso noticiário referente ao aumento do Dólar e suas consequências, o que me fez pensar e “rabiscar” ideias para criar algo informativo e que ao mesmo tempo fosse direto ao ponto. O formato pensado inicialmente foi em uma A3. Mas, devido a ideia desse infográfico ser o complemento de uma matéria referente ao assunto, levei em consideração diminui-lo para uma A4 deitada, para que assim pudesse cumprir com o seu papel inicial.

    6- Tratamento
    Com auxílio da ferramenta Indesign e do Ilustrator consegui sobrepor e juntar todas as imagens utilizadas no infográfico sem que houvesse uma perda de qualidade ou de beleza para o produto final.

    7- Montagem
    Buscando criar uma infográfico simples, sofisticado e equilibrado, a escolha pelos contrastes das cores e das formas buscou criar um tom ameno e que ao mesmo tempo mostrasse de maneira eficaz as informações contidas, principal razão do infográfico. Simplicidade e “limpeza” foram os alvos dessa produção.

    8-Fontes
    http://www.economist.com/topics/brazil
    http://economia.uol.com.br/cotacoes/ultimas-noticias/2010/12/30/dolar-acumula-queda-de-442-em-2010-valendo-r-1666.jhtm
    http://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/dolar-comercial-estados-unidos/
    http://economia.elpais.com/
    http://tribunadonorte.com.br/noticia/da-lar-fecha-2015-com-alta-de-48-9/334514
    http://time.com/3971252/brazil-corruption-political-economic-downturn-olympics/
    https://infogr.am/app/#/login

    Rafael M. De Luca

    12/01/2016 em 19:03

  48. Pauta: resolvi escolher um tema fácil e com informações que eu já sabia, pra facilitar ao máximo meu trabalho, uma vez que, como tenho dificuldades com planejamento gráfico, precisaria minimizar possíveis erros ao máximo.

    Elementos utilizados: ícones, ilustrações e boxes, sempre remetendo ao tema: Esporte Clube Taubté

    Tipologia: Fontes Impact (para a maior parte) e CABNDWeb (no final, quando falo sobre os estádios que o clube já teve). Achei que combinou com o tema

    Iconografia: usei as bandeiras da cidade de Taubaté e do estado de SP para compor a manchete; uma coroa de três pontas, que remete aos 3 títulos do interior que o clube conquistou; coloquei o mascote e a evolução do emblema do clube, para dar um ar de conteúdo histórico; taças, que representam os títulos conquistados, setas, os acessos obtidos; por fim, um ícone de localização, pra falar sobre os estádios que o clube já teve.

    Produção: usei o site easel.ly. No começo, tive diversas dificuldades, mas consegui superá-las. Fiquei feliz com o resultado final.

    Gustavo Abraão Guimarães (Monge)

    12/01/2016 em 19:14

  49. Nome: Rodrigo Oliveira Correia Jornalismo Noturno: 4º termo
    1-Pauta: O novo filme da série Star Wars lançado em dezembro
    Star Wars, a série de filmes que fez muito sucesso em meados da década de 70 e 80, teve um novo longa-metragem lançado no ano de 2015, o primeiro, após a compra da LucasFilms pela The Walt Disney Company. Assim logo nos primeiros dias de sua estreia o sétimo filme da série quebrou recordes não só em relação a sua franquia como também do cinema mundial.
    2 – Pesquisa informativa
    Para se ter a dimensão de todos os feitos desse novo filme foram pesquisados os valores de arrecadação dos antigos filmes Star Wars, como também foram pesquisados quais os recordes quebrados por Star Wars: O Despertar da Força, o mais recente, além da crítica especializada em relação ao filme.
    Assim pode-se demonstrar que o novo filme não somente teve êxito no nicho dos fãs da própria série que assistiram as antigas películas, como também atraiu um novo público e os elogios e menções positivas das críticas, além claro do sucesso na arrecadação financeira, apenas com os números de bilheterias.
    Fontes:
    http://omelete.uol.com.br/star-wars/
    http://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2015/12/27/o-despertar-da-forca-faz-us-1-bilhao-e-bate-avatar-e-sherlock-holmes.htm
    http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/01/1728018-o-despertar-da-forca-se-torna-3-maior-bilheteria-do-mundo.shtml
    https://www.nexojornal.com.br/expresso/2015/12/18/Aqui-est%C3%A1-um-resumo-das-cr%C3%ADticas-sobre-Star-Wars-O-Despertar-da-For%C3%A7a

    3- Pesquisa imagética
    O gráfico foi construído inicialmente no Google Drive( drive.google.com) , no qual posteriormente as barras foram substituídas por sabres de luzes, elemento característico do filme, que causa identidade com o público, a imagem foi alterada a partir do PhotoShop.
    As outras imagens presentes são ícones presentes no site Icon Archive (http://www.iconarchive.com/) ou fornecidos pelo construtor de infográfico no Piktochart (http://piktochart.com/) no qual foram produzidos o formato e a disposição dos elementos do infográfico.
    4-Organização
    A disposição inicialmente se tem um texto com uma breve explicação sobre a compra da antiga produtora dos filmes, esse texto aparece em perspectiva novamente se remetendo a um processo visto nos filmes que possui uma introdução semelhante. Em seguida o gráfico com a arrecadação dos antigos filmes.
    E depois é apresentado uma síntese dos recordes do novo filme utilizando de um personagem introduzido nesse longa-metragem recente. E por fim a avaliação das críticas com o ícone do Mestre Yoda causando uma relação de entre a opinião emitidas pelos avaliadores como algo a ser ouvido como os ensinamentos da personagem do filme.
    5- Esboço
    As cores mais utilizadas são o preto e o amarelo, característicos do próprio filme. E no fim da publicação é utilizado uma parte branca para dar um equilíbrio nos tons claros e escuros. O fundo utilizado é o céu estrelado também presente na película na folha A3 na horizontal, ou seja, 420X297 mm. Inicialmente a ideia era apresentar mais dados sobre o novo filme, entretanto o infográfico apresentava poucos ícones, então essa foi a alteração até o projeto final no qual pode ser observado mais imagens fazendo referencias e menos texto como são características de um infográfico. A fonte tipológica no título e subtítulo é a Star Jedi tamanho 24 e 18, respectivamente, enquanto o corpo do texto é Arial 12 e a Fugaz 22. No bloco da avaliação da crítica é a fonte Tahoma.
    6- Tratamento
    Foram utilizados nesse projeto os produtos da Adobe: o Indesign, para a edição e organização do trabalho, e o Photoshop, como citado inicialmente para fazer a substituição da barra dos gráficos pelos sabres de luz. E também foram utilizado para fazer o texto em perspectiva. Além do PiktoChart no qual os ícones e a ‘segunda’ metade do conteúdo do infográfico foi produzida e editada.
    7- Montagem
    A ideia inicial do infográfico é se utilizar de várias alegorias apresentadas no universo de Star Wars não só as suas personagens, como os elementos e objetos utilizados na saga ou até o texto inicial como na introdução. Todos esses elementos causam identidade com o universo Star Wars.

  50. 1. Pauta:
    A pauta inicial era Disney, porque eu gosto bastante dos filmes e achei que fossem ser interessante. Enquanto pesquisava, encontrei no Pinterest um infográfico pronto, feito pelo Buzzfeed sobre as personagens mulheres dos principais filmes e resolvi que iria refazê-lo. Os dados trazem informações e fazem comparações sobre essas 20 personagens, como por exemplo, o país em que elas morariam.

