teia de ideia [mídia e tecnologia]

Francisco Rolfsen Belda

Teorias e escolas do pensamento econômico

nenhum comentário

Teorias e modelos de pensamento econômico. As escolas do mercantilismo, fisiocracia, economia clássica, marxismo, economia neoclássica e escola keynesiana.

Teorias econômicas
  • Pensamentos de orientação racionalista, lógica, mas com limitada base experimental
  • Formulados para explicar fenômenos e processos da economia
  • Como usar recursos materiais e humanos para produzir e distribuir bens e serviços
  • Determinam a constituição de um léxico especializado para descrição econômica (ver conceitos)
  • Principais escolas ou teorias: mercantilismo, fisiocracia, economia clássica, marxismo, economia neoclássica e escola keynesiana.
1. Mercantilismo
  • Conjunto de princípios que orienta a economia dos Estados europeus
  • Contexto de expansão comercial entre os séculos XV e XVII.
  • Teóricos:
    • Thomas Mun (1571-1641)
    • Josiah Child (1630-1699)
    • Barthélemy de Laffemas (1545-1612)
    • Jean-Baptiste Colbert (1619-1683)
    • Antoine de Montchrestien (1575-1621)
  • Teses:
    • Riqueza provém de  reservas de metais preciosos
    • Ouro e prata exercem função de moedas correntes
    • Estado deve acumular reservas pela descoberta de novas jazidas de minério
    • Estado deve ampliar reservas exportando mais e importando menos (superávit)
2. Fisiocracia
  • Escola que contesta o pensamento mercantilista
  • Século XVIII
  • Teóricos
    • François Quesnay (1694-1774)
      • “Reflexões sobre a Formação e a Distribuição da Riqueza” (1766)
    • Anne Robert Jacques Turgot (1727-1781)
  • Teses:
    • Defesa das sociedades agrícolas: Terra é única fonte de riqueza de uma nação
    • Indústria e comércio são necessários, mas decorrem de bens pré-exstentes
    • “Quadro Econômico (1756)”, de Quesnay: primeira análise do equilíbrio global da economia
    • Demonstra como a renda gerada na agricultura é redistribuída na comunidade
    • Rejeitam a interferência do governo nas atividades econômicas
    • Origem conceitual do liberalismo: “laissez-faire, laissez-passer”
3. Economia clássica
  • Consolidação da economia como conhecimento científico
  • Segunda metade do século XVIII e no século XIX
  • Contexto da Revolução Industrial
  • Foco nas transformações do processo produtivo
  • Teóricos:
    • Adam Smith (1723-1790)
      • “Uma Investigação sobre a Natureza e Causas da Riqueza das Nações” (1776)
    • Jean-Baptiste Say (1767-1832)
    • Thomas Malthus (1766-1834)
    • David Ricardo (1772-1823)
  • Teses:
    • Trabalho humano, e não prata/ouro, resulta em prosperidade
    • Aprimoramento das forças produtivas enriquece uma nação
    • Mecanização, divisão social do trabalho
    • Processos de crises econômicas e acumulação de capital
    • Implicações do crescimento populacional
    • Conceito de racionalidade econômica
    • Liberalismo e a “mão invisível” dos mercados
    • Necessidades individuais acima do bem-estar coletivo
    • Bem público resulta do desenvolvimento das forças produtivas.
4. Marxismo
  • Contexto de consolidação do capitalismo e do sistema de classes sociais
  • Segunda metade do século XIX
  • Teóricos
    • Karl Heinrich Marx (1818-1883)
      • “Contribuição à Crítica da Economia Política” (1857)
      • “O Capital (1867-1869)”
    • Friedrich Engels (1820-1895)
  • Teses:
    • Modo de produção capitalista propicia a acumulação contínua de capital
    • Mercadorias resultam da combinação de meios de produção e trabalho humano
    • Quantidade de trabalho para produzir mercadoria é o que determina seu valor
    • Ampliação do capital ocorre porque o trabalho produz valores excedentes
    • Esse diferencial (“mais-valia”) é a fonte dos lucros e da acumulação capitalista
5. Economia Neoclássica
  • Superação da teoria clássica do valor-trabalho
  • Fim do século XIX
  • Contexto de ampliação e diversificação dos mercados internacionais
  • Influência do filósofo inglês Jeremy Bentham (1748-1832)
  • Doutrina do utilitarismo
  • Teóricos:
    • Carl Menger (1840-1921)
    • William Stanley Jevons (1835-1882)
    • Léon Walras (1834-1910)
    • Alfred Marshall (1842-1924)
    • Knut Wicksell (1851-1926)
    • Vilfredo Pareto (1848-1923)
    • Irving Fisher (1867-1947)
  • Teses:
    • Valor de um produto é uma grandeza subjetiva, conforme sua utilidade
    • Utilidade do bem é fator da quantidade disponível e da circunstância
    • Preço definido pelo equilíbrio entre a oferta e a procura
    • Essa seria a “lei do mercado”, que conduz à estabilidade econômica.
6. Escola Keynesiana
  • Contexto da grande depressão econômica dos anos 30
  • Revolução sobre o pensamento econômico da época
  • Teórico:
    • inglês John Maynard Keynes (1883-1946)
      • “Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda” (1936)
  • Teses:
    • Contestação das hipóteses de que as forças do mercado conduzem ao equilíbrio
    • Economia de mercado gera crises, marcadas pela recessão e pelo desemprego
    • Investimento direto na economia garante o emprego da força de trabalho existente
    • Crises dependem do aumento do gasto público para suprir a deficiência de demanda
    • Obras estatais criam novos postos de trabalho, diminuindo o desemprego
7. Neoliberalismo

  • Políticas econômicas com ênfase no livre mercado
  • Medidas estabelecidas no chamado Consenso de Washington
  • Início dos anos 1990
  • Teses:
    • Abertura da economia por meio da liberalização financeira e comercial
    • Eliminação de barreiras aos investimentos estrangeiros diretos
    • Estabilização econômica obtida pela disciplina fiscal
    • Redução e reforma tributária, estabilidade da taxa de câmbio
    • Redirecionamento dos gastos do Estado, com redução de sua política industrial
    • Menor participação do Estado na economia, com maior autonomia ao setor privado
    • Programas de privatização e da desregulamentação de preços
    • Papel do Estado é disciplinar o mercado para combater excessos da concorrência

Escrito por Francisco Rolfsen Belda

01/09/2010 às 7:00

Deixe uma resposta