    2. Pesquisa informativa:
    Os dados utilizados foram os que estavam no infográfico usado como base.

    3. Pesquisa imagética: As imagens das personagens foram encontradas no Pinterest, Google Imagens, Tumblr e também no site oficial da Disney. Os ícones usados foram os disponíveis na plataforma online que utilizei para criação do infográfico, o Picktochart. As texturas usadas como plano de fundo também são próprias da plataforma.

    4. Organização: As informações foram distribuídas em sessões independentes e cada uma dessas sessões tem um tema específico. As idades foram categorizadas em faixa etárias; Os países em que as histórias se passariam foram mostrados em um mapa mundi; A etnia das personagens foi colocada em forma de gráfico de pizza e porcentagem para que pudesse mostrar a discrepância de personagens brancas e não-brancas; O status de relacionamento ao término do filme foi colocado em lista entre “casadas” e “solteiras”; A cor de cabelo foi colocado como gráfico também, porém de barras; As informações sobre os pais das personagens foram colocadas com o símbolo da cruz, duas para quando ambos os pais são falecidos e uma para quando apenas um pai faleceu, e um coração para mostrar se eles estão vivos e são casados; As profissões foram distribuídas aleatoriamente pela página; e termina mostrando quem são as únicas personagens entre vinte que usam calças em algum momento do filme.

    5. Esboço:
    Meu infográfico possui 901cm x 11354 cm. A fonte utilizada na “capa” foi Poiret One e o logo da Disney, em branco. Para os títulos das sessões, a fonte utilizada também foi Poiret One, em branco. As informações do infográfico estão na fonte Abel, em branco. O infográfico utiliza quatro tons de roxo intercalados como plano de fundo e os textos estão em branco. Há também o uso de um tom claro de azul petróleo no mapa mundi, usado para destacar no fundo roxo médio-claro e também de todas as outras informações daquela parte. Usa-se também rosa claro, azul água e coral.

    6.Tratamento: Não houve tratamento das imagens, apenas foram redimensionadas em círculos no Picmonkey, site de edição online.

    7. Montagem: A composição base se resume nas sessões independentes. Cada uma dessas partes apresenta seu design e distribuição, porém conversam entre si através das cores, imagens, títulos e fontes. O infográfico não tinha um tamanho original definido, pois as sessões foram sendo adicionadas conforme necessidade e informações adicionais que foram colocadas.

    8. Finalização: Foi feito download do arquivo do site e ele foi salvo em JPG.

    http://www.buzzfeed.com/justinezwiebel/we-did-a-census-of-all-the-disney-female-animated-characters?sub=3521568_4318160&pp=1#.pa5avgoj5

    Ana Carolina M. Alves

    12/01/2016 em 19:26

  51. Relatório de desenvolvimento e produção:
    1. Pauta: Resolvi fazer um infográfico sobre o percentual de acertos nos arremessos de quadra de cada jogador – foram reunidos dados dos 3 jogadores com melhor aproveitamento de cada posição -, que é um dado específico do basquete que pode modificar de muitas maneiras uma partida e o desempenho de cada equipe durante o campeonato.
    2. Pesquisa informativa: Os dados foram levantados através dos sites http://espn.go.com/ e http://stats.nba.com/?ls=iref:nba:gnav que apresentam scouts e estatísticas de cada partida e jogador. Os dados numéricos foram retirados do site e as observações foram feitas de através de pesquisas, textos especializados e também do meu conhecimento.
    3. Pesquisa imagética: As ilustrações foram feitas, utilizando o site http://infogr.am , http://piktochart.com/ , que disponibilizam algumas caixas de texto com formatos estilizados. O tratamento das imagens foi feito no Photoshop. Não foram utilizadas imagens que continham direitos autorais. Tudo o que foi utilizado, foi cedido pelos sites aos usuários não premium.
    4. Organização: A organização foi feita dessa maneira para destacar o principal elemento do infográfico – percentual de acertos nos arremessos de quadra -, logo abaixo veio a legenda, que possui um conteúdo explicativo, assim como o quadro da esquerda.
    5. Esboço: O esboço do layout foi feito em folha sulfite A4, exatamente do tamanho da versão final. A escolha das fontes, foi feita para manter uma leitura agradável e pouco agressiva. A escolha da paleta de cores foi cuidadosa. Utilizei os tons que na minha opinião combinaram muito bem entre si e com o fundo do infográfico, que é um assoalho de quadra de basquete.
    Fontes tipológicas:
    Título: Ropa Sans
    Subtítulo do quadro azul: Helvetica
    Texto do gráfico laranja: Ropa Sans
    Fonte do quadros: Padrão do site infogr.am (não consegui descobrir o nome dela)

    Paleta de cores:
    Fundo: Assoalho de madeira claro
    Título: Vermelho escuro – #EF4844
    Subtítulo: Branco – #FFFFFF
    Texto: Preto – #000000

    Cor do gráfico: Laranja externo – #FCB13E
    Laranja do meio – #FE9E06
    Laranja interno – #ED9105
    Cores dos quadros: Azul – #55BCDA
    Cinza do quadro sob o título – #ECEDED
    Cinza do quadro “Volume de jogo”- R: 235, G:235, B: 235
    Laranja escuro (ícones, volume de jogo e título de pivô) – #F84600
    Escrito “Alas”: Azul – #3381F5
    Escrito “Armadores”: – Preto – #000000

    6. Tratamento: Não foi difícil recolher e considerar quais informações usar. A ideia já estava bem pronta na cabeça, só precisei executar.
    7. Montagem: Utilizei o Adobe InDesign e o Adobe Photoshop para reunir e retocar os elementos, além dos sites que disponibilizam layouts de infográficos para amadurecer as ideias. Na minha opinião todos os elementos ficaram bem distribuídos e a montagem foi eficaz.
    8. Fontes: Estatísticas: http://espn.go.com/, http://nba.com
    Layouts: http://infogr.am e http://piktochart.com

  52. Isabella Marão – Infográfico Audrey Hepburn
    1. Pauta: A pauta foi escolhida por questões pessoais e pela relevância que Audrey Hepburn tem no cinema e na história da moda. Por isso, acredito que uma linha do tempo biográfica de uma das maiores atrizes de todos os tempos.
    2. Pesquisa informativa: A pesquisa se deu através do livro Audrey Hepburn – A Biografia, escrito por Donald Spoto e também por buscas na internet.
    3. Pesquisa imagética: Eu utilizei o site Piktochart que já possui ícones, fontes e backgrounds prontos que podem ser utilizados em publicação. Além disso busquei imagens no site Devianart.com – com uso liberado – que representassem a atriz de forma mais divertida e tratei no Photoshop. Também encontrei imagens em fotos de divulgação de produtos e as estatuetas retirei dos sites dos prêmios.
    4. Organização: O título do infográfico é o nome da atriz para dar a ideia de ser algo biográfico e a sua data de nascimento e morte. Logo em seguida é apresentado uma linha do tempo em ordem cronológica do lado direito relatando os principais acontecimentos da vida e carreira de Audrey Hepburn. Acompanhando a linha do tempo, vem um desenho de Audrey em seu mais significativo trabalho: “Breakfast at Tiffany’s”. Embaixo da imagem, coloquei um box com uma curiosidade sobre a vida da jovem Audrey com um tracejado descontraído, para contrastar com o assunto. Logo ao lado, a linha do tempo é preenchida pela máscara de dormir que Holly, sua personagem no filme anteriormente citado, usava para quebrar um pouco a linearidade. A escolha das estatuetas que estão logo ao lado não foram por acaso. Decidi colocar aquelas justamente pela sua relevância e pela proeza que ela alcançou tendo especificamente esses prêmios. Os dados que vêm logo abaixo foram colocados com a intenção de destacar a relevância da atriz. O box com o vestido de Givenchy foi colocado para chamar a atenção para o fato, que foi importante na vida pessoal e na carreira dos dois. A quebra da linha do tempo para o lado esquerdo foi proposital. A ideia era deixar o infográfico mais interessante para a leitura e colocar a imagem da atriz segurando sua linha do tempo.
    5. Esboço: Meu infográfico possui 800 x 1347, o tamanho aproximado de uma folha A4. O fundo azul tiffany foi escolhido por causa da cor da caixinha da loja Tiffany, que deu nome ao filme “Breakfast at Tiffany’s”, o branco está presente no laço da caixa e o preto veio para acompanhar uma paleta de cores suave mas com personalidade. A fonte do título é a Merienda 64 Bold, escolhi ela para dar a ideia de algo mais moderno porém ainda clássico, como a imagem que a acompanha. O subtítulo está em League Gothic 42 por dar um tom de seriedade, já que aqui tratamos de morte. Os anos estão em Limelight 23 e a ideia era passar a imagem de algo mais vintage. O texto está sem serifa em Questrial 19 para deixar a leitura mais leve, já que se trata de muito conteúdo. Os boxes estão em Gabriela 22 para dar um ar de sofisticação ao tema e os dados de prêmios estão em Lobster 30 para chamar a atenção.
    6. Tratamento: Os elementos textuais foram definidos para compreender o título e subtítulo, que sugerem um apanhado da vida de Audrey Hepburn. A fonte das informações se encontra no fim do infográfico. A edição de imagens se deu pelo Photoshop e pelo próprio Piktochart.
    7. Montagem: A composição base se resume na linha do tempo. A partir disso, os outros elementos têm uma função estética, como os boxes e as imagens trazem um ar de leveza ao projeto.
    8. Finalização: Foi feito download do arquivo do site e ele foi salvo em JPEG

    Isabella Marão Perassollo

    12/01/2016 em 19:27

  53. Relatório inforgráfico – Belda
    Pauta: Resolvi fazer o infográfico sobre intercâmbio, abordando algumas pequenas curiosidades quanto ao número de brasileiros que se interessam no assunto, assim como dado dicas de como começar a procurar um dos programas. A escolha foi feito devido ao grande número de pessoas que possuem interesse em estudar fora do país, porém nunca tiveram informações básicas para o início dessa experiência.
    Pesquisa informativa: o levantamento de dados foi feito através de variados sites voltados para o tema e até mesmo em infográficos encontrados em sites de curiosidades e de viagem. Também foi utilizado conhecimento pessoal quanto ao assunto devido à experiências anteriores.
    Pesquisa imagética: os ícones utilizados no título do infográfico foram encontrados no site Iconfinder. O mapa do Brasil foi encontrado em um site onde haviam imagens autorizadas para o download das mesmas, já os outros ícones e imagens foram utilizadas de um site focado em montagem de infográficos.
    Organização: O infográfico foi dividido em três partes através de uma linha fina um melhor entendimento e organização. No início, o foco foi dado à introdução aos programas de intercâmbio e para as curiosidades sobre os brasileiros. No segundo bloco, foi escrito um passo a passo para pessoas que têm interesse em fazer um intercâmbio, oferecendo dados como preços e países mais populares. Já no terceiro, e último, bloco, foi dado a opção de três sites sobre o tema para que os leitores tenham informações mais aprofundadas caso queiram.
    Esboço: A tipografia e a iconografia foram escolhidas para oferecerem um estilo mais limpo. Todas as fontes utilizadas nos corpos dos textos não possuem serifa, apenas o título tem, estas são as seguintes: Peas&Carrots, MoonFlower, Poiret One, Cabin Sketch
    A paleta de cores é constituída pelas seguintes cores: FC006F; 2B8B87; DFDCC7; Definidas incialmente no site color.adobe.com
    Dimensão 800×1874
    Tratamento: Imagens como o mapa do Brasil e os logos dos sites foram editados para apenas para retirar o fundo das imagens e incluir a transparência, para que pudessem se encaixar na mesma tonalidade do fundo do infográfico. Os outros elementos imagéticos foram retirados de sites de ícones.
    Os textos foram escritos e editados por mim mesma, através de dados coletados e experiências pessoais, os créditos para as fontes estão no final do infográfico. Para o gráfico foi escolhido o formato de barras triângulo, pois achei que combinasse com o visual mais leve do trabalho como um todo, com informações coletadas em sites especializados no assunto.
    Montagem: Foi, primeiramente, feito um esboço à mão para ter uma ideia de como as coisas ficariam ajeitadas. Logo depois disso, com ajuda de programas para montagem, fui alinhando os ícones e textos conforme ficasse mais organizado e não sobrecarregado.
    Finalização: o projeto está salvo em JPG e irá ser passado para o professor dentro da sala de aula. Este relatório será postado nos comentários dentro do site “teia de ideias”.

    Beatriz Akane

    12/01/2016 em 19:27

  54. 1 )PAUTA: MINHA PAUTA DO INFOGRÁFICO É SOBRE A CAMPANHA FIQUE SABENDO DE COMBATE A AIDS, OS RESULTADOS SÃO DO ANO DE 2014, DA CIDADE DE BAURU. O INFOGRÁFICO É PARA MOSTRAR AOS JOVENS DE 13 A 25 ANOS O TOTAL DE PESSOAS QUE CONTRAIU O VÍRUS HIV E CONSEQUENTEMENTE TEM AIDS. DISTRIBUIÇÃO EM ESCOLAS, RUAS, AMBIENTE DE TRABALHO.
    2 ) PESQUISA INFORMATIVA: MINHA FONTE FOI A PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU, E A COORDENADORA DO PROGRAMA DST/AIDS DE BAURU. OS RESULTADOS QUE COLOQUEI EM MEU GRÁFICO SÃO DO ANO DE 2014, POIS DO ANO DE 2015 NÃO PODERIA POIS A CAMPANHA É NO FINAL DO ANO E NÃO TEM COMO PEGAR OS RESULTADOS NO COMEÇO DO ANO.
    3 ) PESQUISA IMAGÉTICA: EU NÃO USEI FOTOGRAFIA. AS IMAGENS DOS VETORES, QUE SÃO A SERINGA E DO CORPO DO HOMEM E DA MULHER FORAM FEITOS NO ADOBE ILUSTRATOR.
    4 ) ORGANIZAÇÃO: O CIRCULO MAIOR ONDE CONTÉM AS SERINGAS É A INFORMAÇÃO PRINCIPAL DO MEU INFOGRÁFICO, POIS ELE MOSTRA O CRESCIMENTO DO NÚMERO DE PESSOAS COM AIDS E O OUTRO CIRCULO A BAIXO DO CIRCULO GRANDE ELE TAMBÉM É A SEGUNDA INFORMAÇÃO PRINCIPAL , POIS A COR QUE COLOQUEI ESTÁ EM DESTAQUE EM RELAÇÃO A COR DOS TEXTOS, POIS MOSTRA O NÚMERO DE PESSOAS QUE REALIZAM O TESTE DO HIV. OS CIRCULOS ESTÃO DE FORMA HARMONIOSA PARA QUE O LEITOR POSSA ENTENDER.
    5 ) ESBOÇO:
    6 ) TRATAMENTO: AS INFORMAÇÕES FORAM CONFORME TINHA NAS MINHAS FONTES OFICIAIS E COMO EU QUERIA SÓ A CIDADE DE BAURU, FOI O SUFICIENTE PARA PODER REALIZAR O INFOGRÁFICO, SEM FALTAR INFORMAÇÃO NECESSÁRIA PARA O PÚBLICO QUE EU DESTINEI.
    7 ) MONTAGEM: ELE FOI PENSADO PARA UMA REVISTA DE SAÚDE COM LINGUAGEM JOVEM, ENTÃO O TAMANHO, AS CORES FORTES, DESENHOS, FORAM FEITOS HARMONIOSAMENTE PARA QUE CHAMASSE ATENÇÃO DO MEU PÚBLICO ALVO.
    8 ) FONTES: http://WWW.BAURU.SP.GOV.BR/MATERIA.ASPX?N=21617
    BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO, C.R.T. – DST/AIDS. C.V.E., SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO, ATÉ 06/2014. DADOS SUJEITOS Á REVISÃO.
    ELIANE MONTEIRO COORDENADORA DO PROGRAMA DST/AIDS DE BAURU.

    ISADORA VENTURINI

    12/01/2016 em 19:32

  55. • Pauta
    O tema escolhido para o infográfico foi o “melhor aproveitamento de alimentos”. Inspirado no
    suplemento “comida” do jornal Folha de S.Paulo, decidi já criar um suplemento que possa ser
    usado no trabalho final das disciplinas “Projeto gráfico e editorial 2” e “Jornalismo Impresso 2”,
    um suplemento criado do zero. O infográfico tem como finalidade conscientizar os leitores de
    que partes da cenoura (e de outros vegetais) como cascas, talos e folhas, podem na verdade
    serem utilizados, evitando o desperdício, assim como fazer uma breve descrição técnica do
    alimento. Não é objetivo do infográfico oferecer dados técnicos minunciosos para não cansar o
    leitor e não desviar o foco do trabalho, nem oferecer receitas completas.

    • Pesquisa informativa (dados, fontes)
    Para a elaboração deste infográfico, foi realizado um levantamento de possíveis pratos que
    podem ser preparados com cascas, talos e folhas de cenoura. Para isso, diversos sites de
    culinária foram visitados. Os três selecionados para o produto final foram:

    Lafond.com.br
    Amaissaude.com.br
    G1.globo.com

    Para a breve descrição do legume/raíz e demais informações técnicas, foram utilizados dados
    concedidos pela nutricionista Astrid Pfeiffer.

    • Pesquisa imagética (imagens, ícones)
    100% dos aspectos artísticos e visuais do infográfico são de minha autoria.

    • Organização (hierarquização, atribuição de valores)
    Tendo em vista que o enfoque do infográfico é o aproveitamento de partes da cenoura, deixei
    para a parte mais visual do produto os dados relativos ao tema. Para o texto descritivo, ficam os
    dados técnicos da cenoura e a razão da existência do infográfico.

    • Esboço (tipografia, dimensões, desenho a mão)
    Não houve esboço prático (desenho feito a mão). A idéia foi de fazer uma cenoura fragmentada
    em: miolo, casca (rodeando o miolo), talo (separado do miolo, como se tivesse tirado um
    “tampão”) e as folhas. Para mostrar a utilidade gastronômica de cada fragmento, puxei uma
    linha de cada parte para um box contendo um breve texto. O box é amarelo, com um fixador
    azul no topo e em fonte Mistral 36, remetendo a um bilhete manuscrito pregado em um mural.
    O título ficou em Myriad Pro 120 em bold, com os dizeres “Tudo se aproveita” em verde
    (condizente com a culinária, além de proporcionar uma calma leitura) e com o corpo do “i” em
    laranja para lembrar uma cenoura, desenho principal do infográfico. Foi utilizado Tekton Pro Ext
    36 para o texto descritivo, ambas fontes sóbrias e de fácil leitura. A cenoura foi desenhada no
    programa Gimp 2.8 e editada nos programas Paint e InDesign CS6. Dimensão da imagem: 2276 x
    1704 pixels. Formato: PNG. A intenção do tamanho e formato é manter ao máximo a qualidade
    visual do infográfico para apresentação, impressão e utilização posteriores.

    • Tratamento (definição do que vai entrar, produção de textos, etc)
    Houveram descartes apenas na etapa 3 (sites de culinária que não foram utilizados). Todo o
    material criado a partir de então foi utilizado integralmente, ou sofreu leve alteração.
    Basicamente, tudo que entrou na etapa 5 permaneceu no produto final.

    • Montagem (acabamento)
    Foi feito apenas a relocação dos “bilhetes” (boxes), do título e do texto para eliminar ao máximo
    os espaços em branco. Foi inserido também os devidos créditos das informações (sites já citados
    neste relatório) em Myriad Pro 18.
    Após feedback recebido, alguns elementos do infográfico mudaram. Os bilhetes foram todos
    transferidos para a parte direita, assim como o texto descritivo ficou logo abaixo do título,
    contornando o formato do desenho principal (cenoura). O fixador agora é vermelho, cor mais
    adequada à culinária, e a fonte dos boxes foi alterada para a Monotype Corsiva 26 bold, ainda
    estilizada, mas muito mais agradável para leitura. Ilustrações referentes aos assuntos de cada
    box foram acrescentados para dar mais vida ao infográfico.

    • Finalização (JPG/PDF para entrega)
    Relatório e imagem em PDF.

    Tomio Komatsu

    12/01/2016 em 19:51

  56. • Pauta
    O tema escolhido para o infográfico foi o “alimentação saudável”. Inspirado no suplemento
    “comida” do jornal Folha de S.Paulo, decidi já criar um suplemento que possa ser usado no
    trabalho final das disciplinas “Projeto gráfico e editorial 2” e “Jornalismo Impresso 2”, um
    suplemento criado do zero. O infográfico tem como finalidade conscientizar os leitores de que
    um prato colorido e balanceado é sempre mais saudável, além de trazer exemplos dos alimentos
    que devemos consumir em nosso dia a dia.

    • Pesquisa informativa (dados, fontes)
    Para a elaboração deste infográfico, foi realizada uma pesquisa com nutricionistas consultadas as
    matérias que compõem as páginas principais do suplemento, onde ficará o infográfico, além de
    alguns sites sobre o assunto na internet. São esses:

    http://corpoacorpo.uol.com.br/Amaissaude.com.br
    http://g1.globo.com/index.html
    http://noticias.uol.com.br/

    • Pesquisa imagética (imagens, ícones)
    Todos os aspectos artísticos e visuais do infográfico são de minha autoria.

    • Organização (hierarquização, atribuição de valores)
    O infográfico tem como objetivo principal o de conscientizar sobre pratos saudáveis, sendo
    assim, a foto do exemplo de prato saudável ficou em primeiro plano, ganhando destaque. Já os
    alimentos que devem ser comidos, separados por cores, segue menor, como complemento.

    • Esboço (tipografia, dimensões, desenho a mão)
    Após fazer um esboço, à mão, de como seria a fotografia, com base nas informações
    pesquisadas, montei um prato e teria a foto usando uma câmera Sony. Após tirada a foto, utilizei
    o programa “Paint” para colocar as informações, puxando uma linha de cada parte para um box
    contendo um breve texto. O box é verde, com um fixador azul no topo e em fonte Arial 36,
    remetendo a um bilhete manuscrito pregado em um mural. O título ficou em “Segoe Script” em
    bold, com os dizeres “Prato saudável”, com tom mais livre, e “Candara” para o texto descritivo,
    ambas fontes dos textos mais longos são sóbrias e de fácil leitura. Os alimentos coloridos foram
    fotografados separadamente, utilizando câmera de celular “Samsung Galaxy”, após isso, separeis
    os alimentos por cores e adicionei nos boxes, também com as cores dos alimentos para ficar
    mais visual.

    • Tratamento (definição do que vai entrar, produção de textos, etc)
    Houveram descartes apenas na etapa 3 (sites de culinária que não foram utilizados, pois não
    cabiam no projeto, por serem diferentes da proposta idealizada). Todo o material criado a partir
    de então foi utilizado integralmente, ou sofreu leve alteração. Basicamente, tudo que entrou na
    etapa 5 permaneceu no produto final.

    • Montagem (acabamento)
    Foi feito apenas a relocação dos “bilhetes” (boxes), do título e do texto para eliminar ao máximo
    os espaços em branco. Foi inserido também os devidos créditos das informações (sites já citados
    neste relatório) em Candara 10.

    • Finalização (JPG/PDF para entrega)
    Relatório em PDF e imagem em JPG.

    Bárbara Pungi Villela

    12/01/2016 em 20:03

  57. Pauta: A escolha do tema se deu pelo interesse que tive em transformar uma série de matérias que fiz no ano de 2015 sobre a grande relação do narcotráfico com o futebol colombiano no período em que o esporte naquele país ganhava destaque internacional, com um boa geração de atletas. A ideia surgiu após a popularização da série Narcos, do Netflix. O infográfico foi pensado em um formato para uma hipotética revista temática sobre o narcotráfico na história da Colômbia, a partir da década de 1960.

    Pesquisa informativa: O levantamento de informações havia sido feito durante o período de produção da série de matérias. Foram utilizadas informações presentes nos vários especiais sobre o tema que a imprensa colombiana realizou nos últimos anos, principalmente por conta da presença do nome de um clube, o Independiente Santa Fe, como beneficiário do dinheiro do narcotráfico, nas investigações da operação “Cuenca del Pacífico”, realizada pela Unidade Anti-máfia da polícia colombiana, no ano de 2010. Também foi utilizado para pesquisa um trabalho de conclusão de curso das alunas Juanita Andrea Ortegón Pulido e Mónica del Pilar Rodríguez Chávez para o bacharelado em Comunicação Social – Jornalismo na Pontificia Universidad Javeriana, de Bogotá.

    http://www.futbolred.com/liga-postobon/la-historia-negra-del-futbol-nacional-gran-especial-de-futbolred+8089363

    http://www.elcomercio.com/deportes/clubes-futbol-colombia-narcotrafico.html

    http://www.infobae.com/2013/12/01/1527699-pablo-escobar-el-auge-y-el-entierro-del-futbol-colombiano

    http://repository.javeriana.edu.co/bitstream/10554/5550/1/tesis598.pdf

    http://www.locomotivaesportiva.com.br/#!Textos/c1nt4/Tag/veias-abertas

    Pesquisa imagética: As imagens dos narcotraficantes, o mapa da Colômbia, assim como os símbolos dos clubes foram encontrados no Google Imagens. Já a arte das pastas foi produzida no Adobe Illustrator.

    Organização: A opção por um infográfico em página espelhada foi feito pela quantidade de informações presentes, não sendo necessária uma matéria para introduzi-lo. Foi definida uma relevância maior para o conteúdo presente na arte das pastas, com as demais informações, colocadas em boxes, complementares ao conteúdo.

    Esboço: O infográfico foi feito nas medidas 55cm x 43cm, seguindo um tamanho semelhante ao de uma página espelhada de revista. A escolha das fontes foi feita visando tipos serifados, característico de revistas, com exceção ao título. No conteúdo dentro das pastas, foi utilizada uma fonte tipológica baseada na tipologia de uma máquina de escrever. A paleta de cores escolhida foi a de tons escuros fora do mapa da Colômbia, por ser tratar de um assunto tenso.

    Tratamento: Os elementos textuais e imagéticos remetem a uma investigação, como as pastas, as fotos presas em clipes, a linha vermelha, geralmente utilizada na montagem do “mapa” das investigações. O território da Colômbia é colorido com as cores da bandeira do país para uma rápida compreensão do leitor. Todos os elementos do infográfico cumprem determinada função e suas posições foram propositalmente escolhidas, inclusive as sobreposições entre as pastas, cada uma colocada de forma diferente, para criar uma “desorganização organizada”.

    Montagem: As imagens dos narcotraficantes foram editadas em Photoshop para ficarem em preto e branco. A produção das pastas foi feita no Adobe Illustrator e a montagem do infográfico no InDesign.

    Finalização: Arquivo exportado em PDF

    Fabio Toledo

    12/01/2016 em 21:10

  58. Relatório Infográfico – Larissa Garcia Zapata Scarpelini
    Jornalismo Noturno

    1. Pauta: O tema escolhido para o infográfico foi o desperdício de alimentos no Brasil. O infográfico visa chamar a atenção para a alta quantidade de toneladas que são desperdiçadas no Brasil e para mostrar em quais etapas ocorrem o maior desperdício.
    O Brasil é um dos dez países que mais desperdiçam comida em todo o mundo, além de produzir grandes quantidades de lixo por dia. Por esse motivo, alguns institutos nacionais desenvolvem pesquisas e estimativas para estimular a diminuição do desperdício, como exemplo o Instituto Akatu. A seguinte estimativa foi realizada pelo Instituto: Com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma família média brasileira gasta 478 reais mensais para comprar comida. Se o desperdício de 20% de alimentos deixasse de existir em casa, 90 reais deixariam de ir para o ralo. Guardando esses 90 reais todos os meses, depois de 70 anos (expectativa média de vida) a família teria uma poupança de 1,1 milhão de reais.

    2. Pesquisa informativa: Para a elaboração do infográfico foram consultados diversos sites que abordavam dados e pesquisas sobre o desperdício de alimentos no Brasil. Os seguintes dados foram obtidos:
    – O desperdícios em cada etapa: 10% campo; 10% varejo (supermercado) e consumidor final (EMBRAPA); 30% comercialização e abastecimento e 50% manuseio e transporte.
    – Cada brasileiro gera em torno de um quilo de lixo por dia. Cerca de 58% desse total é representado por lixo orgânico, formado de restos de alimentos.
    – O Brasil joga fora, todos os dias, 41 mil toneladas de comida. Isso daria para alimentar 25 milhões de pessoas.
    – O país é considerado um dos dez que mais desperdiçam comida em todo o mundo.
    Fontes:
    http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/como-evitar-desperdicio-seguranca-alimentar-bons-fluidos-752309.shtml
    http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2015-04/domingo-editada-fao-quer-reduzir-perdas-de-alimentos-no-brasil
    http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/10/fantastico-chama-atencao-para-o-desperdicio-de-alimentos-no-brasil.html
    http://www.bancodealimentos.org.br/conheca-banco-de-alimentos/desperdicio-de-alimentos-brasil-e-mundo/

    3. Pesquisa imagética: Na elaboração do infográfico foram utilizados ícones, gráfico, linhas e box. Os ícones foram escolhidos conforme os assuntos relacionados a comida e desperdício: lata de lixo, garfo e faca, caminhão de transporte, carrinho de supermercado, árvore (relacionada ao campo) e saco de dinheiro (relacionado ao mercado). O gráfico foi criado a partir do InDesign com círculos preenchidos com cores quentes e os ícones foram retirados do site: http://www.iconfinder.com.

    4. Organização: O infográfico foi organizado da seguinte maneira: em cima está localizado o título e o lead com a introdução ao tema, abaixo no lado esquerdo está o gráfico “Como é desperdiçado?” que mostra a porcentagem de cada etapa e o quanto cada uma desperdiça, já no lado direito está o box onde estão os dados relacionados ao desperdício de comida e quantas pessoas daria para alimentar com o que é desperdiçado.
    O apelo estético ficou por conta do gráfico colorido que chama atenção e também pelos ícones utilizados que foram organizados da seguinte maneira: os quatro ícones do lado esquerdo se relacionam com o gráfico e os dois ícones do lado direito se relacionam com os dados da comida desperdiçada criando um visual equilibrado para o infográfico.

    5. Esboço: O tamanho do infográfico é A3 (420 mm x 297 mm).
    As fontes utilizadas foram:
    Apple Garamont – para a parte textual
    Cardenio Modern – para o título, números e gráfico
    As fontes foram retiradas do site: http://www.dafont.com/pt/
    As cores utilizadas foram:
    Para o fundo, amarelo claro – R:255 G:250 B:190
    Para o gráfico, cores quentes como rosa (R:238 G:51 B:123), laranja (R:243 G:113 B:33), vermelho (R:213 G:36 B:39) e amarelo forte (R: 250 G:217 B:70)
    Para os números, vermelho escuro – R:205 G:32 B:38
    Para os textos e título, preto (R:0 G:0 B:0)
    As cores foram escolhidas em tons quentes para se relacionarem ao assunto: comida e desperdício. O vermelho nos números indica alerta ao desperdício. Os textos e os ícones em preto se destacam em relação ao fundo amarelo claro. A cor do retângulo que forma o box possui relação com a cor do fundo, apenas um pouco mais escura.

    6. Tratamento: Após a pesquisa inicial, redigi o texto de introdução e produzi o gráfico com círculos coloridos no próprio InDesign. Alterei o contraste e a tonalidade dos ícones no Photoshop para que ficassem mais escuros, com o objetivo de chamar atenção (alguns estavam acinzentados).

    7. Montagem: O infográfico foi produzido no InDesign CS6 considerando critérios de harmonia, equilíbrio, dinamismo, atratividade e clareza. O Photoshop foi utilizado apenas para pequenas alterações nos ícones.

    8. Finalização: Arquivo salvo em pdf na pasta Compartilhadas.

    Larissa Garcia Zapata Scarpelini

    12/01/2016 em 21:23

  59. 1. Pauta
    O tema foi escolhido pensando-se nos problemas da atualidade. A proposta inicial era trabalhar com a falta de tempo que caracteriza a vida moderna. Porém, depois a pauta sobre o estresse moderno pareceu mais viável. O estresse é considerado o mal de nosso século, pois toda a modernidade é baseada em atividades aceleradas e que exigem muito da capacidade humana. Portanto, o leitor deve estar ciente de que o estresse não é totalmente negativo, porém deve ser bem administrado para que suas consequências não se tornem agravantes de outros problemas.

    2. Pesquisa Informativa
    Para a confecção do Infográfico foi utilizado o site da Revista Superinteressante como fonte principal e a pesquisa Stress Brasil, realizada pelo Instituto de Psicologia e controle do Estresse. Como fontes complementares foram utilizadas o site da Revista Psique, do Portal Ciência e Vida e o site da Revista Proteção.

    3. Pesquisa Imagética
    Os ícones e imagens utilizadas foram baixados do site gratuito Freepik e os gráficos foram construídos pela ferramenta de Planilhas do serviço Google Docs.

    4. Organização
    As informações foram organizadas de maneira à dar destaque ao infográfico central que orienta o leitor a entender o ciclo do estresse e suas reações fisiológicas. Foram utilizadas as cores primárias para destacar os títulos e o formato dos gráficos laterais, assim como a tarja superior da página que designa a editoria. De modo geral, a matéria está clara e consegue guiar o olhar do leitor ao longo das informações.

    5. Esboço
    A área definida foi 21cm x 29cm, em tamanho A4. Já as fontes tipológicas escolhidas foram Times New Romam (12pts, regular) para o corpo do texto, Ebrima (30pts, 42pts e 72pts, bold) nas cores vermelho e preto para os títulos e Arial (13,5 pts, itálico) para o box de definição da palavra. A fonte Ebrima não é serifada e por isso foi escolhida para compor os títulos, já que impacta a visão do leitor em contraste com a serifada do texto. A ideia inicial era construir um infográfico em círculo que lembrasse um relógio, porém depois o ciclo do estresse, também circular passou a ocupar o centro da página, de modo a chamar a atenção do leitor com seus ícones, setas e títulos.
    As cores utilizadas foram apenas variações das primárias, azul, verde, vermelho e amarelo, além do preto nos títulos e corpo textual.

    6. Tratamento, Montagem e Finalização
    O software de edição utilizado foi o Indesign CS6, onde os textos e imagens utilizadas foram importadas e dispostas de maneira alinhada e hierarquizada. No final, foi exportado para o formato PDF.

    Geizimara de O. Polito

    12/01/2016 em 21:41

  60. Nome: Caroline Mazzer de Souza Jornalismo Noturno (4º termo)

    Roteiro de produção do Infográfico

    1. Pauta: O tema escolhido para a produção do infográfico foi viagens. O enfoque escolhido foi as viagens dos brasileiros, no qual se incluiu principais destinos (nacionais ou internacionais), meios de transportes mais utilizados e também qual o meio de hospedagem mais procurados por esse público. A problemática do assunto gira em torno da crise econômica e consequente aumento do dólar, o que dificultou a procura por viagens internacionais. Por isso, os gráficos procuram comparar os dados do mesmo período (mês de novembro) dos anos de 2014 e 2015.

    2. Pesquisa informativa: Para a produção do infográfico as principais fontes utilizadas foram extraídas do portal http://www.dadosefatos.turismo.gov.br. A pesquisa intitulada de Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, foi elaborada pelo Ministério do Turismo, em parceria com a FGV e retrata a expectativa das famílias brasileiras de consumir os serviços relacionados ao turismo nos próximos seis meses. Para tanto, a pesquisa teve uma amostra de mais de 2000 domicílios localizados em seis cidades brasileiras: Belo Horizonte, Brasília,Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.
    3. Pesquisa imagética: Todas as imagens contidas no infográfico possuem direitos de uso. Alguns dos sites usados para a seleção e formação dessas ilustrações foram o freepick, o info.gram, e o picmonkey.

    4. Organização: As informações foram hierarquizadas levando em conta mostrar primeiramente em gráficos de barras, os principais meios de transporte e hospedagem usados pelos brasileiros em viagens. Depois, em destaque, temos o gráfico de pizza colorido, que mostra a porcentagem de pessoas que pretende realizar viagens nacionais ou internacionais. Por fim, também em destaque, o mapa do Brasil procura mostrar da porcentagem de pessoas que procuram destinos nacionais, quais regiões são mais requisitadas pelos turistas. Essa hierarquização foi utilizada pretendendo mostrar como a crise movimentou o setor de turismo nacional.

    5. Esboço: As dimensões do infográfico são os de uma folha A4 (21cm de largura x 29,7 cm de altura). A fonte utilizada em todo projeto foi a Arial e os tamanhos variam desde 12 até 48. A fonte do título é a única diferente, na fonte especial Amatic Small Caps tamanho 56. A paleta de cores pretendeu mesclar cores quentes e frias, todas primárias (azul, amarelo, verde e vermelho) e também tons neutros como o cinza e o preto.

    6. Tratamento e montagem: O tratamento e a montagem dos elementos textuais e imagéticos foram realizados pelo site picmonkey, pelo editor de imagens photoscape e também pelo editor indesing, visando dar uma harmonia ao conjunto.

    8. Finalização: O produto final pretende informar através de uma composição harmônica e hierárquica dos elementos que compõem o infográfico. Cada elemento foi feito individualmente, desde a produção dos gráficos, anexo dos ícones, dos banners e outros efeitos visuais como as setas e os textos.

    Caroline Mazzer

    12/01/2016 em 21:42

  61. 1. Pauta: Fiz meu infográfico sobre o Jogo Magic The Gathering. Decidindo fazer uma pequena abertura sobre o histórico dos Card Game’s, dando enfoque maior as expansões do Trading Card Game e posteriormente focando na jogabilidade do mais popular deles Magic.

    2. Pesquisa informativa: Utilizei os dados do histórico do mercado disponível na Wikipedia. Para criar a linha do tempo. E apoiado pelo manual do jogo criei o restante do infográfico explicando a jogabilidade do jogo.
    http://media.wizards.com/images/magic/resources/rules/PT_MTGM14_Rulebook_Web.pdf

    3. Pesquisa imagética: Fiz a pesquisa das imagens que iria representar no infográfico tendo como base o modelo das cartas, dos campos e o esquemas disponíveis no próprio manual.

    4. Organização: Breve apresentação da história dos Trading Card Games. E posterior explicação de como se joga o jogo. As cartas, o Campo, definição da vitória, as manas que estabelecem diferentes estratégias.

    5. Esboço: Tipografia:
    Títulos: Rockwell
    conteúdo: Segoe UI
    Dimensão: 5564×6561

    6. Tratamento: Não houve uso de imagens retiradas de outros sites, portanto essa etapa não foi presente no infográfico.

    7. Montagem:
    Desenho inicial a mão definindo os elementos que seriam criado e representados no infográfico.
    Desenho em segundo estágio também a mão definindo a organização dos elementos presentes no infográfico.
    Contrução final no Photoshop do Infográfico.

    8. Finalização: Projeto salvo em PDF, e entregue ao professor dentro de sala de aula.

    Lucas Rueles da Cunha

    12/01/2016 em 21:56

  62. ATUALIZADO: Relatório

    ? Pauta
    O tema escolhido para o infográfico foi o “melhor aproveitamento de alimentos”. Inspirado no suplemento “comida” do jornal Folha de S.Paulo, decidi já criar um suplemento que possa ser usado no trabalho final das disciplinas “Projeto gráfico e editorial 2” e “Jornalismo Impresso 2”, um suplemento criado do zero. O infográfico tem como finalidade conscientizar os leitores de que partes da cenoura (e de outros vegetais) como cascas, talos e folhas, podem na verdade serem utilizados, evitando o desperdício, assim como fazer uma breve descrição técnica do alimento. Não é objetivo do infográfico oferecer dados técnicos minunciosos para não cansar o leitor e não desviar o foco do trabalho, nem oferecer receitas completas.

    ? Pesquisa
    informativa (dados, fontes) Para a elaboração deste infográfico, foi realizado um levantamento de possíveis pratos que podem ser preparados com cascas, talos e folhas de cenoura. Para isso, diversos sites de culinária foram visitados. Os três selecionados para o produto final foram:

    Lafond.com.br Amaissaude.com.br G1.globo.com
    Para a breve descrição do legume/raíz e demais informações técnicas, foram utilizados dados concedidos pela nutricionista Astrid Pfeiffer.

    ? Pesquisa imagética (imagens, ícones)
    100% dos aspectos artísticos e visuais do infográfico são de minha autoria.

    ? Organização (hierarquização, atribuição de valores) Tendo em vista que o enfoque do infográfico é o aproveitamento de partes da cenoura, deixei para a parte mais visual do produto os dados relativos ao tema. Para o texto descritivo, ficam os dados técnicos da cenoura e a razão da existência do infográfico.

    ? Esboço (tipografia, dimensões, desenho a mão)
    Não houve esboço prático (desenho feito a mão). A idéia foi de fazer uma cenoura fragmentada em: miolo, casca (rodeando o miolo), talo (separado do miolo, como se tivesse tirado um “tampão”) e as folhas. Para mostrar a utilidade gastronômica de cada fragmento, puxei uma linha de cada parte para um box contendo um breve texto. O box é amarelo, com um fixador azul no topo e em fonte Mistral 36, remetendo a um bilhete manuscrito pregado em um mural. O título ficou em Myriad Pro 120 em bold, com os dizeres “Tudo se aproveita” em verde (condizente com a culinária, além de proporcionar uma calma leitura) e com o corpo do “i” em laranja para lembrar uma cenoura, desenho principal do infográfico. Foi utilizado Tekton Pro Ext 36 para o texto descritivo, ambas fontes sóbrias e de fácil leitura. A cenoura foi desenhada no programa Gimp 2.8 e editada nos programas Paint e InDesign CS6. Dimensão da imagem: 2276 x 1704 pixels. Formato: PNG. A intenção do tamanho e formato é manter ao máximo a qualidade visual do infográfico para apresentação, impressão e utilização posteriores.

    ? Tratamento (definição do que vai entrar, produção de textos, etc)
    Houveram descartes apenas na etapa 3 (sites de culinária que não foram utilizados). Todo o material criado a partir de então foi utilizado integralmente, ou sofreu leve alteração. Basicamente, tudo que entrou na etapa 5 permaneceu no produto final.

    ? Montagem (acabamento)
    Foi feito apenas a relocação dos “bilhetes” (boxes), do título e do texto para eliminar ao máximo os espaços em branco. Foi inserido também os devidos créditos das informações (sites já citados neste relatório) em Myriad Pro 18.

    Após feedback recebido, alguns elementos do infográfico mudaram. Os bilhetes foram todos transferidos para a parte direita, assim como o texto descritivo ficou logo abaixo do título, contornando o formato do desenho principal (cenoura). O fixador agora é vermelho, cor mais adequada à culinária, e a fonte dos boxes foi alterada para a Monotype Corsiva 26 bold, ainda estilizada, mas muito mais agradável para leitura. Ilustrações referentes aos assuntos de cada box foram acrescentados para dar mais vida ao infográfico.

    Após outro feedback recebido, mais alguns elementos do infográfico foram alterados. A fonte do texto descritivo mudou para Candara (manter unidade com outro infográfico que será utilizado na mesma matéria) e palavras-chave foram negritadas para chamar mais atenção, a fonte dos boxes para Love Ya Like a Sister (idem ao anterior, aliado à necessidade de maior legibilidade) e o design dos boxes foram mais bem elaborados, para ficar mais parecidos com um bilhete pregado em um quadro.

    ? Finalização (JPG/PDF para entrega)
    Relatório e imagem em PDF.

    Tomio Komatsu

    19/01/2016 em 19:10

  63. ATUALIZADO – Relatório

    • Pauta
    O tema escolhido para o infográfico foi o “alimentação saudável”. Inspirado no suplemento
    “comida” do jornal Folha de S.Paulo, decidi já criar um suplemento que possa ser usado no
    trabalho final das disciplinas “Projeto gráfico e editorial 2” e “Jornalismo Impresso 2”, um
    suplemento criado do zero. O infográfico tem como finalidade conscientizar os leitores de que
    um prato colorido e balanceado é sempre mais saudável, além de trazer exemplos dos alimentos
    que devemos consumir em nosso dia a dia.

    • Pesquisa informativa (dados, fontes)
    Para a elaboração deste infográfico, foi realizada uma pesquisa com nutricionistas consultadas as
    matérias que compõem as páginas principais do suplemento, onde ficará o infográfico, além de
    alguns sites sobre o assunto na internet. São esses:

    http://corpoacorpo.uol.com.br/Amaissaude.com.br
    http://g1.globo.com/index.html
    http://noticias.uol.com.br/

    • Pesquisa imagética (imagens, ícones)
    Todos os aspectos artísticos e visuais do infográfico são de minha autoria.

    • Organização (hierarquização, atribuição de valores)
    O infográfico tem como objetivo principal o de conscientizar sobre pratos saudáveis, sendo
    assim, a foto do exemplo de prato saudável ficou em primeiro plano, ganhando destaque. Já os
    alimentos que devem ser comidos, separados por cores, segue menor, como complemento.

    • Esboço (tipografia, dimensões, desenho a mão)
    Após fazer um esboço, à mão, de como seria a fotografia, com base nas informações
    pesquisadas, montei um prato e teria a foto usando uma câmera Sony. Após tirada a foto, utilizei
    o programa “Paint” para colocar as informações, puxando uma linha de cada parte para um box
    contendo um breve texto. O box é verde, com um fixador azul no topo e em fonte Arial 36,
    remetendo a um bilhete manuscrito pregado em um mural. O título ficou em “Segoe Script” em
    bold, com os dizeres “Prato saudável”, com tom mais livre, e “Candara” para o texto descritivo,
    ambas fontes dos textos mais longos são sóbrias e de fácil leitura. Os alimentos coloridos foram
    fotografados separadamente, utilizando câmera de celular “Samsung Galaxy”, após isso, separeis
    os alimentos por cores e adicionei nos boxes, também com as cores dos alimentos para ficar
    mais visual.

    • Tratamento (definição do que vai entrar, produção de textos, etc)
    Houveram descartes apenas na etapa 3 (sites de culinária que não foram utilizados, pois não
    cabiam no projeto, por serem diferentes da proposta idealizada). Todo o material criado a partir
    de então foi utilizado integralmente, ou sofreu leve alteração. Basicamente, tudo que entrou na
    etapa 5 permaneceu no produto final.

    • Montagem (acabamento)
    Foi feito apenas a relocação dos “bilhetes” (boxes), do título e do texto para eliminar ao máximo
    os espaços em branco. Foi inserido também os devidos créditos das informações (sites já citados
    neste relatório) em Candara 10.

    • Finalização (JPG/PDF para entrega)
    Relatório e imagem em PDF.

    Obs.: Após feedback do professor, foram feitas alterações nas imagens e fontes, mas nenhum
    conteúdo foi modificado.

    Bárbara Pungi Villela

    19/01/2016 em 19:21

  64. 1. Pauta: a escolha do tema, “Buraco Negro”, se deve ao interesse em saber como o mesmo é formado, qual o seu tamanho, se ele pode ou não interferir sobre a Terra. Acredito que é um tema relevante para todos e não apenas para aqueles que acompanham as matérias propostas pelas áreas destinadas a astronomia, mesmo o infográfico abordando questões um pouco específicas. Além de apresentar informações numéricas mais pontuais para complementar.

    2. Pesquisa informativa: as informações foram retiradas de sites, um deles com informações disponibilizadas pela NASA (National Aeronautics and Space Administration) e o outro, sendo um portal de observatório de física da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), com informações também apuradas.

    3. Pesquisa imagética: a ilustração utilizada como pano de fundo do infográfico também foi retirada do mesmo portal que as informações disponibilizadas pela NASA. A disposição da mesma no infográfico foi inspirada pela revista “Mundo Estranho”, como toda a proposta do infográfico que produzi.

    4. Organização: considerei necessário apresentar questões que explicassem o tema escolhido, de forma clara e sintética, a disposição de tais informações justifica, as perguntas se encontram no “topo” do infográfico, como se abrissem, iniciassem, para aquele assunto. Já as informações inseridas dentro dos boxes são mais específicas quanto aos dados apresentados, isso contribui para complementar e enriquecer o texto informativo. A última pergunta proposta apresentou certo destaque pela identificação que pode ser proporcionada ao leitor, abordando a Terra e as possíveis ou não interferências de um buraco negro sobre ela.

    5. Esboço: desde o início, pensei o infográfico baseado, como já disse, naqueles apresentados pela “Mundo Estranho”, penso que se apresentam com maior dinamismo, possibilitando um aspecto divertido e agradável. Então, a decisão de utilizar a página inteira, além de ocupá-la, em grande parte, pela ilustração. A família tipológica escolhida é humanista, por ser um infográfico, apresentando uma quantidade não muito grande de informações, não achei necessário escolher alguma tipologia com serifa. Creio que o infográfico está legível. A paleta de cores se resume na escolha do branco para não destoar e/ou poluir visualmente.

    6. Tratamento: utilizei a transparência, como os boxes dispostos no centro do infográfico, penso que é um recurso bonito esteticamente e que modifica, de maneira positiva, um produto jornalístico, seja ele uma reportagem, um infográfico, como é o caso.

    7. Montagem: escolhi produzir o infográfico no programa “InDesign”, tenho maior familiaridade com o mesmo e queria explorar alguns recursos que não tinha tido a oportunidade de utilizar. Acredito que o infográfico feito nesse programa apresenta harmonia, seja através de sua composição ou própria diagramação. Como já comentei, o infográfico seria disposto em uma página inteira, levando em consideração o modelo, “Mundo Estranho”, pensado.

    8. Finalização: fontes: http://www.megacurioso.com.br/astronomia/55567-nasa-explica-o-que-e-um-buraco-negro.htm e http://www.observatorio.ufmg.br/pas19.htm

    Gabryella Ferrari

    20/12/2016 em 15:22

Deixe uma resposta